Rede aleluia
IBGE: o grande crescimento dos evangélicos no Brasil
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 31 de janeiro de 2020 - 12:57


IBGE: o grande crescimento dos evangélicos no Brasil

É preciso assumir a fé no Senhor Jesus. Entenda

IBGE: o grande crescimento dos evangélicos no Brasil

Em um período de 10 anos, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) identificou o aumento de 61% na população cristã evangélica, no País. Em contrapartida, o número de cristãos católicos encolheu 12,2%. Os dados são do Censo de 2010, a pesquisa oficial mais recente.

Segundo o pesquisador José Eustáquio Diniz Alves, da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do IBGE, “a tendência é um declínio absoluto e relativo das filiações católicas” e “um aumento acelerado das filiações evangélicas”. A análise foi apresentada em um seminário, em maio do ano passado.

A consequência dessa inversão do alcance na população entre as religiões foi que o Brasil se tornou o país com maior crescimento de evangélicos nos últimos anos. A avaliação é do pesquisador Paul Charles Freston, graduado em História e Antropologia pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra.

Onde surgiu o termo “cristão”?

Vale observar que o termo “cristão” apareceu pela primeira vez na cidade de Antioquia, na atual Turquia, quando alguns dos habitantes passaram a abandonar suas crenças e valores culturais e começaram a seguir os ensinamentos de Jesus Cristo, que eram apresentados pelos apóstolos durante as viagens missionárias (Atos 11:26).

Entretanto, nos dias de hoje, esse termo foi banalizado. Podendo ser utilizado, por exemplo, para apenas designar uma pessoa que frequenta a igreja. Mas, como observa o Bispo Edir Macedo em suas anotações bíblicas, “cristão de fato é aquele que não apenas frequenta uma igreja, mas também renuncia a si mesmo para obedecer à vontade de Deus”. Desse modo, o cristianismo é uma maneira de viver em comunhão com o Senhor Jesus.

Onde surgiu o termo “evangélico”?

Já o termo “evangélico”, surgiu durante a Reforma Protestante. Até meados do século 16, a Igreja Católica tinha um grande poder de influência entre os Estados e suas populações. Porém, certo dia, um homem chamado Martinho Lutero passou a meditar sobre trechos do Novo Testamento e compreendeu algo importante: o justo vive pela fé (Romanos 1:17). Foi então que no dia 31 de outubro de 1517, Lutero pregou um documento chamado “95 teses” na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha, questionando os ensinamentos católicos. Com o tempo, a Reforma ganhou força pela Europa. E outras pessoas ajudaram a traduzir e a explicar a Bíblia nos idiomas locais.

Naquela época, ocorreu um rompimento definitivo desses pensadores e de parte da população com a Igreja Católica. De acordo com o “The Oxford Dictionary of the Christian Church”, desde a Reforma, o termo “evangélico” tem sido aplicado às igrejas protestantes. É uma referência aos 4 livros do Novo Testamento que narram a trajetória do Senhor Jesus na Terra.

Por este motivo, o IBGE classificou a Universal, entre as religiões, como: “Evangélicas de origem pentecostal – Igreja Universal do Reino de Deus”.

Assuma a sua fé no Senhor Jesus

Agora que você já sabe de onde vem o termo “cristão evangélico”, entenda que é necessário fazer algo a mais do que apenas assumir o título. É preciso abraçar a fé em Jesus Cristo e decidir ter um modo de vida segundo os ensinamentos bíblicos. Pois, como seguidores do Filho de Deus, temos que agir como Ele e representá-lO aqui na Terra.


IBGE: o grande crescimento dos evangélicos no Brasil
  • Daniel Cruz / Fotos: Getty Images, Reprodução @jardimbiblico/Inatagram, Marcelo Alves, Demetrio Koch 


reportar erro