Rede aleluia
O que mais importa para você: a “curtida” de Deus ou a “curtida” dos homens?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de Novembro de 2022 - 18:08


O que mais importa para você: a “curtida” de Deus ou a “curtida” dos homens?

A colunista e escritora Núbia Siqueira alerta sobre o perigo da superexposição para aqueles que desejam sinceramente ter comunhão com Deus

O que mais importa para você: a “curtida” de Deus ou a “curtida” dos homens?

Vivemos em uma época em que se promove muito a hiperexposição e, os jovens, especialmente, gostam muito da visibilidade que as redes sociais proporcionam. Então, ficam presos à necessidade de expor a vida pessoal em busca de retorno em forma de curtidas, comentários e compartilhamentos.

Por que isso é importante:

Para a escritora e colunista Núbia Siqueira essa exposição acentuada faz mal para a pessoa que deseja ter comunhão com Deus. Pois para desenvolver um relacionamento com o Altíssimo e investir na vida espiritual é preciso também apreciar a solidão e o anonimato.

  • “A vida com Deus não é aquilo que se mostra para as pessoas ou o que se vive dentro da igreja, vai além disso. Eu costumo dizer que a vida no secreto é o que de fato nos sustenta. É como um iceberg. Você vê a pontinha dele ali, mas por debaixo das águas está a maior parte dele, é essa parte que sustenta aquela ponta lá em cima. Da mesma forma, a vida que nós temos no secreto com Deus é o que realmente vai nos sustentar ao longo da nossa caminhada, da nossa jornada”, destaca a escritora.

O que Jesus fala sobre isso:
  • “E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente. ” Mateus 6:5,6

Ou seja, a oração feita com a finalidade de impressionar as pessoas não tem nenhum valor para Deus. Da mesma forma as obras realizadas no intuito de mostrar para os homens. Se a intenção é obter o reconhecimento das pessoas, então não espere nenhuma recompensa da parte de Deus.

A vida no secreto é o que nos sustenta:
  • Núbia destaca que muitas pessoas falam que estão vivendo uma vida no secreto, mas tira foto lendo a Bíblia, orando, etc. Contudo, o que é secreto você não mostra, é a sua intimidade com Deus. A partir do momento que você precisa expor, já está mostrando que não fez para Deus, foi para os homens. Quando a pessoa faz para Deus ela não tem a necessidade de expor nas redes sociais.
  • A obra de Deus é feita de bastidores, o que realmente sustenta a Obra de Deus não é o que está aparente. Ela cita como exemplo o grupo de evangelização que na sua maioria é formado por pessoas que estão sentadas no meio do povo, não estão aparecendo, mas é aquele grupo que funciona para trazer pessoas novas para a igreja. Quem limpa a igreja, quem lava o banheiro, provavelmente não recebe reconhecimento de ninguém, está no anonimato. Porém, “eu creio que as obras no anonimato são as que terão maiores recompensas na eternidade”, ressalta.

A vida anônima de Jesus:

A escritora destaca que Jesus viveu no anonimato até os 30 anos de idade. Mesmo sendo o Filho de Deus Ele viveu todo esse período como uma pessoa comum, mas sempre servindo ao Pai.

  • “As pessoas não O identificavam como Filho de Deus, ele era tão discreto na sua forma de ser e de agir que as pessoas não O reconheciam. Viam-no como o filho de Maria e José, irmão do Tiago. Mas ali estava o homem mais importante que o mundo conheceu”.
Conclusão:

Com base no versículo acima a escritora conclui que quando você expõe tudo que faz à espera de curtidas e comentários, aquelas interações já é o seu galardão, não espere receber mais nada de Deus. Da mesma forma quando você faz algo na igreja esperando receber aprovação, elogio do pastor, aquele elogio já é o seu galardão.

Além disso, quando a pessoa faz para o homem ela se cansa, reclama, esmorece, mas quando ela faz buscando fazer a vontade de Deus, ela sempre vai dar o seu melhor, porque sabe para quem está fazendo. Então, avalie suas intenções e reações diariamente.

Clique aqui e confira a mensagem na íntegra.


O que mais importa para você: a “curtida” de Deus ou a “curtida” dos homens?
  • Redação / Foto: iStock 


reportar erro