Rede aleluia

Notícias | 18 de outubro de 2019 - 16:19


“A impressão que tenho é que as pessoas torcem para que eu erre”

Em entrevista, Andressa Urach revela as lutas que enfrentou, desde a sua conversão, e que estão relatadas em seu novo livro, “Desejos da Alma”. Acompanhe

“Não sou perfeita, erro, mas a cada dia busco ser uma pessoa melhor. Porém, se hoje eu mudei, tenho vida e paz, é porque o Espírito Santo habita em mim. Ele é minha alegria”, essa é a declaração da apresentadora Andressa Urach.

Aos 27 anos, no auge da carreira, ela esteve entre a vida e a morte quando um procedimento estético, 5 anos após ter sido realizado, começou a apresentar problemas.

Andressa, que sempre estava nas mídias esbanjando beleza, sensualidade e polêmicas, agora corria o risco, caso sobrevivesse, de perder uma perna por causa de uma infecção generalizada.

Milagrosamente, ela sobreviveu, e trouxe a público o que estava por trás de toda aquela busca incansável por fama, relatados em seu primeiro livro, “Morri para viver”, com mais de 1 milhão de cópias vendidas.

Quatro anos já se passaram desde o episódio da internação, e os inúmeros desafios que enfrentou, desde a sua conversão, tornaram-se mais um motivo que ela encontrou para ajudar as pessoas que, hoje, estão como ela esteve um dia.

Em São Paulo, para o lançamento do livro, Andressa contou para o Universal.org detalhes do seu novo livro “Desejos da Alma”, da Editora Unipro, e desabafa: “A impressão que eu tenho é que as pessoas torcem para que eu erre, e assim provar que eu não conheci ao Senhor Jesus, que eu não sou convertida”.

Leia abaixo a entrevista completa abaixo:

Universal.org: Como você avalia a sua vida hoje?

Andressa Urach: Passei por muitas lutas, abri mão de muitas coisas, tive que perder para ganhar. A vida cristã é uma luta diária contra as nossas vontades e se eu não tivesse o Espírito Santo, eu não teria permanecido.

Universal.org: Quando se vê tão serena hoje e lembra da antiga Andressa, o que passa na sua cabeça?

Andressa Urach: Que foi tudo ilusão. O que este mundo oferece é uma alegria passageira, depois você está se sentindo vazio, depressivo e pensando em morrer. Diferentemente desta paz interior que eu conheci por meio do Espírito Santo. Hoje sou completa, tenho paz. Antes, eu precisava estar rodeada por pessoas e, mesmo assim, me sentia sozinha; hoje eu posso estar sem ninguém e não me sinto só, porque eu tenho o principal: o Espírito Santo dentro de mim.

Universal.org: Como e quando surgiu a ideia de escrever o “Desejos da alma”?

A ideia surgiu em 2018, após os atendimentos que eu faço às mulheres no grupo Raabe. Vi que muitas não conseguiam se perdoar, mesmo estando na igreja. Também recebo muitas mensagens nas redes sociais perguntando o que eu fiz para ser batizada com o Espírito Santo. Então, decidi compartilhar minhas experiências no livro. Levei 1 ano para escrevê-lo.

Universal.org: De que forma você acredita que esse livro pretende ajudar àqueles que não conhecem a Deus e, também, os que já O conhecem?

“Desejos da Alma” fala da nossa luta contra os nossos sentimentos. Infelizmente, após a minha conversão, eu acabei dando ouvidos ao meu coração e, por isso, quase me prejudiquei espiritualmente. No livro, falo dos erros que cometi nos últimos quatro anos, a dificuldade que eu tive em relação à culpa que eu sentia por ter errado, achando que Deus não iria me perdoar. Eu tenho certeza que este livro irá ajudar, principalmente, as pessoas que, um dia, tiveram um encontro com Deus, foram batizadas com o Espírito Santo, conheceram o Senhor Jesus, tiveram suas vidas transformadas e alcançaram a paz, mas, no meio do caminho, por algum motivo, acabaram se perdendo ou se esfriando na fé.

