Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Analgésicos: O abuso de drogas prescritas está a crescer

Enquanto o consumo de muitas drogas de rua esteja em ligeiro declínio nos EUA, o abuso de drogas prescritas está a crescer. Em 2007, 2,5 milhões de americanos abusaram de drogas prescritas pela primeira vez, comparados com os 2,1 milhões que consumiram marijuana pela primeira vez.

Entre os adolescentes, as drogas prescritas são as mais usadas com números aproximados aos da marijuana, e quase metade dos adolescentes que abusam de drogas prescritas estão a tomar analgésicos.

Porque é que tantos jovens estão a mudar para as drogas prescritas para ficarem eufóricos?

De acordo com uma pesquisa, quase 50% dos adolescentes acreditam que tomar drogas prescritas é muito mais seguro do que usar drogas ilícitas.

O que a maioria dos jovens não conhece é o risco que correm ao consumir essas drogas altamente potentes e alteradoras da mente. O uso de analgésicos a longo prazo pode levar à dependência, até mesmo para as pessoas que recebem a prescrição para alívio de uma condição médica mas acabam por cair na armadilha do abuso e da dependência.

Em alguns casos, os perigos dos analgésicos não vêm à tona até que seja demasiado tarde. Em 2007, por exemplo, o abuso do analgésico Fentanyl matou mais de 1000 pessoas. Descobriu–se que era trinta a cinquenta vezes mais poderosa que a heroína.