Rede aleluia

Notícias | 16 de setembro de 2019 - 10:35


Como superar um relacionamento abusivo?

Entenda como foi possível que Ariene Alves conquistasse a mudança de seu marido e de seu casamento

Existem muitas pessoas que vivem um relacionamento abusivo e ainda não se deram conta. Traições, mentiras e agressões verbais e físicas são algumas situações que ocorrem nesse tipo de relação, mas somente quem a está vivendo pode decidir mudá-la. Há mulheres que, às vezes, consideram algumas atitudes do parceiro como se fossem demonstrações de amor. Porém é preciso que percebam que não estão tendo um relacionamento saudável e que estão sendo prejudicadas em todas as áreas.

Algumas posturas são sinais desse tipo de problema como ciúme excessivo; falta de vida social do casal, que deixa de interagir com outros casais ou amigos comuns ou exigência de afastamento da família; chantagem emocional e ameaças, entre outras.

É comum que um dos parceiros acredite que o erro está apenas no outro. Era o que acontecia com Ariene Lírio de Souza Alves, de 39 anos.

Ela afirma que viveu um relacionamento abusivo, mas pensava que não era necessário fazer algo para provocar a mudança na relação.

O marido de Ariene, Marcelo Ferreira da Silva Alves, (foto abaixo) de 40 anos, a agredia verbal e fisicamente, mentia constantemente e a traía. Ela vivia angustiada e acreditava que tinha que suportar aquela realidade. “Meu marido me traía toda semana com uma mulher diferente. Me lembro que ele trouxe um casal em nossa casa para que fizéssemos troca de casais. Foram 12 anos de sofrimento”, afirma Ariene.

Além disso, Marcelo usava drogas, bebia excessivamente e ficava fora de casa durante muitas horas. “Quando ele saía de casa, não tinha hora para voltar. Eu o aguentava em casa usando drogas e bêbado.” Ela conta que toda a família era prejudicada, inclusive os filhos. “Nós dois sofremos demais, mas as crianças também sofreram, já que estavam em meio a todo aquele caos.”

Ele conta que, por causa dos vícios, se desligava da realidade e tomava atitudes cujas consequências eram graves. “Eu era muito nervoso, estava desacreditado porque era viciado em cocaína, maconha e crack. Saía e voltava só no outro dia de manhã porque estava com outras mulheres e em bares bebendo até cair”, narra.

Apesar de não gostar do modo como o esposo se portava, Ariene não sabia como agir. “Eu não o traí, porém tinha atitudes que faziam nosso casamento afundar cada vez mais.” Ela admite que conhecia o trabalho da Universal, mas não frequentava as reuniões para obter a mudança no relacionamento. “Eu já conhecia a Igreja, mas, mesmo tendo um casamento fracassado, não ia buscar a Deus.”

Certa vez, desorientada, ela resolveu tomar uma decisão: “houve um dia que resolvi participar da Terapia do Amor. Meus olhos começaram a se abrir quanto ao que estava vivendo. Vi que a mudança precisava partir de mim primeiramente e que era necessário que eu focasse nos meus próprios erros para conseguir que meu marido mudasse. Comecei a cuidar de mim, pedia para que o Espírito Santo me mostrasse em que eu estava errando e fui perseverando”, relata Ariene.

A partir da mudança de Ariene, Marcelo ficou interessado em frequentar as reuniões da Terapia do Amor. Ele começou a participar das palestras e a colocar em prática os ensinamentos que recebia. “Não foi fácil, mas, aos poucos, começamos a praticar tudo que o pastor falava. Então, nossa vida começou a se transformar da água para o vinho”, relembra.

Felizes e com o interior deles transformado, Ariene e Marcelo se casaram no Altar de Deus da Universal em 31 de maio de 2018. “Hoje não sou mais viciado em drogas, tenho paz no meu casamento e a felicidade completa. Não agredimos mais um ao outro. Nos respeitamos muito e somos exemplos para nossos filhos”, finaliza Marcelo.


  • Kaline Tascin / Fotos: Cedida e Getty Images 


reportar erro