Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de Maio de 2017 - 00:05


Leia a Bíblia em 1 ano – 131º dia

Números 20, Salmos 58 e 59 e Isaías 9

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento…” Oséias 4.6

Conhecer a Bíblia é muito importante para todos nós, especialmente nos momentos mais difíceis de nossas vidas, pois Deus fala conosco por meio de Sua Palavra. O Espírito Santo nos conduz, nos orienta, e quando passamos por tribulações, Ele nos faz lembrar do que está escrito na Bíblia, de uma Palavra de Deus que nos conforte. Mas só nos lembraremos se tivermos conhecimento Dela.

Por isso, elaboramos um plano para que você leia a Bíblia em 1 ano. Se você ainda não começou, clique aqui e comece agora, não deixe para amanhã. Você verá o quanto isso transformará a sua vida.

Se você já está nesse propósito, acompanhe a leitura de hoje:

Números 20

  1. Chegando os filhos de Israel, toda a congregação, ao deserto de Zim, no mês primeiro, o povo ficou em Cades; e Miriã morreu ali, e ali foi sepultada.
  2. E não havia água para a congregação; então se reuniram contra Moisés e contra Arão.
  3. E o povo contendeu com Moisés, dizendo: Quem dera tivéssemos perecido quando pereceram nossos irmãos perante o Senhor!
  4. E por que trouxestes a congregação do Senhor a este deserto, para que morramos aqui, nós e os nossos animais?
  5. E por que nos fizestes subir do Egito, para nos trazer a este lugar mau? Lugar onde não há semente, nem de figos, nem de vides, nem de romãs, nem tem água para beber.
  6. Então Moisés e Arão se foram de diante do povo à porta da tenda da congregação, e se lançaram sobre os seus rostos; e a glória do Senhor lhes apareceu.
  7. E o Senhor falou a Moisés dizendo:
  8. Toma a vara, e ajunta a congregação, tu e Arão, teu irmão, e falai à rocha, perante os seus olhos, e dará a sua água; assim lhes tirarás água da rocha, e darás a beber à congregação e aos seus animais.
  9. Então Moisés tomou a vara de diante do Senhor, como lhe tinha ordenado.
  10. E Moisés e Arão reuniram a congregação diante da rocha, e Moisés disse-lhes: Ouvi agora, rebeldes, porventura tiraremos água desta rocha para vós?
  11. Então Moisés levantou a sua mão, e feriu a rocha duas vezes com a sua vara, e saiu muita água; e bebeu a congregação e os seus animais.
  12. E o Senhor disse a Moisés e a Arão: Porquanto não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso não introduzireis esta congregação na terra que lhes tenho dado.
  13. Estas são as águas de Meribá, porque os filhos de Israel contenderam com o Senhor; e se santificou neles.
  14. Depois Moisés, de Cades, mandou mensageiros ao rei de Edom, dizendo: Assim diz teu irmão Israel: Sabes todo o trabalho que nos sobreveio,
  15. Como nossos pais desceram ao Egito, e nós no Egito habitamos muitos dias; e como os egípcios nos maltrataram, a nós e a nossos pais;
  16. E clamamos ao Senhor, e ele ouviu a nossa voz, e mandou um anjo, e nos tirou do Egito; e eis que estamos em Cades, cidade na extremidade dos teus termos.
  17. Deixa-nos, pois, passar pela tua terra; não passaremos pelo campo, nem pelas vinhas, nem beberemos a água dos poços; iremos pela estrada real; não nos desviaremos para a direita nem para a esquerda, até que passemos pelos teus termos.
  18. Porém Edom lhe disse: Não passarás por mim, para que eu não saia com a espada ao teu encontro.
  19. Então os filhos de Israel lhe disseram: Subiremos pelo caminho aplanado, e se eu e o meu gado bebermos das tuas águas, darei o preço delas; não desejo alguma outra coisa, senão passar a pé.
  20. Porém ele disse: Não passarás. E saiulhe Edom ao encontro com muita gente, e com mão forte.
  21. Assim recusou Edom deixar passar a Israel pelo seu termo; por isso Israel se desviou dele.
  22. Então partiram de Cades; e os filhos de Israel, toda a congregação, chegaram ao monte Hor.
  23. E falou o Senhor a Moisés e a Arão no monte Hor, nos termos da terra de Edom, dizendo: 24Arão será recolhido a seu povo, porque não entrará na terra que tenho dado aos filhos de Israel, porquanto rebeldes fostes à minha ordem, nas águas de Meribá.
  24. Toma a Arão e a Eleazar, seu filho, e faze-os subir ao monte Hor.
  1. E despe a Arão as suas vestes, e vesteas em Eleazar, seu filho, porque Arão será recolhido, e morrerá ali.
  2. Fez, pois, Moisés como o Senhor lhe ordenara; e subiram ao monte Hor perante os olhos de toda a congregação.
  3. E Moisés despiu a Arão de suas vestes, e as vestiu em Eleazar, seu filho; e morreu Arão ali sobre o cume do monte; e desceram Moisés e Eleazar do monte.
  4. Vendo, pois, toda a congregação que Arão era morto, choraram a Arão trinta dias, toda a casa de Israel.