E vai ajudar, também, quem ainda não conhece o Senhor Jesus ou está começando na fé, pois conto como venci a ansiedade, a depressão e os vícios.

Universal.org: O que o leitor vai encontrar de diferente entre o livro “Morri para viver” e o “Desejos da Alma”?

Andressa Urach: O “Morri para viver” era a velha Andressa, tudo do meu passado. Os relatos foram até o momento em que eu tive os problemas de saúde e fiquei internada entre a vida e a morte.

E o “Desejos da Alma” é a nova Andressa, como foi essa transição de deixar o passado para trás e agora olhar para frente, com novas escolhas. Falo do meu encontro com Deus e do meu batismo com o Espírito Santo.

Universal.org: Em algum momento você pensou em retroceder por conta da pressão sofrida e das críticas referentes à sua conversão?

Andressa Urach: Muitas notícias saíram na imprensa falando sobre isso, mas comigo não existe esta hipótese de retroceder. Sei que o inferno é real e se eu retroceder (como está escrito na Bíblia) meu estado ficaria 7 vezes pior do que o primeiro. O que houve foi um tropeço no meio do caminho, o que me trouxe muita culpa. E o mais difícil é você se perdoar, isso é um perigo.

Universal.org: Então, você pode afirmar que, durante estes 4 anos, uma das suas maiores dificuldades foi a de se perdoar?

Sim. Eu sabia que Deus me perdoava, mas como eu tinha errado, conhecendo a Palavra de Deus, foi difícil me perdoar. Travei uma luta entre a minha razão e as minhas emoções.  Porque a culpa sempre vinha com o pensamento “não, você sabia a Verdade”. E para piorar, eu cometi um erro e tentei consertar com outro erro, me casando com essa pessoa. Sendo que, na verdade, não tem como: era jugo desigual. Ele chegou a vir para a igreja, se batizou nas águas, mas eu precisava esperar, eu fui ansiosa; a ansiedade me prejudicou. Foi um erro em cima do outro, movida pelo meu coração.

Universal.org: Esse sentimento de culpa não acabou motivando essa pressa em casar logo com ele, pensando que casando esse sentimento de culpa acabaria?

Sim, achei que iria consertar o erro, mas eles só aumentaram. Eu já havia sido orientada a respeito de casar com alguém que não tivesse a mesma fé, mas eu tentei convertê-lo com a força do meu braço, quando quem convence é o Espirito Santo. Após 6 meses, infelizmente, ele me traiu, e isso me trouxe ainda mais dor.

Universal.org: Como você lida quando trazem à mídia, fotos ou vídeos do seu passado?

Andressa Urach: Quando mostram imagens ou falam, é como se não fosse eu, não gosto de olhar, não é algo agradável para mim. Sinto vergonha. Eu era muito vulgar. Deus teve misericórdia de mim. Olhar para aquela Andressa é como se, realmente, fosse outra pessoa. Eu me arrependo muito do meu passado. Se eu pudesse mudá-lo, faria isso, mas não posso. Então, eu o aceito e olho para a frente. Sei que não sou mais aquela pessoa; aquela Andressa morreu.

Universal.org: Em ambos os livros você se expôs. Houve uma diferença entre expor sua vida no passado, a velha Andressa, e expor agora?

Andressa Urach: Não foi fácil escrever nenhum dos dois livros. O “Morri para viver” foi muito difícil, eu chorei muito, passei muito mal, porque era como se eu tivesse tirando um lixo de dentro de mim. Tive que lembrar de coisas que a minha mente já tinha bloqueado. Recordei o abuso sexual sofrido na infância, falei de assuntos muito delicados, da prostituição e das escolhas que eu tinha feito até ali. Minha família foi totalmente contra, porque eu iria contar coisas das quais me envergonho e me arrependo muito. No “Desejos da Alma”, mais uma vez, foi difícil, minha família ficou contra mim, porque expus detalhes do meu relacionamento com o pai do meu filho.

