Jornais portugueses são forçados pela justiça a desmentir acusações sobre suposto tráfico de crianças pela Universal

Da Redação / Foto: UNIcom

Desde dezembro do ano passado, a Igreja Universal do Reino de Deus tem sido vítima de um ataque midiático sem precedentes por parte da emissora portuguesa de televisão TVI, criada por grupos ligados à Igreja Católica. Durante uma série de reportagens, a TVI acusou a Universal de tráfico de crianças que eram mantidas no Lar Universal, na década de 1990.

Todas as acusações feitas pela emissora foram desmentidas, assim como diversas matérias publicadas em jornais de Portugal.

Entenda o caso

O Lar Universal acolhia crianças em situação de risco encaminhadas por hospitais, pela assistência social, pela polícia e pela Justiça.

Recentemente, A TVI promoveu uma série de matérias acusando a Igreja Universal de traficar crianças do lar, afirmando, repetidas vezes, que os pais não foram citados no processo judicial que avaliava a adoção de três irmãos acolhidos na instituição.

Em nota, a assessoria de imprensa da Universal (UNIcom) desmentiu a acusação: “É mentira. Nos autos da ação consta que eles foram legalmente informados do curso do processo.”

Direito de resposta no jornal Expresso

O jornal português Expresso publicou uma matéria intitulada “Atual procuradora-geral da República coordenava equipe que autorizou adoções da IURD”, no qual afirmava que a Universal estaria envolvida numa “rede internacional de adoções ilegais”.

A Universal ganhou o direito de resposta na publicação. Leia abaixo:

“Todas as afirmações são falsas, atingem de uma forma inaceitável o bom nome e a reputação da IURD.

A referida instituição recebia crianças, todas elas lá colocadas no seguimento de pedidos de proteção e promoção, emitidos por tribunais ou pelas próprias comissões especializadas na proteção de menores. Essas crianças eram continuamente acompanhadas por técnicas da Segurança Social, que frequentemente se deslocavam à referida instituição.

É falso que tenha existido qualquer manipulação dos processos ou falsificação de informação. Em momento algum 'desapareceram menores' retirados das famílias biológicas.

Clique aqui e leia a matéria na íntegra

Direito de resposta no jornal Correio da Manhã

O jornal Correio da Manhã publicou a matéria intituladaCerca de 30 crianças adotadas em lar ilegal da IURD”, afirmando também que menores teriam sido adotados ilegalmente por bispos e pastores da Universal.

Assim como em todas as matérias anteriores, a Igreja também ganhou o direito de resposta no periódico. Veja abaixo:

"O jornal Correio da Manhã publicou o artigo intitulado ‘Cerca de 30 crianças adotadas em lar ilegal da IURD’, no qual é afirmado que cerca de trinta crianças teriam sido adotadas ilegalmente num lar que fazia parte da obra social da IURD, por bispos e pastores da IURD.

Todas essas afirmações são manifestamente falsas e atingem de uma forma inaceitável o bom nome e a reputação da IURD.

A referida instituição recebia crianças, todas elas lá colocadas no seguimento de pedidos de proteção e promoção, emitidos por tribunais ou pelas próprias comissões especializadas na proteção de menores. Essas crianças eram continuamente acompanhadas por técnicas da Segurança Social que frequentemente se deslocavam à referida instituição."

Clique aqui e leia a matéria completa no site.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente

Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach e Eliana Caetano

Editora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Maria do Rosário, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 3321-5244

Endereço: Rua dos Missionários, 139, Santo Amaro - São Paulo (SP)

Cep: 04729-000