Rede aleluia
“Você se casou com um psicopata”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de Janeiro de 2021 - 18:39


“Você se casou com um psicopata”

A aluna Sandra foi casada durante um ano e meio. Ela conta que a relação era conturbada desde a época do namoro, pois o companheiro era muito ciumento e chegou a ameaçá-la de morte. Contudo, Sandra levou o casamento adiante e as coisas só pioraram, a ponto de o marido apontar uma faca para ela e deixá-la sem luz e sem gás. Depois de sofrer vários abusos, Sandra saiu de casa e deu entrada no divórcio, mas está magoada e precisa de aconselhamento.

“Você se casou com um psicopata”

Sandra – Fui casada durante um ano e meio. Desde a época de namoro o relacionamento foi muito conturbado, pois ele era muito ciumento. Ele já chegou a me levar em um lugar escuro falando que ia me matar e apagava o número das pessoas do meu telefone. Mesmo assim, levamos o casamento adiante, mas só piorou. Durante as discussões, ele chegou a pegar faca e vir para cima de mim. Também quebrou o vidro do carro e furou os quatro pneus. Tentamos lutar pelo relacionamento, compramos uma casa juntos, mas, após um mês que havíamos nos mudado, ele ficou com raiva porque meu irmão foi me visitar e os dois não se falavam. Depois disso, ele desligou as tomadas e o gás, trancou a casa com cadeado e eu fiquei dez dias vivendo nessa situação dentro de casa. Eu não tinha como comer e ele fazia marmita na casa de sua mãe. Resolvi dar um basta, saí de casa e dei entrada no processo de divórcio, mas gostaria que vocês me ajudassem. Estou magoada, batalhei tanto pelo casamento e ele fez tudo o que fez.

RENATO – Sandra, você deve estar com as duas mãos para o alto, de joelhos, dando graças a Deus que esse casamento acabou. Você se casou com um psicopata e colocou sua vida em risco. Ainda bem que não teve filhos com ele porque você foi louca, me desculpe. Ele te ameaçou de morte já no namoro e você ainda se casou com ele. Ele tem um problema, mas você também tem, tanto que está magoada. Você está preocupada por ele ter feito tudo o que fez, mas o que esperar de uma pessoa desequilibrada? O que ele fez é natural ao estado psicológico e emocional dele. Você se casou com um louco. A sua mágoa tem de ser com você, você tem que entender que se feriu, se permitiu entrar nessa situação e ainda lutou por um casamento desses. Então, Sandra, você já saiu do relacionamento com ele, mas o problema é que o que te levou a fazer isso está dentro de você. É isso que precisa ser resolvido.

CRISTIANE – Você não sabe o que é lutar por um casamento. O que você fez foi tolerar. Você tolerou tanto, aguentou tanto, cedeu tanto, relevou tanto, fingiu tanto não ver certas coisas, e isso não é inteligente. Quando falamos que é preciso ceder no relacionamento não significa ceder para esse tipo de coisa. Cedemos quando, por exemplo, os dois querem tomar um copo de água e falamos “pode tomar você”. Isso não vai fazer mal a nenhum dos dois. Não devemos ceder para sofrer, isso não é amor inteligente, é amor burro. Você tem de mudar a sua forma de pensar. Você está com mágoa dele, mas, na verdade, você deveria ter mágoa de si mesma por ter se submetido a tanta coisa. Sabe, amiga Sandra, o que levou você a tolerar tanta coisa é o problema que está dentro de você e que não será resolvido com o divórcio. Você deveria denunciá-lo à polícia, mas, tirando ele da equação, você se submeteu a isso tudo. Uma pessoa que se submete a abusos, maus-tratos e ameaças de morte tem um problema sério.

RENATO – Sandra, antes de se casar, você já havia se sujeitado a um namoro abusivo. Você tem mais problemas hoje do que tinha antes, pois se casou e precisa lidar com o divórcio. Agora é o momento de resolver a partilha de bens. Faça a parte legal e, se necessário, busque medidas protetivas (para evitar que seu ex-marido cometa outras violências contra você). Entretanto, você também precisa se curar, se tratar e resolver essas questões muito antes de sonhar em entrar em um novo relacionamento. Se você partir para outro relacionamento vai cometer outro erro.


reportar erro