Rede aleluia
Ministra Damares Alves afirma que adolescentes estão usando fraldas geriátricas para não abandonar jogo
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 20 de novembro de 2020 - 00:48


Ministra Damares Alves afirma que adolescentes estão usando fraldas geriátricas para não abandonar jogo

Em entrevista, Damares fala sobre o programa de conscientização anunciado, recentemente, pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

Ministra Damares Alves afirma que adolescentes estão usando fraldas geriátricas para não abandonar jogo

Não é de hoje que a dependência de tecnologias é discutida entre especialistas. A cada dia que passa, mais pessoas estão se tornando reféns do que deveria ser apenas um facilitador do seu dia a dia. 

Um estudo feito pela King’s College, em Londres, na Inglaterra, apontou que quase um quarto dos jovens têm características de viciados em celular, por causa da sua dependência no aparelho. 

De acordo com o estudo, que analisou mais de 42 mil jovens, as pessoas ficam “em pânico” ou “chateadas” se o aparelho lhes for negado. Além disso, o levantamento britânico também apontou que este vício pode estar ligado a outros problemas como o estresse, a tristeza, mau desempenho na escola e falta de sono.

No Brasil, um levantamento feito pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), com mais de 2 mil adolescentes, revelou que ao menos 25% dos jovens são dependentes de internet, de forma moderada ou grave. O estudo foi realizado com jovens entre 15 e 19 anos da rede pública e privada de educação. 

Perigo constante

Diante deste cenário crescente no País, nos últimos dias, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos anunciou uma campanha de conscientização sobre os riscos da exposição de crianças na internet. 

Por meio da campanha “Navegar numa boa”, a pasta pretende compartilhar ferramentas para que os pais consigam proteger seus filhos do mau uso das tecnologias e alertar sobre os riscos do vício. 

Em entrevista à Rede TV, a ministra Damares Alves fez um alerta sobre o que já tem acontecido no Brasil. 

“Nós já temos informações, aqui no ministério, de adolescentes no Brasil que estão comprando e usando fraldas geriátricas para não se levantar da mesa, porque o jogo não pode ser interrompido. Levam [até] a comida para sua bancada…”, revelou a ministra. 

Segundo a ministra, “as famílias vão precisar falar sobre isso”, porque, de acordo com ela, “o vício tecnológico é tão perigoso quanto em cocaína [por exemplo]”, afirmou. 

Além do mais, a ministra ainda reiterou que “o tratamento de desintoxicação para o vício tecnológico é igual para um tratamento para a dependência química”, enfatizou.

Por isso, a ministra, também, fez questão de falar da gravidade do problema, deixando um recado: “Atenção, pais: não é brincadeira! Isso é muito sério e nós precisamos conversar com vocês [alertá-los] sobre os riscos do vício tecnológico, mas, também, os demais riscos que as crianças correm nas redes sociais e na internet, sem estar acompanhadas dos pais”, completou.

Indústria bilionária

Nesta segunda-feira (23), o Bispo Renato Cardoso, em seu programa “Inteligência e fé”, transmitido diariamente pela Rede Aleluia (99,5), comentou sobre a notícia dizendo que “assim como não deixamos menores dirigirem também deveria existir mais regulamentos com respeito ao uso da internet e a questão do videogame”.

Isso porque, de acordo com o Bispo, a indústria do videogame é bilionária e tem os jovens como principal público-alvo, “porque eles estabelecem hábitos, costumes, desde a juventude”.

Vício tem cura

Caso esteja passando (ou conhece alguém que esteja enfrentando) problemas semelhantes aos relatados acima – além de outros vícios – acesse esse link (clique aqui) e conheça o Tratamento especial que a Universal realiza todos os domingos.

Esse Tratamento é procurado por milhares de pessoas que sofrem as consequências dos vícios há muitos anos, que já buscaram ajuda em diversos locais, porém não obtiveram resultado positivo. “Você pode, sim, livrar-se dos vícios que fazem parte da sua vida e ser feliz de verdade”, diz um trecho do texto no site oficial.

A cura dos vícios é uma luta que, quando decidida a ser travada até o fim, é vencida por cada pessoa que faz parte desse Tratamento. Não deixe de participar!


Ministra Damares Alves afirma que adolescentes estão usando fraldas geriátricas para não abandonar jogo
  • Rafaela Dias / Fotos: Getty Images  


reportar erro