Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de junho de 2019 - 00:05


Barraqueiras on-line a postos?

Algumas mulheres gostam de "causar" nas redes sociais em postagens com teor ácido e em tom de desabafo. Mas, afinal, o que esse comportamento delas está mostrando?

Se há anos as pessoas foram às ruas clamando por Diretas Já (movimento que ocorreu entre 1983 e 1983 e que reivindicou eleições presidenciais diretas no Brasil), hoje o que se vê são mulheres nas redes sociais despejando indiretas e lamúrias em seus posts. Existe mensagem para todo mundo: ex-namorado, atual namorada do ex, amiga que se distanciou, patrão, vizinha, etc.

Há quem culpe a própria rede social por viabilizar os deslizes dos usuários. Afinal, quando você abre o Facebook, por exemplo, ele te dá as boas-vindas com a frase “no que você está pensando?” A partir daí, salve-se quem puder. Nem precisa deixar um texto grande, já que, ultimamente, cabe aos memes (imagens de humor que viralizam na internet) o papel de disseminar algum tipo de indireta.Há mulheres que perdem tempo retrucando comentários ou enviando mensagens carregadas de insatisfação no particular. É daí que surgem as barraqueiras das redes sociais, aquelas que não perdem nenhuma oportunidade de colocar seu “ponto de vista”.

O fato é que esse comportamento tem sido encarado como algo natural por algumas mulheres que se autointitulam cristãs. No entanto boa parte delas não percebe que suas postagens, na verdade, mostram quem são. Esse é um dos motivos que sorrateiramente mais levam à falência espiritual e, por isso, vale a pena refletir o estamos fazendo com nosso precioso tempo.

De onde vem essa vontade?
Para as que gostam de “causar” nas redes sociais, ficam as perguntas: “de onde vem a vontade de fazer comentários nas publicações alheias ou de dar uma opinião que nem sequer foi pedida?; se a adrenalina ao fazer a postagem é tão energizante, não seria mais interessante dizer o que pensa diretamente à pessoa?; a exposição e a repercussão do assunto causam algum tipo de bem-estar a você que postou a mensagem?”

Tempo desperdiçado
O tempo gasto para atingir alguém com comentários poderia ser usado para fazer algo proveitoso, como investir em si mesma, por exemplo. Quando a mulher busca se conhecer, compreende que não é importante aquilo que os outros pensam ou falam dela. O que tem peso realmente é o que ela sabe de si mesma e o que Deus pensa dela.

A colunista Viviane Freitas avalia que a mulher deve fazer a seguinte reflexão: com qual objetivo uso as redes sociais? Não seria uma forma de desviar a atenção do que realmente é importante? “Esse passatempo inadequado é um dos principais motivos que impedem a pessoa de desenvolver o relacionamento com Deus”, diz.

“Muitas pessoas não receberam o Espírito Santo porque têm dividido sua força. Elas poderiam estar investindo em falar com Deus e ter aquele tempo de qualidade para Ele, de meditar na Palavra dEle. Mas esse tempo não está existindo”, analisa. “Afinal, quando se fica vendo a vida dos outros, mal se consegue observar a sua própria vida”, adverte Viviane.

* Colaborou: Camila Teodoro


  • Flavia Francellino * / Foto: Gettyimage 


reportar erro