“Não é uma aventura, mas uma decisão consciente”

Por Jeane Vidal

No domingo, 17 de setembro, voluntários do grupo da Universal SEAS (grupo que presta auxílio a menores infratores em reclusão) realizaram o primeiro batismo nas águas no Centro Socioeducativo São Francisco – Internação Provisória, localizado em Fortaleza, no estado do Ceará. A instituição é uma das unidades da Superintendência Estadual de Atendimento Sócio Educativo (SEAS) do estado.

Há 6 meses, o grupo atende, aproximadamente, 100 adolescentes, duas vezes por semana. Durante as visitas, os voluntários percorrem bloco por bloco para dar uma palavra de fé e esperança e orar pelos internos, que de dentro da cela, participam da reunião.

O obreiro Samir de Mendonça Souza é um dos que comparecem à unidade todos os domingos realizando esse trabalho de assistência espiritual aos internos, trabalho esse que já começa a dar os primeiros frutos: seis adolescentes decidiram entregar suas vidas ao Senhor Jesus por meio do batismo nas águas.

Antes de realizar o batismo, o voluntário deixou claro para cada um deles o significado dessa escolha. “Hoje cada um tem a chance de viver uma nova vida, o batismo não é uma aventura, mas uma escolha, uma decisão consciente. ”

Ele explicou que, assim como o banho serve para limpar o exterior e precisa ser diário, o batismo nas águas tem a finalidade de lavar a alma. “A partir do momento que a água descer sobre a cabeça de cada um, haverá uma limpeza espiritual, todos os erros do passado serão apagados pelo Senhor Jesus, e a água, ao escorrer pelo chão, estará levando com ela todo pecado e caracterizará um novo começo, uma nova oportunidade”.

Uma Bíblia foi entregue a cada jovem que se batizou e também aos funcionários que presenciaram a cerimônia.

Além do acompanhamento dentro e fora da unidade (quando eles saem), os voluntários também prestam assistência aos familiares. Muitos, inclusive, já estão indo à Igreja. De acordo com o pastor Alysson Freitas, responsável pelo trabalho dentro do SEAS – Ceará, “eles (os familiares) já entenderam e estão bem conscientes com respeito a Deus e à Salvação”.

Em parceria com o grupo Atalaia do Força Jovem Universal, os jovens recebem assistência com alimentação, cursos de informática e a prática de esportes. “Quando o menor sai da unidade, ele não tem praticamente o que fazer, porque abandonou os estudos, a maioria não sabe ler e nem escrever, então, em parceria com o grupo Atalaia nós conseguimos acompanhar muitos adolescentes que voltaram a estudar, fazer cursos e estão vindo à Igreja por causa desse trabalho diferenciado”, explica o pastor.

Foi graças a esse acompanhamento feito pelos voluntários que Juliano Manrique de Deus Oliveira (foto abaixo), de 17 anos, pôde dar um novo rumo sua vida. “Fui preso no dia do meu aniversário. Eu usava maconha, lança perfume, cocaína, doce em papel (LSD), cigarro, bebidas e outras drogas. Saí de casa e fui morar na favela para viver do crime. Andava armado, não tinha paz, uma vida totalmente destruída”, recorda-se.

Juliano teve o acompanhamento dos voluntários durante os dois meses que esteve preso e saiu decidido a mudar de vida. Passou a frequentar a Universal e teve a vida transformada. Hoje sou feliz, tenho paz, e o mais importante, tenho o Espírito Santo”, conclui.


Para saber mais sobre o trabalho desenvolvido pela Universal dentro dos centros sócioseducativos em todo o Brasil, acesse aqui.


ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente