Notícias | 16 de setembro de 2019 - 12:23


Mulheres em Ação participa de atividades em prol da população carcerária feminina na África do Sul

O grupo se reuniu para visitar três centros correcionais em Pretória, Porto Elizabeth e Cidade do Cabo, levando uma palavra de motivação e esperança

Um dedicado trabalho de atendimento social e também de integração e ressocialização. Dessa maneira, o Mulheres em Ação (Woman in Action) na África do Sul desenvolveu, recentemente, atividades em prol da população carcerária feminina no país. O grupo se reuniu para visitar três centros correcionais em Pretória, Porto Elizabeth e Cidade do Cabo.

Formado por esposas de pastores que atuam no trabalho de evangelização no país, o grupo levou motivação e esperança a centenas de mulheres. Além disso, deixou uma mensagem de que todas podem aprender com os erros e que, embora reclusas, não foram esquecidas por Deus.

Kgosi Mampuru, em Pretória

Cerca de 300 detentas participaram da ação, que contou com a presença da representante do Departamento de Serviços Correcionais, Daisy Hlalethoa, e do capelão, Reverendo William Lethebe Manaka. Ele iniciou a recepção de boas-vindas com uma oração e um agradecimento.

“Digo isso todos os anos, pois, realmente apreciamos o auxílio, o cuidado e a atenção que o grupo Mulheres em Ação mostram às nossas detentas. O envolvimento do grupo torna possível transformar vidas e devolvê-las como mulheres reformadas à sociedade”, disse. Ele explicou que reabilitar com sucesso e garantir que não recaiam quando libertas é essencial.

Marcia Pires, fundadora do grupo, também, esteve presente no encontro e deixou uma reflexão. “Talvez você tenha passado a vida pensando que não era boa o suficiente. Comparando-se e achando que as outras eram mais bonitas, mais espertas e melhores financeiramente. Esse é um padrão de pensamento comum quando baseamos nosso valor em coisas externas, não em nosso valor interior. E, esse pode ser o motivo pelo qual está encarcerada agora.”

Ela ainda enfatizou a importância de cada reclusa entender e aceitar o seu valor próprio. “Se você não vê que é valiosa, há uma chance de voltar a ter um comportamento prejudicial após a sua liberdade. Você precisa saber quem é diante de Deus. A única maneira de vermos o nosso verdadeiro valor é olhando-nos através dos olhos de Deus. Quando nos vemos como Deus, nosso Criador, nos vê, começamos a reconhecer o nosso valor”, afirmou.

Aprender a superar as circunstâncias

Na ocasião, representantes do grupo Universal nos Presídios (UNP) entregaram os certificados de conclusão do curso “Nada a Perder” a 20 mulheres.

Baseado na trilogia de livros do Bispo Edir Macedo, o curso oferece aulas que ajudam as detentas a entender e aceitar suas ações e consequências. Além disso, elas aprendem a superar todas as circunstâncias difíceis pelas quais estejam passando.

Nesse ínterim, ainda houve uma apresentação de coral. Às detentas foram distribuídos produtos de higiene pessoal. Também foi servido um almoço comunitário para todos, inclusive funcionários. Ao final da ação, Márcia Pires fez uma oração pelas mulheres.

Centro correcional North End

Em Porto Elizabeth, o Pastor Ivanir de Moraes, responsável pelo trabalho da UNP na África do Sul, fez uma oração por todas e mencionou que, embora todas desejem deixar o centro correcional, muitas retornam a uma vida de crime. Contudo, elas podem ter a sua vida transformada, se conhecerem verdadeiramente a Deus.

Durante o encontro, Ana Lilian, responsável pelo grupo Mulheres em Ação em Porto Elizabeth, passou para as cerca de 100 detentas da unidade uma mensagem de incentivo e reflexão. Também houve apresentação  de uma peça de teatro. A encenação passou a mensagem de como a alma é muito preciosa para ser cedida ao vício e à ganância, e perdida para o diabo.

As reclusas também receberam agrados como doces, lanches e uma sacola com produtos de higiene pessoal. Além de um bolo de confraternização.

Centro correcional Pollsmoor

Na Cidade do Cabo cerca de 300 detentas participaram do evento, que contou com a presença do Pastor Wagner Barreto, responsável pelo trabalho da Universal na cidade, além de Alessandra Barreto, responsável pelo grupo Mulheres em Ação na região.

No local, também aconteceu uma peça teatral e foi encenada sob a temática de como encher um coração vazio. Não com dinheiro, amizades, festas e vícios. Pois, somente o Senhor Jesus é capaz de preencher o vazio da alma. Ao final do encontro, cada detenta recebeu produtos de higiene pessoal e um lanche especial foi servido a todas.

Mulheres em Ação na África do Sul

A visita a presídios femininos é um evento anual organizado pelo grupo Mulheres em Ação na África do Sul, durante o mês de agosto, quando se comemora o mês das mulheres no país.

Gostou do texto e quer saber mais sobre o grupo Mulheres em Ação e também outros assuntos? Então, acompanhe, diariamente, as matérias publicadas no universal.org e mantenha-se informado sobre reuniões, ações e eventos dos projetos e grupos de voluntários da Universal.

Ademais, seja também um voluntário. Encontre o endereço de uma Universal mais próxima de você.


  • Michele Roza / Fotos: Cedidas 


reportar erro