Rede aleluia
Bispo Honorilton Gonçalves fala sobre a situação em Angola 
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de julho de 2020 - 20:53


Bispo Honorilton Gonçalves fala sobre a situação em Angola 

Em entrevista à Record TV, o Bispo destacou os momentos de insegurança vividos no local

Bispo Honorilton Gonçalves fala sobre a situação em Angola 

Nesta segunda-feira, 13 de julho, os jornalistas Eduardo Ribeiro, Cristina Lemos e Celso Freitas entrevistaram o Bispo Honorilton Gonçalves, durante o “Live JR”, transmitido pelo portal R7, pelas redes sociais da Record TV e pela Record News.

A entrevista foi para falar sobre a atual situação dos brasileiros em Angola. Há três semanas, missionários da Universal têm sido alvo de agressões, os templos foram invadidos, assim como as casas dos pastores. 

Durante a entrevista, o Bispo destacou que a Universal tem sofrido perseguição no país desde janeiro de 2019. Os homens, que são ex-pastores expulsos da Universal por má conduta, tentam dominar os templos e tomar o controle da instituição.

A situação de agressão contra missionários brasileiros tem assustado a todos os pastores. Isso porque a insegurança jurídica tem se intensificado no local. Esta semana, de acordo com o Bispo, homens foram às igrejas munidos de um mandado, emitido por um procurador, a fim de efetuar buscas e apreensões. 

“Nós, realmente, nos preocupamos com a nossa segurança, uma vez que, na última semana, onde vivemos, houve uma megaoperação com 80 homens em vários endereços, onde levaram, não somente documentos, mas servidores, computadores, telefones, Ipad e correspondências da Universal que, segundo a lei angolana, só poderia acontecer com uma ordem de um juiz”, disse o Bispo, durante a entrevista. 

Leia também: Situação contra a Universal em Angola chama atenção de autoridades brasileiras

Insegurança

Ainda segundo o Bispo, o que chama atenção é que as invasões estão sendo durante a pandemia de COVID-19. Nesta época, igrejas foram fechadas e pastores foram presos por estarem com 10 pessoas orando no local. Todavia, os ataques contra a Universal foram realizados por mais de 30 homens e nada foi feito. 

“Se, por acaso, a polícia tivesse encontrado 10 pessoas orando, elas teriam sido presas, mas com esses invasores não aconteceu nada!”, destacou o Bispo, que ainda pontuou que essa invasões foram feitas com o apoio da emissora de televisão angolana.

“A única tevê aberta do país – portanto, com alcance massivo em todas as áreas da sociedade angolana – esteve presente em todas as invasões e deu destaque em todos os telejornais. Quando mandamos comunicado explicando o que está acontecendo, eles não dão destaque ao que a população tem que saber. A tevê está escondendo o que a igreja tem para falar à sociedade”, afirmou o Bispo. 

Confira a entrevista completa no vídeo abaixo:


Bispo Honorilton Gonçalves fala sobre a situação em Angola 
  • Rafaela Dias / Foto: Reprodução  


reportar erro