Rede aleluia
Fardo ou privilégio: como você vê o seu serviço a Deus?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de Junho de 2022 - 20:52


Fardo ou privilégio: como você vê o seu serviço a Deus?

Acompanhe o estudo de mais um trecho do livro “Eis-me aqui, Senhor”, com Bispo Júlio Freitas

Fardo ou privilégio: como você vê o seu serviço a Deus?

Na Reunião dos Discípulos realizada no último sábado (11), o Bispo Júlio Freitas deu continuidade ao estudo do livro “Eis-me aqui, Senhor” do Bispo Edir Macedo.  Ele falou sobre o tema “Fardo ou Privilégio” abordado na página 56 do livro.

Por que isso é importante:

O Bispo Júlio destaca que quem serve a Deus está em posição privilegiada. E acrescenta que toda profissão é digna de respeito, mas nenhum trabalho é superior ao de servir a Deus, levando a Salvação e o conhecimento da Verdade que salva a alma do ser humano. Por isso, a recompensa para aqueles que amam a Deus é inimaginável, como está escrito:

Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que O amam. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. 1 Coríntios 2:9,10

O Bispo esclarece ainda que:
  • É o Espirito Santo que nos dá essa consciência de que honrá-lO, servi-lO, fazer parte da Sua obra é algo sumamente superior a qualquer outra responsabilidade que você tenha. Então, assim como nossa posição diante de Deus é superior, a nossa recompensa também é superior.
  • O que Deus tem reservado para aqueles que O amam é algo sublime, além do que a gente possa mencionar ou desejar. Em outras palavras, é um alto privilegio, que não é de todos.
  • Somente o Espírito Santo conhece a profundeza de Deus. Nós, seres humanos, somos muito rasos, só conseguimos imaginar, entender o que vemos, ouvimos e sentimos.
O alto privilégio de Servir ao Altíssimo:

Fazer a obra de Deus como obreiro, pastor, bispo, esposa de pastor, não se trata de merecimento ou escolha, mas de uma dádiva concedida pelo próprio Deus àqueles que Ele regenerou, salvou e escolheu para este serviço, assim como escolheu Arão e seus filhos.

Mas tu e teus filhos contigo cumprireis o vosso sacerdócio no tocante a tudo o que é do altar, e a tudo o que está dentro do véu, nisso servireis; eu vos tenho dado o vosso sacerdócio em dádiva ministerial e o estranho que se chegar morrerá. Números 18:7

  • “Deus deixou claro desde o primeiro sumo sacerdote, levitas e aqueles que foram escolhidos para servi-lO que os estranhos não poderiam servi-lO, senão aqueles a quem Ele havia escolhido”, explica o Bispo.

Escolhidos por Deus:
  • “Por isso, Jesus disse: ‘Vocês Me amam porque Eu vos amei primeiro.’ Quer dizer, vocês Me servem porque Eu coloquei em vocês o desejo de Me servir. Ou seja, tudo vem dEle e volta para Ele”, observa o Bispo Júlio.

Dentre bilhões de seres humanos, Deus lhe escolheu, portanto, seja grato(a). Muitos queriam ter sido escolhidos e não foram, porque Deus vê o íntimo, as intenções. Por essa razão, muitas pessoas não recebem o Espírito Santo, porque O buscam com intenções erradas, visando benefícios próprios.

A obra de Deus não pode ser feita por estranhos:

O livro de Atos relata a história de um homem chamado Simão, que fazia mágica na cidade de Samaria e muitos ali o seguiam. Contudo, ao ouvir sobre o Reino de Deus, por intermédio de Filipe – e ver as maravilhas e os sinais que ele fazia – Simão creu e se batizou. Entretanto, quando ele viu Pedro impor as mãos sobre os convertidos e estes receberem o Espírito Santo, Simão ficou maravilhado. Então, ofereceu dinheiro a Pedro para que ele lhe desse também esse poder (Atos 8).

Resultado:

Ficou cego. Ele perdeu a visão física, porque considerou algo que é espiritual como material. Ou seja, ele era um estranho querendo fazer a obra.

  • “Não basta desejar, tem que ser escolhido por Deus e, quando Ele escolhe, Ele capacita. Não importa a idade, a limitação, o nível social, se a pessoa tem ou não problema, não importa o passado dela! Ele a capacita, lhe dá visão espiritual de almas, o ouvido dela passa a ser ungido, ela consegue ouvir o inaudível, ver o invisível, espiritualmente falando. Então, a obra de Deus é simples, mas é muito séria e exige santidade”, alerta o Bispo.
Servir a Deus com gratidão, temor, prazer e santidade
  • “Servir ao Altíssimo é motivo de glória indizível e nunca pode ser considerado uma obrigação, um fardo, uma prisão. Quem é cheio do Espírito Santo, vê essa oportunidade como uma prova da grandiosidade de Deus e, por isso, desenvolve o seu serviço com gratidão, temor, prazer e santidade”, escreveu o Bispo Macedo, no livro.

Clique aqui e acompanhe a reunião na íntegra.


Fardo ou privilégio: como você vê o seu serviço a Deus?
  • Jeane Vidal / Fotos: iStock e Reprodução 


reportar erro