Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 29 de abril de 2018 - 03:05


As atitudes do bom e velho namoro à moda antiga

Compare como essas ações mudaram e o que ainda é válido fazer

Se formos comparar o namoro nos dias de hoje com o de tempos atrás, com certeza, vamos ver que uma série de comportamentos se alteraram bastante em um período não tão longo. Nós listamos alguns aspectos que mudaram e damos sugestões do que ainda pode ser feito atualmente.

Aval familiar

Uma atitude que parece que se perdeu é do homem pedir permissão aos pais da moça para namorá-la. Alguns vão dizer que isso é antigo e que os pais dela não têm nada a ver com a escolha da filha, mas a questão não é essa. Ao pedir a garota em namoro subentende que o homem quer algo mais sério com ela. Por respeito, o mínimo que o homem de caráter pode fazer é conhecer os pais e se apresentar à família e ter o aval para manter esse relacionamento.

Flores

Hoje parece mais difícil o homem dar flores à mulher. Muitas delas até podem dizer que é cafona e antigo, mas a verdade é que elas ainda curtem esse tipo de atitude por parte do homem. Além de aguçar o relacionamento, é uma maneira dele valorizar a companheira. Cabe ao homem estabelecer momentos especiais ou fazer uma surpresa e presentear a esposa ou namorada com um belo buquê. Com certeza, ela vai gostar.

Abrir a porta do carro

Andar de carro com a esposa ou namorada é algo corriqueiro. Nos veículos modernos, abrir as portas se tornou muito mais fácil e cômodo, pois o controle as destrava automaticamente com o simples apertar de um botão. Mas note, quando eu falo “destrava as portas” não significa que o homem não possa aproveitar que a porta da carona está destravada e fazer a gentileza de abri-la pelo lado de fora para que a mulher possa entrar ou sair. Parece antigo, mas é até charmoso e educado.

Conta

Mas, se quando falamos em abrir a porta do carro você já estranhou, imagine quando o assunto é o pagamento da conta do restaurante. Para muitas mulheres, a atitude do homem pagar a despesa sozinho pode ser considerada totalmente machista e contrária aos novos tempos, mas há controvérsias. Nesse caso, o bom senso deve sempre prevalecer. Cabe ao homem avaliar em que momento é legal dividir ou assumir completamente a conta.

Contato

Outro aspecto que mudou com o passar do tempo tem relação direta com a internet. Ela deixou a troca de informações entre as pessoas muito mais rápida. Antes, um homem e uma mulher costumavam se falar por telefone ou até por carta, o que levava mais tempo para que se comunicassem. Talvez seja por isso que, antigamente, as pessoas davam mais valor umas às outras – afinal, não era sempre que se falavam. Um dos efeitos colaterais dessa tecnologia é que o homem monitora os passos da namorada ou esposa o tempo todo. Um homem seguro não precisa fazer uma marcação cerrada, a todo momento. Ele deixa a companheira respirar, sem confundir isso com desleixo, uma atitude saudável para o relacionamento, se for feita na medida certa, sem exageros.

Cultivo

Fica claro que as mudanças no modo de agir de um casal têm relação direta com a modernidade, com as tecnologias, com a internet, e que elas acompanham a época em que vivemos. Mas, ainda sim, é possível discordar e adotar ações que eram costumeiras anteriormente como uma forma de manter as relações mais duradouras e saudáveis. Cabe a você cultivá-las.


  • Por Eduardo Prestes/ Ilustração: Eder Santos  


reportar erro