Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 28 de novembro de 2019 - 12:36


Como lidar com o estresse na sala de aula?

Palestra para profissionais da educação, realizada no Templo de Salomão (SP), abordou o assunto

O estresse na sala de aula é uma situação que há décadas atinge professores, alunos e, por consequência, a sociedade. Um dos motivos é que os problemas familiares refletem na escola, por meio de mau comportamento, violência, agressões e desrespeito. Os profissionais da educação, sem amparo, ficam sem saber o que fazer e se tornam vítimas.

Por isso, o projeto “EducaAção”, em parceria com o “Namoro Blindado nas Escolas” e “Escola de Mães”, realizou uma palestra especialmente para eles. O encontro aconteceu recentemente e a psicóloga Jussara Bomfim abordou o tema de estresse e violência nas escolas.

“Também trabalhamos a autoconfiança desses profissionais, a fé na sua profissão, nos alunos e, obviamente, mostramos a nossa fé inteligente, racional. Nossa ideia é, uma vez por mês, discutir assuntos para melhorar o ambiente na sala de aula”, diz o Pastor Walber Barboza, responsável pelo grupo.

Cerca de 180 pessoas participaram do momento, que aconteceu no Templo de Salomão, em São Paulo. A equipe do projeto também oferece atendimento para alunos, pais, professores, combate a automutilação, o bullying, a depressão e o suicídio.

Benefício coletivo

A diretora Vilma Cândido esteve presente e afirmou que as palestras ajudam a criar uma conexão entre estudantes, familiares e a escola.

“A partir do momento em que eu entendo minhas emoções, consigo entender as emoções do meu aluno e criamos uma parceria entre eles, sua família e professores. Quando há essa conexão, o aluno desenvolve a autoconfiança, descobre seus talentos e, assim, ajuda a criar um mundo melhor”, afirma.

Ana Aparecida Batista dos Santos, de 49 anos, é professora e participava pela primeira vez do encontro. Ela reforçou que a troca de experiências ajuda na relação com as crianças e adolescentes.

“Essa parceria é importante, pois nos orienta e nos ajuda a orientar os alunos. Trocamos experiências e isso é muito importante na condução das atividades na escola”, falou.

A união faz a força

O “Namoro Blindado nas Escolas” também conta com a parceria do grupo “Escola de Mães”, que está presente em eventos que trabalhem com a família.

“Oferecemos não só apoio emocional, mas espiritual; ensinamos a necessidade do professor se fortalecer. Porque se ele não está bem emocionalmente, não pode dar nada aos alunos”, reforça a responsável Néia Dutra.

A Força Jovem Universal (FJU) também está presente para realizar ações e apoiar por meio do projeto Help, de combate ao suicídio.

Para mais informações, ligue ou mande mensagem no WhatsApp (11) 99347-1678 ou (11) 97066-9946.


  • Rafaella Rizzo / Fotos: Cedidas 


reportar erro