Rede aleluia

Notícias | 16 de setembro de 2019 - 10:14


Quem são os fariseus do século 21?

Dentro da igreja, eles são servos aparentemente fiéis. Fora dela, são pessoas sem o caráter de Deus. Descubra se você tem agido assim e mude enquanto há tempo

“Quem você é quando ninguém da fé o observa?” Essa pergunta nunca foi tão necessária como nos dias atuais. Isso porque, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de cristãos que se dizem evangélicos no País tem aumentado ano a ano – a ponto de as estimativas apontarem que a maioria da população será evangélica a partir de 2020. Mas, infelizmente, nem todos que se dizem cristãos têm honrado as Sagradas Escrituras como deveriam.

Podemos observar pessoas que arrotam santidade nos templos, mas fora deles agem como se nem conhecessem a Deus. É como diz o velho ditado “quantidade não significa qualidade”, ou seja, de nada adianta se dizer de Deus se suas condutas não comprovarem isso.

Está cada vez mais comum observar obreiros, evangelistas e membros que, quando estão nas igrejas, concordam com tudo o que está na Bíblia, mas quando estão fora dela, no trabalho, por exemplo, têm atitudes totalmente diferentes do que diz a Palavra de Deus.

Na prática, não hesitam em mentir para tentar alavancar os negócios, participam de conversas que blasfemam da fé, aceitam a aproximação indevida de pessoas do sexo oposto, desrespeitam o cônjuge, frequentam lugares que desagradam a Deus, etc.

Outras tantas, quando estão “sozinhas” em frente aos seus smartphones ou televisores, acessam imagens inadequadas, conversam com quem não deveriam, omitem informações do parceiro e chegam até a traí-lo – seja em pensamento, seja virtualmente, seja pessoalmente.

Não seja como os hipócritas
Podemos dizer que eles são “os fariseus do século 21”. Você se recorda deles na Bíblia? Nos tempos do Senhor Jesus, os fariseus eram muito apreciados pelo povo porque, na frente dele, se mostravam “homens de Deus”, mas, em sua grande maioria, eram hipócritas.

“Ora, vocês, fariseus, limpam por fora o copo e o prato, mas por dentro estão cheios de ganância e de maldade. Insensatos! Aquele que fez o exterior também fez o interior, não fez?” (Lucas 11.39-40).

O Senhor Jesus diz mais sobre os fariseus: “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Vós fechais aos homens o Reino dos céus. Vós mesmos não entrais e nem deixais que entrem os que querem entrar. Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Devorais as casas das viúvas, fingindo fazer longas orações. Por isso, sereis castigados com muito maior rigor.”
(Mateus 23.13-14).

Agora a pergunta é: qual a diferença dos fariseus daquele tempo e das pessoas que enchem o peito para dizer que são “filhas de Deus”, mas agem igual – ou até pior – do que aqueles que zombam do Altíssimo?

Nenhuma. E ter uma pessoa assim no meio cristão é perigoso por dois motivos: a pessoa engana a si mesma e prejudica, com seu mau testemunho, o ganho de futuras almas porque, afinal de contas, em que ela se diferencia das outras pessoas que zombam da fé?

E você sabe o que Deus fala a respeito de quem menospreza a fé? “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.” (Apocalipse 3.15-16).

É difícil imaginar esta cena: Deus sentindo-se tão enojado de alguém que acaba vomitando-o, mas é exatamente assim que Ele descreve o que fará com os mornos e os falsos na fé. Aqueles que se dizem “filhos” dele, mas adoram viver com um “pezinho” no mundo.

Ainda dá tempo de mudar
Se você se identificou com o que leu, acorde enquanto há tempo, porque Deus vê tudo, tudo mesmo, e conhece os desejos mais íntimos do seu coração. Não espere perder casamento, emprego ou a saúde para entender que suas atitudes estão trazendo o diabo de volta para a sua vida. Não espere que o pior aconteça para abandonar o que você considera “pequenas práticas mundanas” que “ninguém vê”.

“Do que adianta a pessoa oferecer milhões ou bilhões de reais no Altar, mas continuar com a sua vida de pecado? Muitas pessoas apresentam seus sacrifícios e conquistam bens materiais, pois Deus não deve nada a ninguém, mas suas vidas espirituais não mudam, pois estão em pecado. Vivem um falso cristianismo”, alerta o Bispo Edir Macedo.

Ele revela que agir assim é tentar unir a fé com a injustiça, manter um pé no mundo e outro na igreja. Pessoas com essas características se dão mal, já que não se pode esconder nada do Altíssimo. Mas o Bispo diz que é possível mudar quando há humildade de reconhecer a real condição: “a pessoa pode estar vivendo nesse erro, mas se for sincera e deixar de fingir ser cristã e quiser recomeçar do zero, Deus, na Sua infinita misericórdia, dá chance para que ela seja salva”, declara.

Um dos primeiros passos é ser sincero. E, a partir daí, obedecer a Deus em todos os momentos e lugares (principalmente quando ninguém está vendo você). É preciso buscar entender sua Palavra, sentir prazer em orar, em conversar com Ele e negar a si mesmo todos os dias.

Você só constrói um relacionamento se o cultivar. Assim é com Deus. De nada adianta dizer que O conhece se você não tem representado-o bem na sua intimidade.

Ele escolheu você e esse é um ótimo motivo para que você seja um exemplo de retidão por onde quer que passe. Não apenas para os outros, mas, principalmente, para si mesmo.


  • Ana Carolina Cury / Fotos: Getty Images 


reportar erro