Rede aleluia
Pornografia prejudica pensamento das crianças
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de Novembro de 2020 - 16:19


Pornografia prejudica pensamento das crianças

É importante proteger as crianças e adolescentes desse tipo de conteúdo

Pornografia prejudica pensamento das crianças

Um estudo realizado pelo Comitê Britânico de Classificação de Filmes, responsável por indicar a classificação etária dos produtos audiovisuais na Grã-Bretanha, mostrou que a pornografia não apenas é facilmente acessada pelas crianças, como também faz mal para elas.

A pesquisa ouviu 1,1 mil crianças entre 11 e 17 anos em todo o Reino Unido. Os resultados mostraram que 29% dos participantes já se sentiram mal em relação ao próprio corpo após se compararem com os atores pornôs.

No Reino Unido, as pessoas podem ter sexo consensual a partir dos 16 anos de idade. Entre os jovens sexualmente ativos a partir dessa idade – portanto, em início de vida sexual – 18% reproduziram ou foram solicitados a reproduzir cenas vistas em filmes pornográficos.

Ademais, 30% desses adolescentes afirmaram que o sexo não corresponde às expectativas criadas pela pornografia.

Visão deturpada

O estudo realizado pela entidade britânica foi motivado pela impressão de que as crianças são influenciadas a iniciarem a vida sexual precocemente ao assistirem filmes pornográficos. Os resultados mostraram que, não apenas têm a iniciação em tenra idade, como também sofrem pressões para reproduzir o comportamento visto nos filmes.

“O acesso fácil à pornografia até a muitos jovens e crianças faz com que eles se tornem viciados. Porque a pornografia é altamente viciante. Estudos já foram feitos que comprovam que a pornografia tem o mesmo impacto viciante do que a cocaína e outras drogas”, explica o Bispo Renato Cardoso em seu blog. “A pornografia não tem nada a ver com a vida sexual real. Muito pelo contrário, pode ser algo extremamente agressivo, nocivo, que faz a mulher se tornar um grande objeto de uso apenas para o prazer sexual do homem. E são imagens que não podem ser apagadas da mente”.

Por isso, é importante proteger as crianças e adolescentes desse tipo de conteúdo. Embora seja de fácil acesso a qualquer pessoa, o jovem deve saber que aquilo não é bom. E, para isso, os pais são fundamentais na educação. Ou as crianças terão todos seus relacionamentos futuros prejudicados.

“Se a pessoa não buscar uma ajuda, uma reprogramação na sua mente sobre o sexo, aquilo vai guiar o seu comportamento dentro dos relacionamentos. Se é mulher ou se é homem não importa. A mulher vai querer reproduzir o que ela viu. O homem vai querer reproduzir o que ele viu”, conclui o Bispo.

Assista à opinião completa do Bispo Renato Cardoso no vídeo abaixo:


Pornografia prejudica pensamento das crianças
  • Andre Batista / Foto: Getty Images 


reportar erro