Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 29 de janeiro de 2019 - 13:21


Emiliano Sala, Caio Junqueira, Wagner Montes e as vítimas de Brumadinho: uma reflexão sobre perdas

As fatalidades noticiadas no mês de janeiro deste ano nos ensinam a refletir sobre a brevidade da vida

No dia 21 de janeiro último, o jogador argentino Emiliano Sala (foto à esquerda), de 28 anos, estava em um avião que caiu no Canal da Mancha – uma área marítima entre a Grã-Bretanha e a França, no continente europeu.

As autoridades informaram para a mídia internacional que o jogador estava acompanhado apenas do piloto. Entretanto, até o momento não foram encontrados vestígios da aeronave. Sala viajava para Cardiff, no País de Gales, a fim de assinar um contrato com um time local.

Caio Junqueira, Wagner Montes e Brumadinho

Além do jogador, outras fatalidades também marcaram o mês de janeiro, pela mídia. Como a morte do ator Caio Junqueira (foto à direita), em 23 de janeiro último, que era conhecido, sobretudo, por sua atuação no longa “Tropa de Elite”. Aos 42 anos, Caio foi vítima de um acidente de carro no Aterro do Flamengo, na capital carioca.

Posteriormente, o apresentador Wagner Montes (foto abaixo, à esquerda), aos 64 anos, faleceu em 26 de janeiro último. Segundo informou sua equipe de comunicação, Wagner sofreu sepse e choque séptico – que é, basicamente, uma inflamação resultante de uma infecção.

Por fim, o Brasil foi impactado com a barragem da mineradora Vale que se rompeu, provocando uma tragédia em Brumadinho, no estado de Minas Gerais, desde o dia 25 de janeiro último. As equipes de resgate ainda vasculham o local em busca de sobreviventes.

A brevidade da vida

É importante ressaltar que mortes e tragédias ocorrem a todo momento.  Isso nos faz pensar sobre o quanto a nossa partida deste mundo é inesperada. Todos os dias, pessoas são surpreendidas por esse fato.

O que Jesus falou sobre se preparar para a morte?

Certa vez, o Senhor Jesus falou sobre o tema com Seus seguidores. Ele expôs uma situação hipotética de um homem rico que ajuntou valores para si. Mas que nunca se preocupou com a “vida após a morte”.

“E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade (plantação) de um homem rico tinha produzido com abundância; e ele arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos. E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; e direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! Esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.” Lucas 12.16-21

A alma é eterna

Em suas anotações bíblicas, o Bispo Edir Macedo analisa esse trecho: “Ele (o homem rico da parábola) estava pronto para viver e se divertir, mas não para morrer. (…) De semelhante modo, há quem pense que sua força, sua saúde e seu futuro estão sob o seu controle, por isso desdenha da Vida Eterna.”

Todavia, é preciso compreender que a alma, por ser eterna, é mais importante do que a vida terrena, que é temporária.

“Nada é mais valioso neste mundo que a nossa alma. A vida é dom de Deus e não termina quando a morte chega. O corpo é perecível, mas a alma vive eternamente”, acrescenta o Bispo nas anotações.

Não perca tempo

Cuide da sua Salvação, proposta pelo Senhor Jesus. Você pode ter sonhos e projetos pessoais, mas não deixe a sua alma de lado.

Portanto, participe da Escola da Fé nesta quarta-feira, no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de sua casa.


  • Daniel Cruz / Fotos: iStock, Reprodução 


reportar erro