Conheça a história de Lutero, o homem que traduziu a Bíblia

Por Daniel Cruz / Foto: Lucas Cranach the Elder (CC)

No dia 31 de outubro deste ano, um movimento muito importante para o Evangelho comemora 500 anos: a Reforma Protestante.

Ela ganhou esse nome porque separou em “antes” e “depois” a maneira como a pessoas pensavam sobre a Bíblia.

Quem liderou esse movimento foi Martinho Lutero, um estudioso da Bíblia que vivia na Alemanha, no século 16. Certo dia, ao meditar sobre trechos do Novo Testamento, Lutero compreendeu um conceito importante: o justo vive pela fé – algo diferente do que era ensinado para as pessoas naquela época.

Como destaca a “Bíblia de Estudo da Reforma”, elaborada em edição comemorativa aos 500 anos: “Em contraste com o que Lutero aprendeu sobre a Palavra em sua juventude, ele veio a crer que a Palavra não era sem vida e passiva, mas era realmente viva e vivificadora. Ele viu que, por meio de Sua Palavra, Deus agiu para abençoar e guiar a Sua Igreja. Portanto, Lutero viu o Evangelho da Palavra de Deus como um meio de graça.”

De acordo com o doutor em ciências da religião e secretário de comunicação e ação social da Sociedade Bíblica do Brasil, Erní Walter Seibert, de 64 anos, a contribuição desse movimento foi muito ampla para a humanidade: “Quando a Reforma ocorreu, pensava-se que era apenas uma ruptura na Igreja Católica. Mas, com o decorrer do tempo, se viu que ela teve outras consequências além do aspecto religioso, que é fundamental. Esse movimento mudou os cenários político, econômico e cultural de seu tempo. Hoje, ao celebrar os 500 anos da Reforma, praticamente todas as denominações cristãs e mesmo o mundo secular reconhecem a importância desse acontecimento.”

Antes da Reforma Protestante, a Bíblia era reproduzida em latim – uma língua antiga que poucas pessoas sabiam ler – e apenas os pregadores da Igreja Católica tinham acesso às passagens que havia ali.

Por isso, os frequentadores das igrejas não podiam adquirir as orientações dos Textos Sagrados por si próprios.

O homem por trás da Reforma

“Martinho Lutero foi um padre agostiniano que, por sua experiência de fé e estudos da Bíblia deu início a uma das maiores revoluções religiosas, culturais e sociais da história. Ele levava a sério o que aprendia no estudo da Bíblia Sagrada e aplicava isso à vida. Começou falando a respeito da prática das indulgências (clemência, misericórdia), mas levou consistentemente a sua mensagem a vários setores da vida do seu tempo. O ponto que considerava mais importante em todo o seu trabalho foi ter traduzido a Bíblia Sagrada para a língua do povo”, explica Seibert.

Em 1522, Lutero traduziu e publicou uma versão do Novo Testamento por meio de uma tecnologia de impressão que havia na época, chamada “prensa com tipos móveis”. Isso possibilitou uma produção em larga escala do Texto Sagrado, que se espalhou rapidamente pela população da Alemanha. A tradução completa da Bíblia, por Lutero, foi lançada em 1534 e bem recebida pelas pessoas.

“O Meu justo viverá pela fé”

Como esclarece o bispo Edir Macedo, no livro “O Espírito Santo”: "A História registra o fato de que Martinho Lutero viveu num convento católico, e tudo o que fazia era na intenção de se purificar diante de Deus. Ainda bem não tinha terminado uma tarefa no convento, logo pegava outra, e mais outra, de sorte que o dia inteiro trabalhava duro na lavagem de pratos, chão, roupas. À noite, estudava a Bíblia e orava. Isso aconteceu durante muitos anos, até que, um dia, quando estava lavando a escadaria do convento, o Espírito Santo falou forte ao seu coração: 'Todavia, o Meu justo viverá pela fé...' (Hebreus 10.38). Então ele imediatamente parou de lavar as escadas e disse consigo mesmo: 'Se o justo vive pela fé, então todo o meu sacrifício manual é em vão!' Tempos depois, abandonou definitivamente a Igreja Católica para ensinar ao povo que a Salvação da alma vem pela fé, e não através de penitências pessoais. Daí nasceu o autêntico cristianismo no mundo, quando as pessoas deixaram de lado as obrigações religiosas para viver apenas pela fé naquilo que o Senhor Jesus realizou por aqueles que nEle creem. Se a Salvação das pessoas ocorresse através das obras de caridade, então o Senhor Jesus não precisaria vir a este mundo, bastava apenas ordenar que se fizesse caridade para a Salvação, e pronto. Mas não, a Salvação das pessoas só é possível quando elas aceitam o sacrifício do Senhor Jesus, somente pela fé.”

No Univer Vídeo, plataforma de vídeos cristãos na internet, você pode assistir ao documentário Martinho Lutero, que foi filmado na Alemanha e mostra a vida e o trabalho do reformador protestante em detalhes.

Compartilhe nas redes sociais.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente