eb3c52f78ce3362254213324871c7984 Uma mulher suave, mas forte - Universal.org

Uma mulher suave, mas forte

Por Maiara Máximo/ Fotos: Munir Chatack

A atriz Juliana Silveira, que viveu a rainha Kalesi em A Terra Prometida, volta à tela da Record TV, na novela Apocalipse, como Raquel Santero. Sua personagem é enfermeira-chefe, casada com o policial César Sardes, papel interpretado pelo ator Fernando Pavão, e mãe de Lorena (Isabella Koppel) e Guto (Rony Kriwat).

Raquel é uma mulher dedicada, amorosa com todos da família e, mesmo com a correria que vive por causa de sua profissão, faz de tudo para se manter presente na vida dos filhos. Ela nasceu em berço evangélico, tem muita fé, mas vive um relacionamento complicado. Na igreja que frequenta, na frente de todos, seu marido parece um santo, mas fora desse convívio tem um comportamento diferente e esconde muitos segredos.

Em entrevista exclusiva à Folha Universal, a atriz falou mais de sua personagem e de seu amadurecimento profissional ao longo dos anos. “Raquel é uma mulher suave, mas forte. Ela é enfermeira e ama sua profissão, que é ajudar a salvar vidas, do mesmo jeito que ela é apaixonada por seus filhos e gosta de servir os que estão ao seu redor. Ela é uma cuidadora e sinto que tudo o que ela faz vem muito naturalmente, sem sofrimento.”


O preparo que antecede as interpretações

Para compor a doce e dedicada Raquel, a atriz faz um longo preparo, em parceria com sua coach, Patricia Carvalho, em todos os textos que recebe. “Junto com a Patricia, vou construindo uma biografia. Como detetives, dissecamos todas as informações que o texto nos entrega sobre a personagem. Fazemos um mapa emocional da Raquel, um trabalho corporal e só depois começamos a entender o tom de voz e o olhar dela. Por último fazemos a leitura das cenas”, revela.


A atriz explica que reconhece semelhanças entre ela e sua personagem e que tem aprendido muito com as diferenças. “Se eu fico indignada com algo, tenho necessidade de me expressar, de falar. E, no calor da emoção, às vezes erro ao falar em um tom mais ríspido. Nisso não sou tão equilibrada quanto a Raquel. Sou artista, né? Adoro um drama (risos). Mas claro que a experiência vai nos dando maturidade e vamos aprendendo a ouvir mais do que falar. O mais importante que a Raquel vem me ensinando é a me colocar no lugar do outro, mesmo que ele pense e aja de forma completamente diferente da nossa. Ela não julga”, compara.

Quanto ao lado mãe da personagem, Juliana traz para a telinha uma mulher centrada e com muita sabedoria. “Raquel é sábia, amorosa, carinhosa e sempre tenta estabelecer o diálogo com os filhos sem invadir o espaço deles. Ela sabe o quanto é importante a presença do pai na criação deles, principalmente do jovem Guto. Ela até tenta preencher esse vazio deixado pelo pai, mas, como não consegue, fica frustrada.”

Raquel tem o hábito de se alimentar da Palavra de Deus todos os dias. Ela é uma mulher de fé e que procura estar sempre conectada com as coisas dEle, algo que Juliana já pratica. “Eu me considero uma pessoa cheia de fé e acho uma bela coincidência ter a oportunidade de passar valores que eu acredito para a minha personagem”, comenta.

A carreira

Juliana, que está na teledramaturgia da Record TV há 10 anos, faz uma reflexão em relação à sua trajetória. “Cresci e amadureci muito como pessoa e atriz nesse tempo. Na emissora, ganhei minha primeira protagonista adulta, além das duas vilãs que me desafiaram e exigiram de mim muito estudo e dedicação. Tive a oportunidade de conseguir realizar o meu maior sonho, que era ter a minha família. Tenho uma gratidão gigantesca por todas as oportunidades artísticas recebidas. Aqui eu me sinto respeitada como mulher e como atriz e isso não tem preço. Também fiz amigos que levo no coração. Ainda tenho muitos sonhos que gostaria de realizar na televisão, como experimentar outras áreas, não ficar apenas na dramaturgia, mas o futuro a Deus pertence.”

Nos próximos capítulos, Raquel vai descobrir o que o público já sabe, que o marido Cesár, um policial que investiga assassinatos, a trai com a colega de trabalho, a policial Natália (Samara Felippo). Juliana conta que quando sua personagem descobrir a traição vai se decepcionar. Mas, por saber de seu valor como mulher, não aceitará a situação. “Raquel é humana. Vai ficar com raiva, triste, desapontada e magoada. Não tem como passar por uma situação dessas e não sentir nada. Mas ela sabe que tudo que acontece na vida dela faz parte da vontade de Deus e ela confia nisso para ter forças, para seguir em frente. Acho que a Raquel vai perdoar o César, mas isso não quer dizer que vai querer continuar casada. Vocês vão ter que assistir para saber.”

Apocalipse vai ao ar de segunda a sexta-feira na tela da Record TV.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente

Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaela Dias, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 2392-3372

Endereço: Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000