Rede aleluia

Notícias | 29 de abril de 2019 - 09:44


É falta de tempo ou de prioridade?

Você já reparou quanto tempo do seu dia você gasta navegando na internet, vendo postagens nas redes sociais, lendo e compartilhando fake news (notícias falsas) por aplicativos, jogando conversa fora e atendendo chamadas telefônicas? No trabalho, por exemplo, já refletiu sobre o volume de notificações que pulam na tela do seu celular ou nos vídeos engraçados que fazem você parar tudo o que está fazendo para vê-los?

Talvez você nem tenha pensado antes sobre o fato dessas atividades estarem consumindo grande parte da sua rotina e atrapalhando o desenvolvimento de outras tarefas importantes, como o convívio com a sua família, a produtividade no seu trabalho, os momentos de lazer, a dedicação à sua vida espiritual, a leitura bíblica, entre outras.

Geralmente, as pessoas culpam a falta de tempo como o principal motivo de não conseguirem realizar atividades importantes. Para elas, ter um pouco mais de horas por dia lhes traria grande satisfação. O problema é que muitas não têm consciência de que isso ocorre em razão, principalmente, dessas distrações que fazem parte da sua rotina diária.

Dessa forma, o que falta para muitas não é tempo, mas prioridade. Falta disciplina para não desviar o foco no dia a dia – algo que é tão comum acontecer e que atrapalha todo o processo de trabalho. As pesquisas comprovam: de acordo com um especialista norte-americano do The Wall Street Journal, ao desviar a atenção de algo específico, o profissional demora até 23 minutos para retomar a concentração no trabalho. Imagine, então, o quanto as distrações interferem na produtividade.

Essa falta de tempo no ambiente profissional pode gerar consequências ainda piores. Segundo uma pesquisa realizada pela International Stress Management Association Brasil (Isma-BR), entidade internacional dedicada à prevenção e ao estudo do estresse, 62% dos brasileiros sofrem com a falta de tempo por causa da sobrecarga e do excesso de tarefas no dia a dia. Ou seja, as pessoas interrompem um período para se envolver com distrações e no outro ficam estafadas com a quantidade de tarefas pendentes que têm para realizar.

Quando interrompemos parte do nosso tempo para nos envolvermos com futilidades sentimos que a vida se torna mais rápida. Parece que tudo funciona mais rapidamente ao nosso redor e que falta tempo para suprir as necessidades diárias. E, com isso, nos tornamos reféns do tempo.

Você já deve ter percebido isso. Por exemplo, quando você tem a sensação de que as horas estão passando mais rapidamente a cada dia que passa. Existe uma explicação biológica: a dopamina – neurotransmissor responsável pela sensação de energia e disposição – diminui com o processo de envelhecimento, o que faz com que tenhamos uma percepção de tempo diferente das gerações anteriores.

Isso não significa que você não deve ter momentos de distração. O problema está no fato de elas estarem interferindo no seu tempo e fazendo você se desfocar do que realmente importa. A questão não é a falta de tempo, mas o grau de importância que você dá ao que se propõe a fazer.

O segredo para deixar de usar a falta de tempo como desculpa para tudo está em organizar as prioridades e considerar que a principal delas é a vida com Deus.

Veja o exemplo do rei Davi que, ao fazer uma oração a Deus, demonstrou que tinha consciência de que precisava fazer uso do tempo da melhor maneira possível para não desperdiçá-lo. “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios.” (Salmos 90.12).

Ele sabia que Deus era o Único que poderia ensiná-lo a organizar o tempo dele e de todos, porque Ele é o Dono de tudo, que controla as horas de forma diferente dos seres humanos, como a Bíblia diz: “… um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia”. (2 Pedro 3.8).

Então, faça como Davi: entregue o seu tempo a Deus e se dedique mais à vida espiritual. Em contrapartida, Ele lhe ensinará a usar o seu tempo com sabedoria. Em seguida, faça um planejamento de suas tarefas, organize quais são as mais importantes, e siga-o. E, por fim, não se deixe levar pelas distrações proporcionadas pela tecnologia. Use-a para seu engrandecimento e não para seu fracasso.


  • Redação / Foto: Fotolia 



reportar erro