"Elga é uma hebreia meio cabeça de vento"

Por Rê Campbell / Foto: Munir Chatack

Denise Del Vecchio emocionou telespectadores do Brasil e do mundo ao interpretar Joquebede, a mãe de Moisés na novela Os Dez Mandamentos. Prestes a completar 63 anos, a atriz está de volta à tela da Record TV com sua quinta personagem em produções inspiradas na Bíblia. Na trama O Rico e Lázaro, ela dá vida à hebreia Elga, mãe de Zac (Igor Rickli) e esposa de Chaim (Henri Pagnoncelli).

Supersticiosa e desleixada com os costumes de seu povo, Elga gosta de fazer amuletos e consultar adivinhas. A sinopse da trama indica que ela é uma mulher fútil e ingênua, mas de bom coração e com muito amor pelos filhos.

Com mais de 40 papéis na televisão e outras dezenas no teatro, a veterana conta, em entrevista exclusiva à Folha Universal, detalhes do novo trabalho e fala de fé e escolhas. Escrita por Paula Richard e com direção de Edgar Miranda, a novela O Rico e Lázaro é exibida de segunda a sexta-feira, a partir das 20h45, na Record TV.

Folha Universal: Joquebede, de Os Dez Mandamentos, sabia manter a fé mesmo diante de dificuldades. Quais são as características mais marcantes de Elga, sua nova personagem?

Denise Del Vecchio: Elga é uma hebreia meio cabeça de vento. Criou seis filhos, mas sem muito comprometimento com a educação deles. Contou com a ajuda da fiel Zelfa (Lucinha Lins). É esposa do autoritário Chaim. Durante toda a vida, ela se omitiu diante da violência com que seu marido tratava os filhos. Substituiu o respeito ao marido pelo medo e nunca expõe sua opinião. Até o presente momento da novela, ainda não percebi uma mudança significativa na trajetória dela. Ela continua infantil e inconsequente.

FU: Como foi o processo de criação da personagem?

Denise: Depois de Joquebede, confesso que foi bem difícil encarar uma mulher tão superficial. Mas esse é o meu trabalho. E fiz o que sempre faço. Procurei observar mulheres que hoje em dia têm esse comportamento fútil, mas procuro não condená-las, algo que aprendi interpretando Joquebede. E, com essa visão, descobri um humor gostoso na personagem, que a faz simpática, apesar de tudo.

FU: Com a novela O Rico e Lázaro, você soma seis papéis em produções inspiradas na Bíblia. Quais foram os momentos
mais marcantes?

Denise: Lia, de José do Egito, foi uma personagem muito rica, cheia de contradições e que me possibilitou uma cena linda quando, depois da morte de Raquel (Mylla Christie), ela se dá conta da inveja que tinha da irmã e se arrepende. Com Joquebede tive vários momentos que me fizeram feliz. O reencontro com Moisés (Guilherme Winter) foi um deles. A cena da morte da personagem também me ofereceu um texto lindo, que resultou em uma cena bastante emocionante. Além disso, o reconhecimento e o amor do público por ela foram marcos na minha carreira e na vida. Sua coragem e fé ajudaram muitas pessoas no Brasil e no mundo.

FU: Após atuar em tantas tramas que abordam a fé, como você define esta palavra?

Denise: A definição de fé depende da convicção íntima de cada um. Para mim, fé é a adesão absoluta do espírito àquilo que se considera verdadeiro. Sem fé não consigo levantar da cama de manhã. Adoro o verso do Gilberto Gil que diz “andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar”.

FU: O enredo de O Rico e Lázaro fala de escolhas. Para você, o que deve ser levado em consideração no momento de fazer
uma escolha?

Denise: As escolhas sempre são difíceis, pois necessariamente precisamos abrir mão de alguma coisa para ficar com outra e toda perda dói. Para orientar minhas escolhas, procuro levar em conta o objetivo final. Mas nem sempre é fácil. Muitas vezes, as circunstâncias da vida empurram você para o outro lado. Mais importante do que tudo, eu acho, é não trair a si mesmo. Não abrir mão de princípios
e convicções.

Produções bíblicas

Conheça outras personagens interpretadas pela atriz Denise Del Vecchio em tramas inspiradas na Bíblia da Record TV

Joquebede (foto à esq.), de Os Dez Mandamentos. A mãe de Moisés conquistou o público do Brasil e do mundo com sua fé inabalável e sua coragem.

Keila, do episódio “O Endemoniado Cego e Mudo”, de Milagres de Jesus. Keila era mãe de Noemi, jovem que busca a cura para o amado Aziz, o “endemoniado” da história.

Lia (foto à dir.), de José do Egito. Ela era esposa de Jacó e irmã mais velha de Raquel. Lia invejava a irmã e adorava fazer intrigas, mas passou por transformações ao longo da trama.

Rebeca, de O Desafio de Elias. Essa foi a primeira personagem da atriz em uma trama bíblica da Record TV, em 1997.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente