O que fazer para buscar a verdadeira Água viva?

Por Kelly Lopes / Fotos: Demetrio Koch

A água sempre foi sinônimo de sobrevivência, desenvolvimento e prosperidade. A falta dela, portanto, gera morte, declínio e miséria. Nos tempos bíblicos, não era diferente.

O Senhor Jesus falou sobre a água da vida quando estava de passagem em uma cidade samaritana chamada Sicar, enquanto seguia da Judeia para a Galileia.

Cansado da caminhada, Ele avistou um poço e sentou-se junto da fonte para descansar. Foi quando apareceu uma mulher samaritana para retirar água do local.

Jesus, então, pediu água para ela, que não tinha noção de quem era O homem que havia lhe feito tal pedido.

Ela perguntou como Ele, um judeu, poderia pedir água a ela, que era uma mulher samaritana. Jesus respondeu: “Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.” (João 4.10).

Nessa hora, o Senhor Jesus falava de coisas espirituais, mas a mulher não entendia e pensava apenas na sede e na necessidade física. Ela afirmou que o poço era fundo e que não tinha como retirar água dele. Questionou ainda onde encontraria a água viva. Ele, novamente, afirmou: “Qualquer que beber desta água tornará a ter sede; mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.” (João 4.13-14).

Jesus falava de um poço espiritual, com uma água que mudaria a história de vida daquela mulher sofrida e desprezada. Bastava que ela cresse e obedecesse aos Seus ensinamentos.

A mulher confessou que cria na vinda do Messias e, para sua grande surpresa, Jesus revelou que Ele era o Messias.

A mulher samaritana creu e depois de muito conversar e aprender sobre a fé, ela já não era mais a mesma. Quando foi embora, a sua sede espiritual estava saciada e até o cântaro com água, que era tudo o que ela achava que necessitava, acabou sendo deixado para trás.

Assim como nos dias da samaritana, o Senhor Jesus deseja que tenhamos acesso à Fonte de Água Viva. O poço diz respeito à oportunidade de saciar a sede que o ser humano realmente precisa: a sede do Espírito Santo.

Jesus transforma por completo a vida da pessoa somente a partir do momento que ela reconhece essa necessidade.

O poço pode ser profundo, mas isso não quer dizer que seja impossível beber a água que está nele. Quem tem sede dessa água deve estar disposto a se sacrificar por inteiro.

O poço do Templo

O poço representa também local de encontro, citado algumas vezes na Bíblia como cenário em que a solidão teve fim, a exemplo do que ocorreu a Moisés e Zípora, Isaque e Rebeca entre outros.

Contudo, a mensagem mais importante foi deixada pelo Senhor Jesus ao encontrar e mudar a vida da mulher samaritana a partir do momento em que ela acreditou.

Se você crer, pode, também pela fé, encontrar no poço o Senhor Jesus e saciar sua sede.

Uma representação do poço bíblico pode ser vista no Templo de Salomão, no bairro do Brás, em São Paulo. O poço, que é classificado como semiartesiano, tem 220 metros de profundidade e foi construído em junho de 2014.

Quem vai ao Templo de Salomão pode levar uma pequena garrafa e retirar a água do poço em qualquer dia da semana antes e após as reuniões. Aos domingos e às terças-feiras, ela é consagrada nas reuniões para ser consumida segundo orientação dada no dia.

Visite o Templo de Salomão. Para conhecer o Jardim Bíblico, em São Paulo, é muito simples: agende sua visita por meio do site jardimbiblico.com ou pela Central de Informações pelo telefone (11) 3573-3535 ou mande mensagem pelo aplicativo WhatsApp (11) 95244-7461. Para informações sobre as reuniões, os horários e as visitas ao Templo, acesse otemplodesalomão.com.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente