Rede aleluia
Amor-próprio: um dos pilares para a felicidade amorosa
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de novembro de 2020 - 00:05


Amor-próprio: um dos pilares para a felicidade amorosa

Larissa dos Santos e João Carlos Souza sofreram porque não estavam bem consigo mesmos. Entenda como encontraram a realização conjugal

Amor-próprio: um dos pilares para a felicidade amorosa

O segundo mandamento deixado por Deus ainda na época de Moisés é: “amarás o teu próximo como a ti mesmo”. É nele que encontramos o motivo pelo qual muitas pessoas sofrem na vida amorosa: amam seus parceiros, mas não vivem o amor-próprio. A falta desta autovalorização permite que a pessoa se sujeite e aceite muitas coisas que a desvalorizam, humilham
e ofendem.

Antes de estar bem com alguém, é preciso estar feliz consigo mesmo. Foi o que Larissa dos Santos, de 23 anos, e João Carlos Souza, de 24 anos, aprenderam ao chegar à Terapia do Amor.

Antes de se conhecerem, eles passaram por muitos sofrimentos e traumas amorosos. “Já no meu primeiro relacionamento descobri uma traição. Comecei a pensar que nunca alguém iria me amar totalmente e ser completamente fiel. Passei a ter ciúmes, desconfianças e complexo de inferioridade”, explica Larissa.

Amor-próprio: um dos pilares para a felicidade amorosa

Para João, a insegurança também foi a razão para os sofrimentos amorosos no passado. “Entrei em um relacionamento, mas, por conta da minha insegurança e do meu ciúme doentio, ele não deu certo. Foi quando percebi que não basta apenas gostar da pessoa”, enfatiza.

Por isso, eles procuraram ajuda nas palestras da Terapia do Amor e, com elas, entenderam que antes de tudo é preciso estar bem e feliz para ter um bom relacionamento. “Lá eu entendi que não temos como fazer alguém feliz se não estamos felizes. Aquela insegurança era porque havia algo errado comigo. Aprendi como resolver esse problema interno nas palestras”, diz João.

Assim como João, Larissa também se curou dos traumas e das inseguranças. “Comecei a frequentar a Terapia do Amor, mas antes eu pensava que ela era só para quem queria se casar. Eu via algumas palestras no Instagram e percebi que precisava de uma cura interior, além de aprender a me amar para depois amar alguém.”

Depois desse processo e quando já estavam bem consigo mesmos, eles se conheceram e assumiram um relacionamento. Com o passar do tempo, eles decidiram se casar no Altar da Universal. O casamento ocorreu em abril de 2018. “Sempre foi meu sonho casar no Altar.

Sempre tive em mente que, por mais que Deus esteja em todo lugar, casar no Santo dos Santos vai ser sempre o melhor lugar. Hoje colhemos muitas respostas e honras do Altar”, diz Larissa.

Atualmente, eles estão realizados sentimentalmente, felizes e fazem bem um ao outro. “Temos um casamento abençoado, com lutas, mas cheio de vitórias, e a força para vencê-las com certeza vem do Altar. Somos parceiros, sem traumas do passado e vivemos o verdadeiro amor e temos muita felicidade”, completa João.


Amor-próprio: um dos pilares para a felicidade amorosa
  • Camila Teodoro / Fotos: Cedidas 


reportar erro