O que nem os computadores são capazes de entender

Por Andre Batista / Imagem: Thinkstock


E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas.
Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas.
E então verão vir o Filho do Homem numa nuvem, com poder e grande glória. Lucas 21.25:27

Se alguém ainda não acredita que a vinda do Filho do Homem está próxima, é hora de rever esse pensamento. Isso porque, a cada dia, são noticiados fatos já anunciados há quase dois mil anos.

Na primeira semana de dezembro de 2017, por exemplo, computadores superpotentes, desenvolvidos para analisarem dados sobre o meio-ambiente, simplesmente não foram capazes de acreditar na velocidade em que a temperatura do planeta aumenta todos os dias.

As máquinas são de responsabilidade de organização Administração Oceânica e Atmosférica Nacional Americana (Noaa) e estão localizadas na cidade de Barrow, no Alasca (Estados Unidos). Essa é a cidade mais ao norte do país e, nela, os cientistas estudam o aquecimento global e seus efeitos.

O fato de a temperatura local ter aumentado 7,8 graus em apenas 17 anos fez com que algoritmos dos computadores eliminassem esses dados, entendendo que seriam erros. Felizmente, cientistas que acompanham os registros diariamente perceberam o “bug” da máquina e consertaram os dados.

“O índice observado atual de encolhimento do gelo marítimo e aquecimento da temperatura está mais alto do que em qualquer momento dos últimos 1.500 anos e provavelmente mais tempo que isso”, afirma o relatório da Noaa sobre o caso.

Um dos muitos eventos

Em seu livro Estudo do Apocalipse, o bispo Edir Macedo explica que os homens “terão que sofrer sob o extremo calor do sol”. É exatamente esse cenário que se comprova no caso de Barrow relatado acima. A incapacidade que a Terra tem de filtrar os raios solares faz com que regiões deixem de ser congeladas, aumentando o calor no planeta, o nível dos mares e causando consequências drásticas na natureza.

“Hoje, por causa da poluição, nós nos deparamos com o chamado efeito estufa, que está virando o clima mundial de cabeça para baixo e dando origem a fenômenos como o El Niño”, explica o bispo Edir Macedo. “Este inexplicável aquecimento das águas do Oceano Pacífico, no Sul, vem causando inúmeras calamidades pelo mundo”.

Essas calamidades incluem, por exemplo, o grande calor que atingiu a Tailândia em abril e destruiu plantações, causado pelo aquecimento global, assim como as altas temperaturas na Austrália, que prejudicaram a vida dos homens e de muitos animais. Isso é o que afirma o Boletim da Sociedade Meteorológica Americana (BAMS).

Esse boletim é resultado do estudo de 116 cientistas em 18 países e conclui que os gases de efeito estufa intensificaram fenômenos como o El Niño, o branqueamento da Grande Barreira de Coral e o calor do oceano Pacífico Norte, impactando na pesca e no abastecimento.

“As mudanças climáticas se tornaram fortes o suficiente para impulsionar eventos de calor além dos limites da variabilidade natural prevista”, afirmou o editor-chefe do BAMS, Jeff Rosenfeld.

O pior ainda está por vir

Se ondas desordenadas de calor são capazes de causar sofrimento e perdas para a humanidade, imagine então quando o sol escurecer, os astros despencarem do céu e o mar não respeitar mais seus próprios limites? Pois é isso que a Palavra de Deus prevê num futuro próximo.

“Quando eu te extinguir, cobrirei os céus e farei enegrecer as suas estrelas; encobrirei o sol com uma nuvem, e a lua não resplandecerá a sua luz. Por tua causa, vestirei de preto todos os brilhantes luminares do céu e trarei trevas sobre o teu país, diz o Senhor Deus. Afligirei o coração de muitos povos, quando se levar às nações, às terras que não conheceste, a notícia da tua destruição.” (Ezequiel 32.7-9)

A Bíblia nos dá uma ideia do que está reservado para os resistentes à Salvação oferecida pelo Senhor Jesus. Especialmente aqueles que já experimentaram essa alegria, mas, devido aos deleites do mundo, esfriaram e deram as costas para a graça de Deus.


“Quantas pessoas têm visto a manifestação do poder de Deus não apenas na vida dos seus entes queridos, mas também na sua própria vida, e mesmo assim permanecem com o seu coração endurecido? Naqueles dias, que já se aproximam, elas não poderão dar desculpas. O Senhor Jesus disse: ‘Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados’ (Mateus 24.22)”, alerta o bispo Macedo.

Se você deseja saber mais sobre as revelações bíblicas e viver uma vida pautada na Palavra de Deus, participe da reunião do Estudo do Apocalipse, que acontece todos os domingos, às 18 horas, no Templo de Salomão, na Av. Celso Garcia, 605, Brás.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente

Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach e Eliana Caetano

Editora de Conteúdo Web:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Maria do Rosário, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone: (11) 3321-5244

Endereço: Rua dos Missionários, 139, Santo Amaro - São Paulo (SP)

Cep: 04729-000