Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 22 de março de 2020 - 00:05


Ação ambiental ajuda a reflorestar MadagÁscar

País africano corre o risco de virar um deserto

A floresta pluvial de Madagáscar deixará de existir em 2070 e dará lugar a um deserto inabitável. Esta é a previsão de uma pesquisa publicada na revista Nature Climate Change. A maior ilha da África e a quarta mais extensa do mundo passa por um ritmo de desmatamento intenso que preocupa ambientalistas e governantes, visto que o país é um dos locais com maior concentração de biodiversidade do mundo e em que 80% a 90% da fauna e da flora são exclusivos da área.

Diante dessa realidade, o programa social Força Jovem Universal (FJU) de Madagáscar se uniu a um projeto do governo local para ajudar a reverter o desmatamento.

Recentemente 1.200 voluntários se uniram para plantar 5 mil mudas de árvores como jacarandás, acácias e pinheiros – espécies escolhidas porque crescem rapidamente e são robustas. As mudas foram doadas pelo Ministério do Meio Ambiente, que enviou técnicos ao local para treinar os voluntários no cultivo das plantas.

O técnico do Ministério do Ambiente de Madagáscar Jean Claude considera a ação importante para o país, mas também como aprendizado para os jovens. “Temos na FJU um exemplo de força e determinação. Ensinar e orientar os jovens para essa ação é primordial porque esse aprendizado será para toda a vida”, disse.

A estudante Nomena Jemima afirma que se sente privilegiada em poder contribuir com o desenvolvimento do seu país. “Para mim é um privilégio ajudar. É preciso muita força de vontade para realizar essa ação. Nós estamos aqui com todo entusiasmo por um Madagáscar mais verde.”

Um país em chamas
O governo de Madagáscar tem como objetivo plantar 60 milhões de mudas em 40 mil hectares até abril. Apenas em 2018, 2% da floresta tropical primária foi desmatada.


  • UNICom/ Fotos: Cedidas 


reportar erro