Rede aleluia
“A Jaqueline do carnaval morreu”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 4 de março de 2019 - 00:05


“A Jaqueline do carnaval morreu”

Embora parecesse feliz nas festas em que dançava e nas fotos e filmes que fazia, Jaqueline tinha uma vida totalmente vazia

“A Jaqueline do carnaval morreu”

Jaqueline alcançou o sonho de milhares de outras mulheres adeptas do carnaval: ser passista em uma escola de samba. Mais do que isso, ela conquistou a oportunidade de se apresentar em três escolas diferentes ao mesmo tempo. Eram inúmeras viagens, fotos e filmagens. O carnaval era tudo para ela. Até que “a Jaqueline do carnaval morreu”, afirmou a própria Jaqueline ao responsável por organizar as apresentações. “Pode cancelar todos os shows e viagens, porque agora você está falando com a Jaqueline serva de Deus”.

Naquele dia, a moça abandonou tudo o que tinha conquistado no mundo do carnaval. Deixou para trás a Jaqueline do carnaval e renasceu uma nova mulher, uma Jaqueline pronta para servir ao Senhor.

Mas por que ela abandonou o carnaval?

Embora parecesse feliz nas festas em que dançava e nas fotos e filmes que fazia, Jaqueline tinha uma vida totalmente vazia. Ela realmente utilizava uma máscara de alegria quando se apresentava, mas a tirava assim que chegava em casa.

“Depois que passava todo aquele brilho, que a câmera não estava mais filmando a gente, eu chegava em casa e vinha a depressão. Eu me sentia suja, usada”, relembra a jovem. “Eu me sentia pior ainda, vazia. Então eu só pensava em suicídio.”

Com essa vida dupla – feliz durante o dia, deprimida durante a noite – ela sofreu durante anos. Além da tristeza de um relacionamento ruim com a família, e de um casamento destruído por brigas e traições, Jaqueline ainda tinha dificuldades financeiras. Isso por conta do carnaval.

“Eu gastei muito tempo e muito dinheiro em escola de samba. Meu salário inteirinho era para o carnaval. Eu tinha que investir em roupa para a escola de samba”, conta ela.

Jaqueline esteve, neste domingo (03), no programa “Entrelinhas”, exibido pelo Univer vídeo. Confira o seu testemunho no vídeo abaixo:

Tantas Jaqueline por aí

Como o testemunho acima, outras milhares de pessoas preenchem o vazio que carregam em si com a felicidade temporária e mentirosa do carnaval. Ao voltar para casa, porém, a depressão retoma seu espaço.

“Para muitos o carnaval é a festa da alegria, festa da folia. Mas, espiritualmente falando, carnaval significa festa da carne”, explicou o Bispo Renato Cardoso em reunião realizada no Templo de Salomão. “As pessoas liberam os excessos, liberam os seus desejos carnais para completá-los durante o carnaval. Então, quem tinha vontade de se prostituir, se prostitui. A pessoa que nunca bebeu, bebe no carnaval. O primeiro gole da bebida geralmente é no carnaval. O primeiro trago. O primeiro tiro de cocaína. A primeira experiência sexual”.

O Bispo explica que nesse período os espíritos malignos se aproveitam dessa festa da carne para levar as pessoas ao erro. O carnaval, assim, torna-se um período do ano em que todos os pecados ganham adeptos. Assim sendo, é muito importante tomar cuidado os lugares por onde se anda nesse período.

“Porque você pode odiar carnaval, mas você está inserido numa sociedade onde muitos estão vivendo esse momento com toda a força, tirando os limites. Removendo os seus limites para fazer e justificar isso atrás da desculpa do carnaval”, conclui o Bispo.

Proteja-se! A Universal realizará o Jejum do Espírito Santo entre os dias 28 de fevereiro e 06 de março. Durante o Jejum, você poderá aproveitar esse período onde tantos estão na festa da carne para promover uma aproximação espiritual com Deus.


“A Jaqueline do carnaval morreu”
  • Andre Batista / Imagem: Danilo Amaral 


reportar erro