Rede aleluia
Amnésia alcoólica: sintoma de doença grave
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 28 de outubro de 2018 - 20:48


Amnésia alcoólica: sintoma de doença grave

Esquecer o que fez enquanto estava bêbado pode representar um grande risco à saúde

Amnésia alcoólica: sintoma de doença grave

Metade dos adultos já se esqueceram o que fizeram enquanto estavam bêbados. Essa é a conclusão a que chegou a professora de ciências sociais e comportamentais Kate Carey, da Universidade Brown (EUA). De acordo com ela, as pessoas não percebem o que está acontecendo enquanto embriagadas, mas no dia seguinte sofrem o chamado “blecaute”.

Existem dois tipos de amnésia pós-bebedeira:

– O blecaute fragmentado, que representa a situação em que o bebedor se esquece de algumas coisas que fez enquanto embriagado, mas não de tudo. Com esforço, alguns podem relembrar o que se passou;

– E o blecaute total, caracterizado por amnésia absoluta de diversas horas passadas enquanto bebia.

Ambos os casos acontecem quando a bebida alcoólica é ingerida em quantidade capaz de inibir a ação do hipocampo, área do cérebro que tem papel crucial em consolidar as memórias do nosso cotidiano.

Isso acontece, em geral, quando se bebe muito em pouco tempo e de estômago vazio, fazendo com que a concentração de álcool no sangue suba abruptamente.

Pior do que esquecimento

Muitos não levam a sério os riscos acarretados pela bebida alcoólica. Isso acontece porque é uma droga lícita frequentemente propagandeada por grandes empresas como algo inofensivo à saúde, o que não é verdade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo menos 3 milhões de pessoas morrem todos anos em decorrência do abuso de álcool, o equivalente a quase 6% das mortes totais registradas no mundo. Entre os jovens que têm de 20 a 39 anos de idade essa percentagem sobe para 25%.

Em seu blog, o Bispo Edir Macedo alerta que “o pior é que muitos pais ignoram o fato de que bebida alcoólica também merece atenção, principalmente porque o álcool também é considerado um tipo de droga, apesar de lícita. Mesmo assim, ela é a mais consumida entre os jovens e a que é usada mais cedo, com média de idade de 12,5 anos”.

Segundo pesquisa realizada em parceria com os Ministérios da Educação e da Saúde, 55% dos estudantes do 9º ano do ensino fundamental (14 anos de idade, em média) já consumiu doses de álcool alguma vez na vida. Desse total, 21,4% já sofreram algum episódio de embriaguez. Muitos desses beberam a ponto de sofrerem blecautes.

A amnésia causada em decorrência do álcool não é o único sintoma de elevar demais o nível da substância no sangue. Quando isso acontece a pessoa já está intoxicada pelo álcool, comprometendo a tomada de decisões e adotando comportamento de risco, como entrar em brigas ou dirigir embriagado.

Sofrer com blecautes, de acordo com o Instituto Nacional de Abuso do Álcool e de Alcoolismo dos EUA (NIAAA, na sigla em inglês) é um dos principais sinais de alcoolismo, doença que leva à morte.

Se você está enfrentando esse problema, procure a Universal mais próxima de sua casa e se informe sobre o Tratamento Para a Cura dos Vícios, projeto desenvolvido com a finalidade de ajudar as pessoas que querem se libertar desse mal.

Participe das palestras que acontecem todos os domingos, às 15h e às 18h, na Avenida João Dias, 1.800, em Santo Amaro, zona sul de São Paulo. Para mais informações, você pode acessar agora mesmo o site www.viciotemcura.com e entrar em contato diretamente com a equipe do Tratamento pelo WhatsApp.


Amnésia alcoólica: sintoma de doença grave
  • Andre Batista / Imagem: iStock 


reportar erro