Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 24 de março de 2020 - 00:28


A sobrecarga fez a personal trainer Elaine apresentar sintomas que não compreendia

Mas sua vida mudou, após assistir a um programa da Universal. Conheça a sua história na íntegra

A personal trainer Elaine Alves Batista, de 39 anos, enfrentou algumas lutas ainda muito jovem. Ela sofreu muito com a separação dos pais. A mãe a sobrecarregou com a responsabilidade de cuidar da casa. Depois, chegando na fase adulta de sua vida, e com uma cobrança direcionada especialmente às conquistas financeiras, depositou todas as suas forças nos estudos. Ingressou em uma Universidade, fez Pós-Graduação e curso de idioma.

A pressão fez com que a profissional – que sempre prezou pelo cuidado com a saúde do corpo – começasse a apresentar sintomas que nem ela mesma compreendia. Elaine passava muito mal com enjoos, queria dormir o tempo todo e tinha medo de sair na rua. Um dia, ao acordar, simplesmente desabou a chorar. Tinha uma sensação de morte.

Elaine procurou um amigo, um médico renomado, que afirmou que não encontrara nenhum sintoma fisiológico que justificasse o que ela estava sentindo. E, pediu que procurasse profissionais da área de saúde mental. Então, ela passou por quatro psicólogos. Também foi a um psiquiatra, que disse que a medicaria para ajudá-la a sobreviver. Contudo, houve dias em que os sintomas eram tão intensos que a medicação não adiantava.

Cuidava dos outros, mas sentia um vazio

Apesar de tudo, Elaine não deixava transparecer aos alunos o que estava passando. Era alegre em suas aulas, cuidava das outras pessoas, mas por dentro sentia um vazio enorme, estava destruída. Isso se refletia também na vida amorosa. Era tão carente que se relacionava com qualquer pessoa, se humilhava e implorava atenção de quem a desprezava.

Uma madrugada, ao chegar em casa depois de um balada, como hábito, ela ligou a televisão. Estava passando um programa da Universal que relatava exatamente como era a vida dela naquele momento. E, durante o programa um convite foi feito para ir até o Templo de Salomão. Quer saber se Elaine aceitou o convite?

Assista ao vídeo abaixo e descubra o que aconteceu:

 


  • Redação / Foto: Reprodução 


reportar erro