O orgulho é a doença da alma?

Por Jeane Vidal / Foto: Fotolia

O orgulho é a origem de todos os pecados da humanidade e o mais nocivo deles. Foi por causa dele que Lúcifer perdeu a posição de querubim da guarda ungido e se tornou o diabo, que logo achou um jeito de plantar essa semente maligna no coração do homem.

Não é por acaso que, constantemente, nos deparamos com pessoas assim: arrogantes, cheias de si, prepotentes, altivas, que se julgam superiores às demais. A convivência com elas se torna muito difícil.

O Bispo Edir Macedo esclarece que enquanto a humildade é a base do caráter de Deus e daqueles que nasceram dEle, o orgulho é a base do caráter do diabo e daqueles que nasceram da carne.

Lúcifer era perfeito, cheio de sabedoria e formosura, mas deixou seu coração se encher de orgulho e desejou ser semelhante ao Altíssimo. Por conta disso, foi expulso do céu.

“Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo.” (Isaías 14.13-14).

É o que acontece com muitos que alcançam sucesso e poder. Ao conquistar uma posição de destaque, essas pessoas começam a se vangloriar e a desprezar os demais.

O grande problema é que dificilmente a pessoa orgulhosa se reconhece nessa condição. E aí está a razão da sua autodestruição, uma vez que, se não há reconhecimento do erro, não há arrependimento. Sem arrependimento, não há Salvação.

De acordo o bispo Renato Cardoso, há apenas duas curas para o orgulhoso: “humildade e humilhação. A segunda normalmente vem depois que você se recusa a adotar a primeira”.

Foi o que aconteceu com Nabucodonosor, rei da Babilônia, cuja soberba era tanta que ordenou a construção de uma estátua de ouro para que todos o adorassem.

Tempos depois, para quebrar a altivez do rei, Deus o fez saber, por meio de um sonho – cuja interpretação foi dada pelo profeta Daniel –, o que aconteceria com ele e seu reino até que reconhecesse a soberania do Altíssimo.

“Serás expulso do meio dos homens, e a tua morada será com os animais do campo, e te farão comer erva como os bois, e serás molhado do orvalho do céu, e passar-se-ão sete tempos por cima de ti; até que conheças que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer.” (Daniel 4.25).

Contudo, antes disso acontecer, ele teve a oportunidade de rever os seus conceitos, mas não quis seguir o conselho de Daniel. “Portanto, ó rei, aceita o meu conselho, e põe fim aos teus pecados, praticando a justiça, e às tuas iniquidades, usando de misericórdia com os pobres, se, porventura, se prolongar a tua tranquilidade.” (Daniel 4.27).

Passaram-se 12 meses e ele continuava cheio de si, até que a profecia se cumpriu e ele foi expulso de entre os homens e passou a viver como um animal.

No final do tempo determinado por Deus ele recuperou a lucidez e glorificou ao Senhor, reconhecendo-O como o verdadeiro Rei, que vive eternamente e tem domínio sobre o reino dos homens. Assim ele foi restituído ao seu reinado e recuperou a majestade e o poder.

“Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, e exalto, e glorifico ao Rei do céu; porque todas as Suas obras são retas, e os Seus caminhos justos, e Ele pode humilhar aos que andam na soberba.” (Daniel 4.37).

Se tivesse sido humilde e dado ouvidos ao conselho de Daniel, Nabucodonosor teria evitado tamanha humilhação. Contudo, precisou ser humilhado diante de todos para que pudesse reconhecer a sua insignificância diante de Deus.

Comportamento

Segundo o psicólogo Alexandre Rivero, a pessoa soberba sente-se superior às outras, subestima a capacidade alheia e é incapaz de colocar-se no lugar do outro. Por conta de suas atitudes, perde oportunidades nos relacionamentos sociais, uma vez que as outras pessoas passam a evitá-la.

“Se você é uma pessoa que trata mal as outras se fazendo superior a elas, esse espírito não provém de Deus. Cuidado”, alerta o Bispo Edir Macedo. Veja o que diz a Bíblia: “Antes da ruína, gaba-se o coração do homem, e diante da honra vai a humildade. ” (Provérbios 18.12).

Mas não se deixe enganar, o orgulho pode se manifestar de várias maneiras. Em alguns indivíduos ele é mais sutil, mas não menos perigoso.

Talvez você seja aquela pessoa que atribui a si próprio o mérito de todas as suas conquistas e realizações. Gaba-se pelas amizades que possui, pelos lugares que frequenta e até por se considerar um cristão exemplar, que maneja bem a Palavra de Deus. Estufa o peito e se enche de satisfação ao ser elogiado.

Ou, quem sabe, você é aquela pessoa que se considera humilde e tem orgulho disso. Se é o seu caso, sinto lhe informar: você pode até ter outras virtudes, exceto a da humildade.

Tudo isso caracteriza uma pessoa orgulhosa, que não reconhece a mão de Deus na vida dela, em suas conquistas e realizações. Em vez disso, pega toda a glória para si, esquecendo-se de que tudo que temos vem da mão de Deus e que toda sabedoria e capacidade humana é concedida a nós por Ele.

Faça uma autoanálise e veja se não está dando a si mesmo a glória que pertence a Deus. Se assim for, saiba que está semeando a sua própria ruína. “Nenhum orgulhoso, arrogante, prepotente, autoritário, opressor ou tirano tem vez diante do Todo-Poderoso”, diz o Bispo Macedo. Como está escrito: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (Tiago 4.6).

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente