Rede aleluia
Ninguém dura sem resiliência 
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de agosto de 2020 - 00:05


Ninguém dura sem resiliência 

Dificuldades nos negócios todos enfrentam. Mas por que há os que as superam, enquanto outros naufragam em tempos difíceis? 

Ninguém dura sem resiliência 

Resiliência. Você já ouviu essa palavra enfeitando posts de redes sociais. Está na moda falar dela. Esse termo, emprestado da Física, se refere à capacidade de um material voltar ao estado normal depois de ter sofrido tensão, como um elástico ou uma bola de tênis. O mundo corporativo a usa com o mesmo sentido, mas a tensão, neste caso, é emocional e o estado normal ao qual é preciso voltar é o mental – além da produtividade e dos lucros – ao se adaptar às mudanças.

A resiliência é muito necessária em tempos difíceis, como atualmente, por causa da pandemia do novo coronavírus, durante a qual tantos tiveram que se adaptar a uma forma diferente de trabalho e continuar a produzir.  As Forças Armadas dos Estados Unidos, por exemplo, têm um programa especial de recuperação de soldados quando voltam do campo de batalha para a vida militar ou civil. O sistema foi adaptado pela Universidade da Pensilvânia, do mesmo país, em benefício de seus alunos, constantemente pressionados pelas exigências do meio acadêmico.

Porém  nem todas as empresas têm um programa parecido e, às vezes, você é a sua empresa ou dono de uma. Então, como promover a própria resiliência?

É possível se recuperar
Duas renomadas consultoras de negócios britânicas, Gillian Shapiro e Sarah Bond, publicaram uma pesquisa sobre resiliência profissional. Elas apontaram que nem sempre as dificuldades enfrentadas vêm de fora da empresa – os rumos da economia ou períodos de insegurança, como o da pandemia –, mas de dentro dela, como forçar demais os próprios limites ou os de seus funcionários, gerando estresse desnecessário e queda na produtividade.  Independentemente das dificuldades, é possível se recuperar, conforme mostram as dicas a seguir que as consultoras deram no estudo.

Não faça vista grossa
Fingir que os problemas não existem para seguir em frente é um erro. É preciso entender a realidade como ela é para poder analisá-la e pensar em quais estratégias aplicar de forma eficiente.

Não fique só
Ninguém resolve nada sozinho. É preciso ter apoio emocional da família e dos amigos na vida pessoal e também do suporte de uma boa equipe no trabalho. Isso ajuda a elaborar estratégias para enfrentar as dificuldades e ter um gratificante retorno ao estado normal. Por isso é importante saber escolher colaboradores e ter um perfil de quem sabe apoiar, caso seja contratado de uma empresa.

Seja flexível
Realidades diferentes pedem medidas diferentes. Quem se adaptou ao home office, atendeu por videoconferência ou focou no serviço de delivery para suas lojas na fase do novo coronavírus entendeu que existem outras formas de chegar aos resultados.

Enfrente positivamente
Veja a situação ruim como uma oportunidade, mas não a subestime. Vencer desafios com bons resultados traz gratificação e o profissional tem uma noção mais nítida de sua capacidade de vencer dificuldades se estiver mais preparado para futuros problemas.

Não se sabote
Mesmo atitudes simples como “pular” o almoço porque tem muito trabalho não são inteligentes. É importante manter boas condições de saúde física e mental. Na Física, para que um objeto volte ao estado normal, é preciso que esteja em boas condições ao ser atingido novamente: um elástico já surrado vai se arrebentar quando for esticado, por exemplo, e perder sua função.

Saúde administrativo-financeira
Quem está sempre com as finanças da empresa na corda bamba e deixa para resolver os problemas administrativos sempre depois estará em maus lençóis na hora das tempestades. Por isso, é preciso estar moldado de forma saudável à sua realidade.

Pós-pandemia 
Além de abordar esses pontos da pesquisa britânica em suas palestras e consultorias, a master coach Tathiane Deândhela, de Goiânia, Goiás, também diz que os desafios empresariais que vieram com a pandemia da Covid-19 estão criando um novo tipo de profissional, cujo aprendizado continuará a fazer efeito mesmo depois dela.

“É fundamental ter resiliência. Mesmo sem encontrar respostas para alguns problemas, temos que encontrar soluções imediatas e, mesmo quando não as encontramos imediatamente, precisamos agir, compartilhar, amadurecer e exercitar a criatividade”, aconselha.

Ela orienta ainda que “temos que prevenir desgastes emocionais e físicos, planejando ações imediatas, ou seja, vivendo o presente. Não adianta sofrer pelo que não existe. Não é mais plausível criar um planejamento detalhado a longo prazo porque as chances de seus planos se tornarem ultrapassados em 15 dias serão enormes. Para se tornar produtivo, o novo profissional deve se concentrar no que interessa à empresa agora. Se focar no problema, ele se tornará maior; se focar na solução, várias possibilidades criativas surgirão. Essa forma de pensar e agir é libertadora”, finaliza.

Resiliência espiritual
Não é novidade para muitos, embora alguns teimem em não enxergá-la, que uma boa estrutura espiritual deixa qualquer um mais resistente aos problemas pessoais, profissionais, físicos ou psicológicos. Ela é o resultado prático da Fé inabalável, posta à prova nos momentos mais difíceis. A Bíblia orienta: “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?” (1 João 5.4-5) Essa é a maior das dicas, dada bem antes dos consultores modernos.


Ninguém dura sem resiliência 
  • Marcelo Rangel / Foto: Getty images 


reportar erro