Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de fevereiro de 2020 - 11:27


Como alguém consegue amar?

Leia a terceira parte do estudo bíblico, baseado no livro de Gálatas, e entenda

Dando continuidade ao estudo do capítulo 5 de Gálatas, o Bispo Sergio Corrêa, responsável pelos Obreiros, explica que, assim como as pessoas que possuem um ser carnal, naturalmente, suas obras são carnais (Gálatas 5.19-21), os que são nascidos do Espírito, consequentemente, produzem os frutos do Espírito.

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gálatas 5.22

Leia a segunda parte do estudo:

O seu ser é: carnal ou espiritual?

E para ilustrar como isso acontece, o Bispo usou como exemplo a árvore.

Normalmente, quando ela cresce, seus frutos aparecem. Ela não se esforça para isso, porque é da sua natureza frutificar. “Assim é o batizado com o Espírito Santo; ele exala o perfume de Jesus. É algo natural dele. Ele não precisa fazer força”, explica.

E dentre esses frutos, o primeiro é o amor.

A essência do amor

Quando há o novo nascimento, o interior de uma pessoa é transformado: sai a natureza carnal, adâmica e entra a natureza Divina.

E com este novo ser, nasce o amor.

Porém, não se trata do amor tão celebrado pelo mundo e simbolizado por romances e beijos.

O amor gerado nos nascidos de Deus é o sacrificial amor da cruz.

“E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes, dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22.37-40

Amor Divino

Este amor nasce quando o Senhor Jesus Se revela para a pessoa. Um exemplo disso pode ser visto na passagem bíblica descrita no evangelho de João 9:1-10 sobre a cura do cego de nascença.

Depois do milagre, aquele homem, agora um ex-cego, tornou-se o centro das atenções. Porém, ele não tinha visto quem o tinha curado, apenas que Seu nome era Jesus.

Então, coagido pelos fariseus a confessar que Jesus era um homem pecador e, portanto, não poderia ter realizado tal milagre, o ex-cego declarou:

“Ora, nós sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a Deus, e faz a sua vontade, a esse ouve. Desde o princípio do mundo nunca se ouviu que alguém abrisse os olhos a um cego de nascença. Se este não fosse de Deus, nada poderia fazer.” João 9.31-33

Indignados com tal declaração, o expulsaram da sinagoga e, neste momento, o Senhor Jesus o encontrou e Se revelou para ele. Acompanhe no vídeo abaixo essa passagem bíblica que foi encenada na novela Jesus, que foi ao ar pela Record TV:

Amando ao próximo

Ao conhecer o Senhor Jesus e amá-lO, o batizado com o Espírito Santo também passa a amar as pessoas.

O Bispo explica que quando conhecemos o Senhor Jesus, o amor por Ele nos faz abrir mão de qualquer coisa para colocá-lO em primeiro lugar em nossas vidas. E, consequentemente, somos capazes de amarmos a quem nem conhecemos”.

E esse amor não é teórico, mas prático. Pois, a essência do amor Divino é dar.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3.16

Acompanhe semanalmente aqui no Universal.org o estudo feito pelo Bispo Sergio Corrêa sobre o capítulo 5 de Gálatas.

Compartilhe essa mensagem em suas redes sociais.


  • Núbia Onara / Foto: Getty Images 


reportar erro