Salmos 58

  1. Acaso falais vós, deveras, ó congregação, a justiça? Julgais retamente, ó filhos dos homens?
  2. Antes no coração forjais iniqüidades; sobre a terra pesais a violência das vossas mãos.
  3. Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, falando mentiras.
  4. O seu veneno é semelhante ao veneno da serpente; são como a víbora surda, que tapa os ouvidos,
  5. Para não ouvir a voz dos encantadores, do encantador sábio em encantamentos.
  6. Ó Deus, quebra-lhes os dentes nas suas bocas; arranca, Senhor, os queixais aos filhos dos leões.
  7. Escorram como águas que correm constantemente. Quando ele armar as suas flechas, fiquem feitas em pedaços.
  8. Como a lesma se derrete, assim se vá cada um deles; como o aborto duma mulher, que nunca viu o sol.
  9. Antes que as vossas panelas sintam o calor dos espinhos, como por um redemoinho os arrebatará ele, vivo e em indignação.
  10. O justo se alegrará quando vir a vingança; lavará os seus pés no sangue do ímpio.
  11. Então dirá o homem: Deveras uma recompensa para o justo; deveras há um Deus que julga na terra.

Salmos 59

  1. Livra-me, meu Deus, dos meus inimigos, defende-me daqueles que se levantam contra mim.
  2. Livra-me dos que praticam a iniqüidade, e salva-me dos homens sanguinários.
  3. Pois eis que põem ciladas à minha alma; os fortes se ajuntam contra mim, n ã o por transgressão minha ou por pecado meu, ó Senhor.
  4. Eles correm, e se preparam, sem culpa minha; desperta para me ajudares, e olha.
  5. Tu, pois, ó Senhor, Deus dos Exércitos, Deus de Israel, desperta para visitares todos os gentios; não tenhas misericórdia de nenhum dos pérfidos que praticam a iniqüidade. (Selá.)
  6. Voltam à tarde; dão ganidos como cães, e rodeiam a cidade.
  7. Eis que eles dão gritos com as suas bocas; espadas estão nos seus lábios, porque, dizem eles: Quem ouve?
  8. Mas tu, Senhor, te rirás deles; zombarás de todos os gentios;
  9. Por causa da sua força eu te aguardarei; pois Deus é a minha alta defesa.
  10. O Deus da minha misericórdia virá ao meu encontro; Deus me fará ver o meu desejo sobre os meus inimigos.
  11. Não os mates, para que o meu povo não se esqueça; espalha-os pelo teu poder, e abate-os, ó Senhor, nosso escudo.
  12. Pelo pecado da sua boca e pelas palavras dos seus lábios, fiquem presos na sua soberba, e pelas maldições e pelas mentiras que falam.
  13. Consome-os na tua indignação, consome-os, para que não existam, e para que saibam que Deus reina em Jacó até aos fins da terra. (Selá.)
  14. E tornem a vir à tarde, e dêem ganidos como cães, e cerquem a cidade.
  15. Vagueiem para cima e para baixo por mantimento, e passem a noite sem se saciarem.
  16. Eu, porém, cantarei a tua força; pela manhã louvarei com alegria a tua misericórdia; porquanto tu foste o meu alto refúgio, e proteção no dia da minha angústia.
  17. A ti, ó fortaleza minha, cantarei salmos; porque Deus é a minha defesa e o Deus da minha misericórdia.

Isaías 9

  1. Mas a terra, que foi angustiada, não será entenebrecida; envileceu nos primeiros tempos, a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, na Galiléia das nações.
  2. O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz.
  3. Tu multiplicaste a nação, a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa, e como exultam quando se repartem os despojos.
  4. Porque tu quebraste o jugo da sua carga, e o bordão do seu ombro, e a vara do seu opressor, como no dia dos midianitas.
  5. Porque todo calçado que levava o guerreiro no tumulto da batalha, e todo o manto revolvido em sangue, serão queimados, servindo de combustível ao fogo.
  6. Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.
  7. Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos fará isto.
  8. O Senhor enviou uma palavra a Jacó, e ela caiu em Israel.
  9. E todo este povo o saberá, Efraim e os moradores de Samaria, que em soberba e altivez de coração, dizem:
  10. Os tijolos caíram, mas com cantaria tornaremos a edificar; cortaram-se os sicômoros, mas em cedros as mudaremos.
  11. Portanto o Senhor suscitará, contra ele, os adversários de Rezim, e juntará os seus inimigos.
  12. Pela frente virão os sírios, e por detrás os filisteus, e devorarão a Israel à boca escancarada; e nem com tudo isto cessou a sua ira, mas ainda está estendida a sua mão.
  13. Todavia este povo não se voltou para quem o feria, nem buscou ao Senhor dos Exércitos.
  14. Assim o Senhor cortará de Israel a cabeça e a cauda, o ramo e o junco, num mesmo dia
  15. (O ancião e o homem de respeito é a cabeça; e o profeta que ensina a falsidade é a cauda).
  16. Porque os guias deste povo são enganadores, e os que por eles são guiados são destruídos.
  17. Por isso o Senhor não se regozija nos seus jovens, e não se compadecerá dos seus órfãos e das suas viúvas, porque todos eles são hipócritas e malfazejos, e toda a boca profere doidices; e nem com tudo isto cessou a sua ira, mas ainda está estendida a sua mão.
  18. Porque a impiedade lavra como um fogo, ela devora as sarças e os espinheiros; e ela se ateará no emaranhado da floresta; e subirão em espessas nuvens de fumaça.
  19. Por causa da ira do Senhor dos Exércitos a terra se escurecerá, e será o povo como combustível para o fogo; ninguém poupará ao seu irmão.
  20. Se colher à direita, ainda terá fome, e se comer à esquerda, ainda não se fartará; cada um comerá a carne de seu braço.
  21. Manassés a Efraim, e Efraim a Manassés, e ambos serão contra Judá. Com tudo isto não cessou a sua ira, mas ainda está estendida a sua mão.

    E não desanime. Continue firme para ler a Bíblia em 1 ano, aqui no Universal.org.Se você ainda não começou, clique aqui e comece agora, não deixe para amanhã.


  • Redação / Foto: Thinkstock 


reportar erro