Universal.org: Dos relatos feitos no livro, qual foi o mais difícil para você e por qual razão decidiu expor, acreditando que ajudaria de alguma forma?

Andressa Urach: Na verdade, tudo foi difícil falar. Nesses 4 anos ,as pessoas não têm ideia de quantos momentos difíceis passei, de quantos erros eu cometi, situações da qual eu me envergonho e me arrependo.  E não é fácil falar publicamente os seus pecados, principalmente, depois de conhecer o Senhor Jesus. Você fica sujeita a muitos julgamentos.

Porém, o mais difícil para mim foi falar da vida sentimental. Contei que me relacionei sexualmente antes de casar com o pai do meu filho. Até então, eu nunca tinha falado sobre isso; de coisas que tinham acontecido comigo, e eu quase tinha me perdido. Mas, eu creio que, sendo uma pessoa pública, ao mostrar esses erros, as minhas feridas ajudarão a curar, mostrando como superar e servindo como exemplo do que não fazer.

Universal.org: Muitas pessoas parecem não acreditar na sua conversão. Como lida com isso?

Andressa Urach: A impressão que eu tenho é que as pessoas torcem para que eu erre, só para provar que eu não conheci ao Senhor Jesus e que não sou convertida.

É triste, porque quando eu era uma vergonha, em todos os sentidos, o mundo me admirava e aplaudia. E, hoje, que eu tento fazer o certo e ser uma pessoa melhor, o mundo me julga e condena, fica esperando uma oportunidade de querer provar que eu não mudei.

Mas, eu penso que se no passado eu não me importava com o que as pessoas falavam, agora, menos ainda. E é o tempo quem vai mostrar para elas se eu mudei ou não. Eu entendo essas pessoas que não acreditam, porque só quem conhece a Deus sabe que Ele tem o poder de mudar qualquer pessoa.

Não me machuca o que elas dizem ao meu respeito, porque se você está agradando a Deus, com certeza, desagradará ao mundo, então, isso é sinal que eu tenho agradado a Deus.

Universal.org: Em sua última postagem no Instagram você declarou que está vivendo a melhor fase da sua vida. Por que? O que ela tem de mais especial do que as outras?

Andressa Urach: Porque as lutas trouxeram mais maturidade. Então, eu acredito que esteja sendo a melhor fase da minha vida, porque agora eu consigo ter mais intimidade com Deus. No início da fé é tudo muito novo, mas agora eu sou mais vigilante, consigo discernir coisas espirituais que eu não discernia antes, tenho um entendimento maior da Palavra de Deus.

Deus me preencheu com a Plenitude dEle. Então, mesmo solteira ainda, tenho tudo, porque eu sou feliz com o Senhor Jesus. Ele me completa.

Universal.org: Você tem algum projeto que gostaria de realizar?

Andressa Urach: A gente faz um plano e Deus faz outro. E eu, acima de tudo, quero a vontade de Deus para a minha vida. Hoje eu estou como Obreira, estou como apresentadora de TV em Porto Alegre (RS), e se for da vontade de Deus, no próximo ano, pretendo fazer Jornalismo, porque já estou na área da comunicação. Contudo, a minha vida é para ganhar almas. Então, eu não sei quais são os planos de Deus, me coloco à disposição dEle.

Universal.org: O que você tem a dizer aos internautas que acessam o Universal.org?

Andressa Urach: Vale a pena sacrificar e todos os dias “morrer” para o mundo e viver para o Senhor Jesus. O Espírito Santo é o nosso Bem mais precioso. É preciso colocar toda força para ser batizado e, de igual modo, ter muito cuidado depois para que a chama do Espírito Santo não se apague. E o segredo está em obedecer a Deus e fazer a Sua vontade. Se você fizer isso, arrebenta, do contrário, vai se arrebentar.


  • Núbia Onara / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro