Rede aleluia
A nova entrevista de emprego
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 29 de Novembro de 2020 - 00:05


A nova entrevista de emprego

Agora os candidatos precisam se preparar para testes on-line

A nova entrevista de emprego

O Brasil tem hoje um grande número de desempregados. São mais de 13,8 milhões de pessoas nessa condição, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Por isso, quem está à procura de recolocação precisa se preparar para uma nova realidade: as seleções virtuais. A mudança de hábitos provocada pela pandemia de Covid-19 acelerou a modificação de processos que antes eram pouco adotados pelas empresas. Um deles é a entrevista de emprego por vídeo.

Para a psicóloga Luciane Vecchio, master coach e especialista em recursos humanos, carreira e liderança, o preparo, a dedicação e o treino devem ser os mesmos tanto em processos seletivos on-line como no presencial. “O candidato deve permanecer reconhecendo que se trata de um momento de avaliação, em que ele se enquadra nas competências técnicas e habilidades comportamentais requeridas pelas empresas, e focar em como se preparar para ter mais sucesso. O que mudou foi o formato e a agilidade, mas é necessário não negligenciar na organização, na rotina de estudos e na busca de aprimoramento”, adverte.

Algumas empresas já usavam essa modalidade em seleções. “É algo que veio para ficar. Se pensarmos em home office e em quantas pessoas não vão mais presencialmente às empresas, é um processo que só avança. Além da diminuição de custos com deslocamentos, temos a produtividade mais alta e o melhor uso do tempo”, analisa.

Também aumentou o número de empresas que pedem, além do currículo em formato de texto, uma apresentação em vídeo. “É importante ter o currículo formal como base para gravar. Normalmente, o tempo é curto (de quatro a seis minutos). Se tiver perguntas fechadas, siga cada uma e monte um roteiro antes de gravar. Vale montar um texto de apresentação falando da sua história, de quem é, sua idade, seu estado civil, se tem filhos e não esqueça de destacar sua formação acadêmica e suas experiências profissionais de forma resumida, ressaltando palavras e pontos-chave”, orienta.

Para a psicóloga Valdirene Lins, coordenadora de seleção da Electi Serviços e pós-graduada em orientação profissional e MBA em gestão empresarial, nesse processo é muito importante que o candidato conheça com antecedência as plataformas de vídeo disponíveis no mercado. “Esteja sempre atualizado com as novas plataformas que surgem. Assim, caso receba um link, você terá facilidade de entrar na sala de entrevista sem atrasos nem ansiedade.”

Como as pessoas agora estão falando de casa, elas estão sujeitas a interrupções, como o barulho do vizinho ou dos filhos e até da obra na rua. “Nesses novos tempos é compreensível que existam imprevistos e o entrevistado deve manter a calma e seguir com naturalidade.

Caso a interferência esteja atrapalhando em demasia, ele pode perguntar ao selecionador se pode seguir ou se ele prefere reagendar para que não seja prejudicado”, diz Valdirene.

O candidato também pode ser questionado sobre como se preparou durante a quarentena. “Ficar chorando em casa não vai resolver nada.

O melhor é arregaçar as mangas, estudar, se preparar, fazer cursos (há muitos gratuitos) e mostrar que manteve uma rotina, se preparou e usou sabiamente o seu tempo”, conclui Luciane.

Se você quer desenvolver a sua visão para encarar essas inovações e se destacar, participe das reuniões do Congresso para o Sucesso, às segundas-feiras, na Universal mais perto de você.


A nova entrevista de emprego
  • Eduardo Prestes / Foto: Getty images / Arte: Edi Edson 


reportar erro