Rede aleluia

Notícias | 4 de outubro de 2019 - 11:48


Topíssima: Pais podem aprender lições valiosas assistindo à novela

Denise Del Vecchio, que interpreta Madalena, fala sobre a relação da personagem com seus filhos

Madalena, personagem de Denise Del Vecchio na telenovela “Topíssima”, tem encontrado graves dificuldades no relacionamento com seus filhos, Jandira e Fernando. O amor pelos jovens é tão grande, que, muitas vezes, a mãe adota medidas radicais para controlar o comportamento dos filhos, sempre entendendo ser o melhor para eles. O resultado, infelizmente, é um afastamento entre mãe e filhos.

Na trama, a filha, Jandira, acabou morrendo em decorrência de um aborto feito em uma clínica clandestina. Madalena, nem sequer sabia da gravidez da menina. Já Fernando, o irmão mais novo, revoltado com o que aconteceu com a irmã, passou a carregar dentro de si o desejo de vingança e, nos mesmos moldes de Jandira, tem se enveredado no caminho da mentira.

Recentemente, a novela mostrou o garoto envolvido com o tráfico de drogas. A mãe, no entanto, não faz ideia do que está acontecendo com o filho.

Retrato da vida real

topissimaEssa situação é um retrato do que acontece, muitas vezes, na vida real. E, sobre isso, a atriz Denise Del Vecchio falou ao Portal Universal.org.

“Às vezes, na intenção de salvar, de proteger, de guardar essa criança você acaba superprotegendo, sendo impositiva. E acaba afastando ainda mais essa criança, esse adolescente, esse jovem”.

De fato, a superproteção controladora dos pais gera certa ojeriza. É o que revela um estudo realizado pela Universidade de Minnesota e publicado na revista Developmental Psychology. De acordo com os resultados, muitos filhos desses pais “se tornam desafiadoras com relação aos pais, outros simplesmente apáticos ou se mostram muito frustrados”.

Por não serem maduros o suficiente para lidar com essas emoções, a desobediência e a rispidez aos pais se tornam constantes.

“Então, se eu tenho condições de dar algum conselho aos pais, seria para ficarem muito atentos e não brigar. Porque, se brigarem, afastarão seus filhos. Tentem conversar sempre. Tentem dar o exemplo, que é a coisa muito importante. E estarem presentes”, aconselha Denise.

Universal auxilia pais na educação dos filhos, desde pequenos

O papel mais difícil da vida de uma mulher é ser mãe”, afirma Denise Del Vecchio. “Porque você nunca sabe o que será daquela criança que você cuida desde pequenininho, que você tem tantas expectativas, para quem você quer apenas o melhor”.

Entendendo a realidade dessa afirmação, a Universal mantém, há muitos anos, a Escola Bíblica Infantil (EBI). Nela são realizadas diversas atividades com as crianças e seus pais, visando transmitir valores como o amor à família e ao próximo e o carinho e a obediência aos pais.

A responsável pelas atividades da EBI no Brasil, Andrea Villas Boas, explica que o relacionamento entre pais e filhos pode mesmo ser complicado, especialmente se houver excesso de imposições ou proibições:

“Em um relacionamento como este, nada melhor do que ser transparente, sincero e ter respeito. O Senhor Jesus é o maior exemplo disso. Ele, sendo Deus, não impede ou proíbe ninguém a nada. Nos deu o livre-arbítrio para podermos fazer as nossas escolhas. Ele é um Pai que usa a inteligência com os Seus filhos. Por meio de Sua Palavra, nos ensina o que é certo e errado. E, se fazemos escolhas erradas, Ele não cria barreiras entre nós. Deus sempre está disposto a aceitar novamente aquele que se arrepende de ter escolhido mal”.

Como ser o protetor

De acordo com Andrea, “o papel dos pais é proteger. Decerto, isso significa ensinar o caminho e deixar o filho fazer as suas escolhas para que ele, acertando ou errando, aprenda por si só. Mas proteger também é mostrar que os filhos, tendo escolhas certas ou erradas, sempre terão os pais ali para ensinar e apoiar no que for preciso”.

Em suma, a melhor maneira de proteger os filhos é respeitando eles. “Não há proteção quando a base é brigar, agredir, gritar, expor. Então, quando essa relação ‘pai-filho’ é alicerçada com o respeito, tal relação se fortalece, tornando-se então uma relação de grandes amigos. Imagine que, ao vez de os filhos temerem os pais, considerem eles como seus melhores amigos por ouvi-los, por respeitá-los, por serem confiáveis, por ensiná-los em todas as questões que a vida traz. O respeito dos pais para com seus filhos gera confiança e união, trazendo a harmonia dentro de famílias”.

Quer mais informações sobre o assunto? Clique aqui e conheça de perto o trabalho da EBI.


reportar erro