Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de junho de 2019 - 00:05


Você quer recomeçar em uma nova área profissional?

Fazer uma transição de carreira exige planejamento, foco e paciência. Saiba como se preparar para essa mudança

Você já pensou em mudar de profissão e recomeçar em uma nova área? A transição de carreira é um dos grandes sonhos dos brasileiros que atuam no mercado formal. Dados do Instituto Locomotiva mostram que 56% das pessoas que trabalham com carteira assinada estão dispostas a redirecionar suas carreiras em busca de felicidade no trabalho. Dessas, 25% já estão tomando medidas para concretizar esse processo.

Além de buscar realização pessoal, a transição de carreira pode estar relacionada a outros fatores, como explica Viviane Mishima, consultora de recursos humanos e gestão de pessoas. “Hoje há muita insatisfação com o ambiente de trabalho e falta de perspectiva de crescimento dentro do ramo ou da empresa em que a pessoa atua. Muitas pessoas querem se sentir mais úteis, enquanto outras buscam ter mais tempo para a família e para si mesmas. Há também o fator financeiro”, enumera.

O que fazer?
Viviane diz que o primeiro passo é ter clareza quanto aos objetivos. “É preciso analisar a realidade e os verdadeiros motivos que estão levando o profissional a querer fazer a transição. Às vezes pode ser uma situação específica, como problemas no ambiente de trabalho”, diz. Em muitos casos, mudar de empresa pode ser a solução.

O segundo passo é organizar as finanças e fazer um planejamento. “Sem foco, o profissional corre mais riscos. Se a pessoa é casada, por exemplo, ela deve discutir a questão com o cônjuge, pois a transição pode ter reflexos nas relações e nas contas.” Ela alerta que profissionais que tentam mudar de área no calor das emoções cometem mais erros. “Muitas pessoas entram em uma situação delicada por tentar fazer a transição no impulso por causa de algum sufoco emocional”, explica.

O profissional também deve aprofundar seus conhecimentos em relação à área para a qual pretende migrar. Viviane ainda sugere que ele pode aproveitar sua rede de contatos para abrir novos caminhos. “A pessoa deve construir uma marca pessoal e se posicionar na nova área. É importante comunicar de forma clara a nova atividade e fazer contato com
outros profissionais.”

Nova área
Josué de Paula (foto abaixo) nunca teve experiência em construção civil, mas o desejo de atuar em uma nova área o levou a perceber o potencial desse ramo. Segundo ele, a visão de negócio veio do exercício da fé. “Eu frequento a reunião da Nação dos 318 e comecei a observar testemunhos fortes na área da construção civil. Então, pensei que seria interessante investir em algo”, conta.

Ele passou a analisar o mercado para entender seu funcionamento. Sem muito dinheiro para investir, começou o negócio oferecendo pequenos serviços. Para isso, usou suas habilidades de administração e comunicação e acionou sua rede de contatos. “Comecei com serviços pequenos de ‘marido de aluguel’. Eu contratava pessoas para fazer os serviços e administrava o negócio.”


Aos poucos, os bons resultados e a propaganda boca a boca geraram mais oportunidades. “Ninguém ganha sozinho, hoje você precisa fazer parcerias. Fui caminhando e fazendo alianças que não atrapalharam meu compromisso com Deus.” Josué conta que sua empresa fechou parcerias com grandes companhias e continua crescendo. Ele atribui os resultados à fé. “Com a fé, tive coragem para praticar os ensinamentos que vinham do Altar.”

O Bispo Edson Costa, que ministra as palestras da Nação dos 318, às segundas-feiras, no Templo de Salomão, em São Paulo, explica que as pessoas ligadas à Palavra de Deus têm mais forças para superar obstáculos. “Melhorando ou piorando, não ceda à pressão, pois ela fará você mais forte. Aguente mais um pouco, Deus é contigo, essa é a vantagem de quem está ligado à Palavra de Deus e não ao pastor ou à igreja. Você depende da Palavra. É ela que te dá força, que te sustenta”, ensinou em uma das reuniões.


  • Rê Campbell / Fotos: Gettyimages / Demetrio Koch / Arte: Eder Santos 


reportar erro