Eyshila fala sobre a morte do filho

Por Rafaella Rizzo / Fotos: Reprodução - Demetrio Koch

Cedo ou tarde, todos passarão pelo momento da perda de um ente querido. A morte é um fato, mas nem todos estão prontos para ficar sem alguém que ama.

Recentemente, a cantora gospel Eyshila teve de encarar a morte de seu filho mais velho, Matheus Oliveira. O rapaz, de 17 anos, foi vítima de meningite viral e, apesar de ter sido atendido com rapidez no Hospital Samaritano, localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, entrou em coma e acabou falecendo no dia 14 de junho. Centenas de pessoas, entre fãs, artistas, familiares e amigos enviaram mensagens de apoio à cantora.

Quase um mês após o ocorrido, Eyshila decidiu falar sobre tudo que enfrentou pela primeira vez em um programa de televisão. Ela concedeu uma entrevista exclusiva ao “Programa do Gugu”, da Rede Record. Confira abaixo:

Não é o fim

Uma frase que chama atenção no depoimento de Eyshila é quando ela diz que, apesar da dor, é preciso seguir em frente. “Eu tenho o direito de continuar viva e, mais do que isso, tenho o dever de dizer para as pessoas que você não precisa se enterrar com quem você enterrou. Temos que dar prosseguimento à vida”, frisa.

Infelizmente, não foi o que ocorreu com dona Silvarina, uma senhora de 63 anos. Seu filho, que era policial militar, foi morto por bandidos e, logo após o enterro, ela não resistiu, teve um infarto e também faleceu. Veja o caso aqui.

Apesar da morte de um filho ser extremamente dolorosa, Deus é capaz de consolar os corações dos que confiam nEle. Claro que isso não significa estar isento de sentir tristeza, saudades ou chorar, mas, pela fé de que Deus está presente, temos certeza de que Ele é poderoso para nos acalmar e nos fazer aprender como ser pessoas melhores, até mesmo em momentos ruins.

Foi o que aconteceu com o supervisor comercial Leonardo Lafiandra, de 30 anos. Ele é obreiro da Universal e, em um domingo, recebeu a notícia de que a irmã de seu pai estava hospitalizada e com a saúde comprometida. “Fiquei preocupado, mas ao mesmo tempo fiz daquela situação uma oportunidade para determinar sua cura e evangelizar minha família. Fiz uma oração e ela, que estava desacordada, reagiu”, lembra.

Nesse momento, Leonardo estava confiante na recuperação de sua tia, mas algo inesperado aconteceu. “Dias depois, para minha surpresa, ela acabou falecendo”, conta.

O supervisor ainda revela que temia pela reação do pai à essa notícia, mas confiou em Deus. Passado o enterro, o pai de Leonardo ficou abatido, chorou muito e nesse momento ele aproveitou para fazer o convite para que ele fosse à igreja. “Ele aceitou e, ao terminar a reunião, o pastor o atendeu e orou por ele. Ele já estava mais calmo e aproveitei o ensejo para convidá-lo para conhecer o Templo de Salomão. Ele aceitou, gostou muito da reunião e, depois daquele dia, ele está indo praticamente todas as semanas”, comemora.

Podemos ver que de uma situação difícil, e até incompreendida, Deus cuidou de cada detalhe, assim como está escrito: “ E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” Romanos 8:28

Você está enfrentando um momento difícil e não sabe como agir? Converse agora mesmo com um pastor e receba uma orientação de como vencer esse problema. Caso queira assistir a uma reunião, veja o endereço da Universal mais próxima aqui.

E se essa matéria te ajudou, não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente