FJUni realiza o "Encontro Nacional dos Universitários"

Da Redação / Fotos: Cedidas

Muitos jovens ainda enfrentam grandes dificuldades para ingressar no mercado de trabalho e se manter em um curso superior. O projeto Força Jovem Universitários (FJUni), com o intuito de dar apoio a esses estudantes ou recém-formados, estimulando, colaborando e desenvolvendo o lado intelectual, profissional, pessoal e espiritual deles, realiza diversas ações, como grupos de estudo, feiras vocacionais e formaturas.

No último dia 5 de março, cerca de 7 mil pessoas em todo o País participaram de uma ação simultânea, o "Encontro Nacional dos Universitários". A primeira parte do grande encontro, transmitida por videoconferência, foi realizada pelo bispo André Souza e aconteceu na Universal no Brás, em São Paulo. Após os testemunhos, cada estado deu sequência ao encontro regional.

“Falamos sobre a importância do voluntariado e de como é possível apoiar quem precisa com o que já aprendemos na faculdade. Mostramos como o projeto FJUni pode gerar benefícios na vida de um integrante, ao mesmo tempo em que esse, com o seu conhecimento, ajuda outros”, disse o bispo André, que é responsável pelo projeto no Brasil.

O valor de cada um no grupo


A voluntária Marcela Silva de Oliveira, de 30 anos, é formada em análise e desenvolvimento de sistemas, mas dá aula de Libras (Língua Brasileira de Sinais) dentro do projeto FJUni. “Comecei a dar aulas em 2010. O meu objetivo é que as pessoas possam se comunicar com os surdos. Desde então, já ajudamos mais de 300 pessoas que puderam aprender Libras e hoje aplicam a linguagem no seu cotidiano acadêmico e profissional. Eu colhi os frutos dessa oferta, ficando fluente em Libras e tive várias oportunidades na carreira, como realizar a tradução simultânea em um congresso político”, contou.

Os encontros simultâneos foram voltados a todos os universitários e profissionais já formados, integrantes ou não do projeto, com o principal objetivo de levar os jovens presentes a conhecerem melhor o FJUni e perceberem qual o real valor de cada um dentro do grupo.

A estudante de serviço social Ligia Lins Valverde, de 20 anos, teve a vida reconstruída ao ingressar no FJUni. “Eu tinha a vida destruída. Tive bulimia e tentei o suicídio. Aos 17 anos voltei à Igreja, me interessei muito pelo projeto e também ingressei no ensino superior. Meu processo de libertação não foi fácil. Contudo, o grupo ajudou não apenas a me firmar espiritualmente, mas a não ser influenciada pelo meio em que vivia”, relatou.

O FJUni ainda disponibiliza uma central de currículos na qual universitários e formados têm a oportunidade de se candidatar a estágios ou a vagas de empregos que o próprio grupo direciona. O projeto também orienta como conciliar a vida de estudante e a vida profissional. “Foi no FJUni que aprendi a administrar o meu tempo com sabedoria e a ter uma visão da minha vida profissional. Aprendi a conciliar os estudos, o emprego e a Obra de Deus”, destacou a estudante do curso de direito Joelma Santos da Silva, de 22 anos.

Se você quer participar do FJUni, procure uma Universal mais próxima de sua casa e informe-se sobre o que fazer. Clique aqui e encontre os endereços.

Confira abaixo mais imagens do evento em todo o País:

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente