O poder de reerguer quem se encontra caído

Por Michele Roza / Fotos: Cedidas

Milhares de voluntários da Universal no Brasil e no mundo realizam um trabalho de evangelização e acolhimento visitando presídios e levando apoio espiritual aos detentos por meio da Palavra de Deus. Eles também colaboram com a doação de alimentos, kits de higiene, Bíblias, livros e serviços de saúde.

Recentemente, o bispo Marcelo Pires, responsável pela Universal na África do Sul, acompanhado de 25 voluntários do grupo Universal nos Presídios (UNP) entre pastores e obreiros, realizou a primeira concentração de fé e milagres no presídio de segurança máxima St. Albans Correctional Service, na cidade de Porto Elizabeth. O complexo prisional é um dos cinco maiores do país e comporta mais de 5 mil detentos.

Oportunidade de um recomeço

Durante o encontro, o bispo Marcelo Pires explicou que muitos acabam na prisão por conta das más decisões que tomam na vida infringindo regras e leis, mas, por trás disso, há também uma força maligna que os induz ao erro. Ele ainda enfatizou que quando há um arrependimento sincero, Deus pode perdoá-los por esses erros. Em seguida, foram realizadas orações de cura e libertação.

Cerca de 400 detentos participaram da reunião presencial e ganharam o livro “Nada a Perder 3”, do bispo Edir Macedo. No total, foram doados aproximadamente 5 mil exemplares.

“O trabalho é de extrema importância, pois, estamos visitando pessoas que foram retiradas da sociedade por causa de seus erros, mas, que são almas que também necessitam da Salvação. Essa visita significa um passo muito importante para o desenvolvimento do trabalho da Universal nos presídios da África e para os detentos uma oportunidade de um recomeço”, enfatizou o pastor Eduardo Dewes, responsável pelo trabalho na região.

Ainda no mesmo dia, o bispo Marcelo Pires também realizou uma reunião especial com 150 agentes penitenciários, falando sobre a importância da reabilitação dos detentos por meio da fé.

Resgatar pessoas

Os voluntários têm levado a Palavra de Deus e mostrado aos detentos que o verdadeiro amor tem o poder de transformar e erguer aquele que se encontra caído. Esse é o papel de pessoas como o supervisor industrial Michael Lukwe, de 59 anos, que é obreiro e voluntário do grupo em Porto Elizabeth.

“Fazer parte desse trabalho nos presídios significa muito para mim. Deus nos colocou lá dentro para resgatar pessoas, e esse é um grande privilégio. Eu pude perceber a aceitação ao nosso trabalho. As pessoas estão realmente sedentas em ter alguém que mostre a elas o verdadeiro amor, mesmo sem ao menos conhecê-las”, concluiu.

Para mais informações sobre o grupo Universal nos Presídios acesse o perfil oficial do coordenador geral no Brasil, bispo Eduardo Guilherme, clicando aqui. Para outras informações e para saber como se tornar um voluntário do grupo no Brasil, na África do Sul ou em outros países, procure a Universal mais perto de sua casa.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente