Você sabe de onde vem a tatuagem?

Por Daniel Cruz / Foto: Thinkstock, Reprodução s-media-cache-ak0.pinimg.com/Pinterest

tatuagens de todos os tipos, tamanhos e cores, não é mesmo? Mas você já pensou sobre o significado desses desenhos e sobre onde tudo isso começou no mundo em que vivemos?

No passado, as tatuagens eram associadas à religião e à classificação de grupos, basicamente. Por exemplo, no final do século 19, arqueólogos descobriram uma série de múmias egípcias que estavam tatuadas. A mais famosa delas foi a de uma mulher, identificada como Amunet. Ela era uma sacerdotisa da deusa Hathor, que para os egípcios daquele tempo representava o amor feminino e a maternidade. Amunet tinha uma tatuagem enorme no abdômen em referência à fertilidade. Vestígios arqueológicos como esse mostram que as tatuagens eram comumente utilizadas em rituais pagãos nos tempos antigos.

Antes desse fato, na Idade do Bronze – a mesma época em que viveu o patriarca Abraão –, um homem conhecido como Ötzi tinha em seu corpo diversas marcas. Ele viveu na região da atual Europa.

É interessante observar que Deus se preocupava com a influência desses outros povos em meio ao Seu povo, nos tempos bíblicos.

O objetivo dEle era separar uma nação que o adorasse com sinceridade e exclusividade – um desejo que Ele tem até hoje -, por isso, o Altíssimo não queria permitir que o Seu povo, Israel, se envolvesse com aquelas culturas.

No livro de Levítico, por exemplo, que é um livro de “códigos comportamentais”, ou seja, um texto que ensinava aos israelitas a como se comportarem, vemos que Deus orientou:

(...) nem fareis marca alguma sobre vós (...). Levítico 19.28

Veja que Ele achou importante fazer essa observação.

Avançando no tempo, as tatuagens também marcaram momentos tristes e dolorosos na história da humanidade. Quando, por exemplo, em Roma, entre os anos 509 a 27 antes de Cristo (a.C.), os escravos e os prisioneiros eram tatuados para diferenciá-los dos homens livres.

Esse método foi reproduzido durante o regime nazista, na Segunda Guerra Mundial, quando os judeus levados para os campos de concentração eram tatuados com números durante o terrível episódio do Holocausto.

A tatuagem nos dias de hoje

Essa prática ainda é muito comum, atualmente, principalmente entre os jovens. Tradicionalmente, as tatuagens são associadas à um desejo de liberdade e rebeldia, como exemplificam algumas bandas de Rock.

Há, ainda, a referência cultural da tatuagem. Na Índia, por exemplo, até hoje, em muitas comunidades rurais, as mulheres são “marcadas” por meio de tatuagens – mesmo que elas não desejem isso (foto ao lado). As que não aceitam receber essas tatuagens são consideradas “impuras” pela cultura local e sofrem preconceito.

Mesmo com o passar dos séculos, o conceito das tatuagens continua o mesmo: rotular a si mesmo com significados e mensagens.

Porém, apesar de cada pessoa ser livre para decidir o que quer, quando recebemos o Espírito Santo percebemos que a única marca que precisamos em nossa vida é o Seu selo em nosso espírito, nos separando para o Reino de Deus.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente

Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach e Eliana Caetano

Editora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Maria do Rosário, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 3321-5244

Endereço: Rua dos Missionários, 139, Santo Amaro - São Paulo (SP)

Cep: 04729-000