Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de janeiro de 2020 - 11:19


Vítima de abuso na infância, Rosana se tornou uma mulher complexada

Mas na Universal, por meio da fé, ela venceu a autorrejeição e aprendeu a se amar

A advogada Rosana Lima de Farias, de 42 anos, sofreu dois abusos na infância. Em decorrência disso tornou-se uma criança depressiva e complexada.

“Eu odiava minha cor, odiava o meu cabelo, eu lembro de uma vez que numa crise de desespero eu batia a minha cabeça na parede para que aquilo tudo saísse da minha cabeça”, recorda-se.

Um dia, porém, alguém a aconselhou buscar ajuda na Igreja Universal. Entretanto, para isso era preciso vencer a barreira do preconceito.

A última porta

“Eu tinha muito preconceito contra a Universal. Eu, uma pessoa estudada, pós-graduada, especialista na minha área. Como é que eu ia na Igreja Universal, uma igreja que eu considerava de ‘zé povinho’? Mas aquilo ficou na minha mente”, confessa.

Até que finalmente ela decidiu ir, pois não tinha nada a perder.  “Como uma pessoa que não tem nada vai perder alguma coisa? ”, refletiu.

Então, deixou de lado o preconceito, o medo e foi em busca do que considerou ser a sua última porta, pois, tudo que havia tentado até então foi em vão.

Era uma sexta-feira quando colocou os pés na Universal pela primeira vez. Neste dia ele teve uma experiência com o poder de Deus e teve início ao seu processo de transformação.

Acompanhe o depoimento dela e veja o que aconteceu:

“Todo aquele passado foi apagado. Hoje eu sou uma pessoa que se ama, se respeita. Que sabe que não precisa de coisas ou pessoas para ser feliz, porque tem a própria felicidade dentro de si”, destaca.

Sua vida também pode mudar

Se você tem passado por situação semelhante e deseja que sua vida também seja transformada, use a fé e compareça em uma Universal mais próxima de sua casa. Clique aqui e encontre o endereço. Ou converse agora mesmo com um Pastor Online.


  • Jeane Vidal/Foto: Reprodução 


reportar erro