Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de janeiro de 2020 - 00:05


Brasil é terceiro país com mais casos de diabetes no mundo

Por que alimentação correta pode ajudar no controle da doença

O número de portadores de diabetes com menos de 20 anos é de 1,1 milhão, de acordo com o 9º IDF Diabetes Atlas. O relatório anual divulgado recentemente pela Federação Internacional da Diabetes (IDF, da sigla em inglês), organização que congrega associações especializadas na doença em 168 países, aponta que na América Latina 127,2 mil pessoas convivem com a doença. O Brasil possui o maior número de registros: cerca de 95,5 mil.

No ranking mundial, nosso país está na terceira colocação e fica atrás somente dos Estados Unidos e da Índia. De acordo com a IDF, a posição brasileira entre os primeiros do ranking se deve ao índice populacional. O relatório acrescenta que o número de casos registrados em nível mundial é um fenômeno “motivado por uma complexa interação entre fatores socioeconômicos, demográficos, ambientais e genéticos”.

Para a doutora Siomara Tauil, endocrinologista da clínica Eye Corp, em São Paulo, além das causas acima, a obesidade é um grande fator de risco para a diabetes. “Nas crianças que já têm predisposição genética para a doença, o excesso de peso pode causar uma situação de resistência à ação da insulina e o organismo não consegue usá-la para controlar de forma adequada os níveis de açúcar no sangue”, explica.

Na opinião da endocrinologista, os hábitos alimentares familiares quanto à qualidade e à quantidade do que é consumido também pesam.

“As pessoas não têm tempo para cozinhar e vivem fazendo refeições rápidas, como fast-food, o que acaba influenciando na alimentação dos filhos. Com isso, a obesidade tem aumentado cada vez mais entre os adultos e também entre as crianças, que aprendem com o que veem em casa”, analisa.

A verdade é tudo que consumimos afeta nosso corpo e, se a pessoa já é diabética, o cuidado tem que ser redobrado. Isso porque o controle da glicose no sangue pode evitar que surjam doenças como hipertensão arterial, aumento do colesterol e do triglicérides e problemas articulares desenvolvidos pelo excesso de peso. Mas, independentemente da predisposição genética, um cristão verdadeiro é inteligente para ter cautela em relação à sua alimentação porque sabe que o seu corpo é o Templo de Deus e deve ser muito bem cuidado.


  • Eduardo Prestes / Foto: Getty Images 


reportar erro