Rede aleluia
Você precisa mesmo comprar algo?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 22 de novembro de 2020 - 00:05


Você precisa mesmo comprar algo?

Em tempos de Black Friday, muitas pessoas gastam dinheiro com o que não precisam e muitas outras compram por impulso. Fuja dessa atitude

Você precisa mesmo comprar algo?

A Black Friday acontece há uma década no Brasil e já se tornou um evento tradicional. Na última sexta-feira deste mês, dia 27, as lojas vão oferecer descontos para atrair a clientela. Milhares de pessoas costumam se acotovelar em filas para aproveitá-los, mas, neste ano, com a pandemia, a previsão é que aconteça um recorde de vendas on-line. Contudo o consumidor precisa estar atento ao consumo consciente, para não gastar com supérfluos ou adquirir produtos que não precisa.

De acordo com a advogada Fábia Puglisi, assessora-chefe do Procon-SP, é importante fazer um planejamento financeiro antes de qualquer compra. “Estamos em um período de instabilidade econômica, com diversas pessoas desempregadas e outras perdendo o emprego. Por isso, é preciso se organizar para não comprometer a renda e ter uma reserva financeira. Também é necessário avaliar se realmente há necessidade na compra que vai fazer na Black Friday. O consumo consciente ajuda o Planeta e evita o desperdício”, alerta.

Cuidados
Além disso, não se deve desconsiderar os riscos que as compras on-line podem oferecer. Segundo a especialista, o Procon-SP disponibiliza em seu site orientações para que o consumidor não caia em golpes. “O número deles aumentou durante a pandemia porque o consumo on-line também se elevou. Os golpistas estão vendo nesse cenário triste uma oportunidade para agir. O que mais chega para nós são as denúncias de perfis falsos de lojas. O consumidor acaba acreditando que está comprando de um site verdadeiro, mas o produto nunca chega”, relata.

Segundo Fábia, o Procon-SP tem trabalhado muito para evitar problemas durante a Black Friday. “Estamos intensificando reuniões com os fornecedores justamente para discutir melhor as políticas de atendimento do SAC das empresas no que diz respeito às vendas e ao pós-venda que, normalmente, já recebem um aumento de reclamações nessa época”, esclarece.

Mas o grande problema é que o brasileiro não se preocupa com a segurança na hora da compra. “O consumidor precisa se resguardar antes de realizar qualquer transação virtual e desconfiar de ofertas irreais. Até a verificação de segurança do site não garante a idoneidade do fornecedor ou o hacker já aprendeu a fraudá-la. Por isso, ações isoladas não adiantam, é o conjunto delas que conta para uma compra segura”, adverte. Veja mais informações no quadro ao lado.


Você precisa mesmo comprar algo?
  • Eduardo Prestes / Arte: Edi Edson 


reportar erro