Rede Aleluia: há 19 anos divulgando a Palavra de Deus pelo rádio

Por Daniel Cruz / Fotos: Lumi Zunica, Marcelo Alves e Reprodução Facebook

“As diversas rádios espalhadas pelo território nacional que divulgam a mensagem da Igreja, agora unem pessoas dos lugares mais remotos, tornando a IURD do Brasil uma grande família”, noticiava a edição nº 334 do jornal Folha Universal, em 1998.

Nascia, naquele momento, a Rede Aleluia de rádio que já predizia para o público qual seria o objetivo de sua programação: levar a mensagem do Evangelho do Senhor Jesus para os locais mais longínquos a que as ondas do rádio pudessem chegar.

Horários alugados

No primeiro volume de sua biografia “Nada a Perder”, o bispo Edir Macedo conta que, no começo, a Universal alugava horários na Rádio Metropolitana, do Rio de Janeiro, para divulgar a Palavra de Deus. A programação provocava uma reação nos ouvintes, fazendo com que eles decidissem conhecer a fé que era passada por meio daquele veículo de comunicação. A procura era tanta que as reuniões da Igreja ficavam lotadas.

Foi, então, que a Universal teve a oportunidade de adquirir, com muito sacrifício, a Rádio Copacabana (clique aqui para saber mais sobre essa história).

A partir daí, outras rádios passaram a ter os seus horários alugados. Contudo, era necessário solidificar esse trabalho de levar aos ouvintes a Palavra ministrada na Igreja. Assim, em 1995, a Universal obteve a rádio FM 105,1, também no Rio de Janeiro.

Essa rádio foi pioneira na transmissão de músicas evangélicas e conteúdos cristãos no contexto do cenário brasileiro da época. No ano seguinte, por exemplo, ela promoveu o “Troféu da FM 105”, em que os destaques da música cristã eram premiados e reconhecidos.

Rede Aleluia

Por volta de 1998, a Universal já possuía 17 emissoras espalhadas pelo território nacional, e cada uma delas atendia com sucesso o público que desejava ouvir as canções e as palavras de fé dos bispos e pastores.

Porém, esse conteúdo não era integrado, e cada rádio seguia a sua própria grade. Então, com o intuito de trazer união à programação, foi criada a Rede Aleluia, um grupo que reuniria, em uma única frequência, todas as rádios da Universal.

Sobre essa nova etapa, o bispo Marcelo Silva (fundador da Rede Aleluia de rádio) esclareceu em uma entrevista ao jornal Folha Universal (edição nº 334): “É a maior rede de rádios de todo o Brasil. Atualmente estamos com 35 emissoras e com mais algumas em vista para expandir a rede. A inspiração de tudo o que acontece na Obra de Deus vem do Espírito Santo e, a partir daí, o sucesso acontece. As transmissões começaram em junho deste ano (1998).”

E o objetivo dos conteúdos dessa grade unificada era claro: “Todos os que fizerem bem à alma. Todos os que descrevem a grandeza de Deus e fazem com que a fé no verdadeiro Deus seja semeada nos corações. O trabalho que fazemos é da mais alta qualidade. Acredito que a música evangélica deve ter qualidade espiritual. Quando uma pessoa está aflita, necessitada, qual o ritmo que fará bem a esse coração? Pagode? Rock pesado? A música evangélica tem que fazer bem à alma e trazer frutos”, destacou o bispo Marcelo.

O interessante é que, com essa união, as rádios que pertenciam à rede ganharam mais força. A antiga FM 105,1, por exemplo, passou a liderar a programação que seria transmitida na rede, gerando um conteúdo cada vez mais profissionalizado. Desde 2002, essa função é desempenhada pela 99,3 FM, em São Paulo, contando, atualmente, com 64 emissoras, em 22 estados – aproximadamente 75% do território nacional.

Como a internet se tornou popular apenas alguns anos mais tarde, a transmissão via rádio era eficaz para alcançar as pessoas nos lugares mais distantes e de difícil acesso. E ainda é, por exemplo, para alcançar a população carcerária, que abriga almas aflitas que buscam conforto espiritual por meio da programação da Universal.


Na internet e pelo aplicativo

A Rede Aleluia continua se reinventando com o passar do tempo e acompanha as modernidades.

Você pode, por exemplo, ouvir a programação da rádio pela internet (clique aqui) ou por meio dos aplicativos para sistema Android e iOS.

Gostou? Compartilhe nas redes sociais.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente