eb3c52f78ce3362254213324871c7984 Os dons do Espírito Santo - Universal.org

Os dons do Espírito Santo

Por bispo Edir Macedo (*) / Foto: The Bible Divulgação

Muitas pessoas sinceras, mas ignorantes do pleno conhecimento de Deus, dizem que, no passado, foi o próprio Jesus quem fez os milagres e que os apóstolos também o fizeram porque foram especialmente comissionados para isto. A verdade é que, se naquela oportunidade, o Senhor estava com os apóstolos de uma forma física, hoje temos o mesmo Senhor, na Pessoa do Espírito Santo, não ao nosso lado, porém, dentro nós.

Deus nunca mais vai usar homens do passado para dar continuidade à Sua Obra, pois eles foram usados por Ele nas suas respectivas épocas. Hoje, Deus quer usar cada um que vive, crê e tem a plena certeza de fé na pessoa do Seu Filho Jesus Cristo. Por isso mesmo existem os frutos e dons do Espírito Santo, a fim de capacitar os cristãos de hoje para o trabalho que o Senhor tem destinado para cada um deles.

Outra coisa que devemos assinalar sobre este assunto e que registramos como de maior importância dentro da Obra de Deus neste mundo é o fato de que tanto os frutos como os dons são exclusivamente de propriedade do Espírito Santo. Acerca dos dons, o próprio Espírito de Deus, através de Paulo, nos dá infomações, dizendo:

"Sabeis que, outrora, quando éreis gentios, deixáveis conduzir-vos aos ídolos mudos, segundo éreis guiados. Por isso, vos faço compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus afirma: Anátema, Jesus! Por outro lado, ninguém pode dizer: Senhor Jesus!, senão pelo Espírito Santo." 1 Coríntios 12.2-3

Isto significa que ninguém pode amaldiçoar o Senhor Jesus pelo Espírito Santo. Por outro lado, ninguém pode dizer: Senhor Jesus! Senão pelo Espírito Santo. Também quer dizer que ninguém pode expressar o nome de Deus se não for inspirado pelo Espírito Santo. Em resumo: todo o bem provém do Espírito Santo através de nós e todo o mal do diabo através daqueles que o praticam.

É claro que isto não significa que, quando há uma prática do bem, a pessoa esteja automaticamente possuída pelo Espírito Santo, bem como, quando a pessoa pratica um mal esteja possuída pelo demônio. Entretanto, é absolutamente certo que se algum ato é para o bem, então há uma "inspiração" do Espírito de Deus, muito embora o diabo e seus demônios também usem do artifício de “fazer caridade” com o intuito de ganhar a confiança dos seus fiéis, fazendo-os acreditar que eles são de Deus.

É preciso que haja um discernimento espiritual a fim de saber com que finalidade ou a troco de quê são realizados estes benefícios. Porque o diabo pode muito bem encaminhar a pessoa para fazer caridade e, muito sutilmente, devagarzinho, lá pelo meio do caminho, vai desviando a sua mente, desencaminhando seu destino, até a possessão completa e, consequentemente, à cegueira total, para impedi-la de discernir entre o bem e o mal. Este é o caso de algumas seitas espiritualistas, sejam elas da linha que for, não importa o colorido ou a capa que tenham, porque está escrito: "tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes." 2 Timóteo 3.5

Para os cristãos, "os dons são diversos, mas o Espírito o mesmo!" Há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. Há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. A manifestação do Espírito Santo é concedida a cada um, visando a um fim proveitoso, como podemos verificar: "Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente." 1 Coríntios 12.11

Podemos concluir que ninguém possui um fruto ou um dom especial, porque todos eles pertencem ao Espírito do Senhor Jesus Cristo. O que acontece realmente é que se alguém manifesta um dom, o Espírito o usou para aquele determinado serviço. Entretanto, o dom pertence apenas ao Espírito do Senhor, e nunca a alguém, mesmo que este seja o pastor ou o bispo.

É extremamente importante saber desses fatos, porque isto faz diluir qualquer aparência de orgulho ou vaidade pessoal. Quando Saul foi ungido rei sobre Israel, tornou-se profeta entre os demais profetas; achando-se proprietário desta unção, sentiu-se no direito de substituir o profeta Samuel e oferecer holocausto e ofertas pacíficas diante de Deus, no que foi imediatamente reprovado por Cristo. Assim, muitos também se acham donos daquilo que pertence apenas a Deus, vaidosos trilham por esse caminho, que à primeira vista traz o sucesso, mas na realidade é o caminho da perdição. Tal qual o pecado: na boca é doce como o mel, mas no estômago amarga como o fel.

(*) Texto retirado do livro "O Espírito Santo", do bispo Edir Macedo

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente

Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaela Dias, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 2392-3372

Endereço: Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000