Como saber se minha fé está doente?

Por Janaina Medeiros / Fotos: Fotolia, Demetrio Koch e Marcelo Alves / Arte: Edi Edson

Expressar a fé em Deus é imprescindível para conquistar as bênçãos desejadas e, principalmente, a Salvação da Alma. Mas, para isso, é preciso que esta fé esteja saudável. Muitas pessoas ficam espiritualmente frágeis porque deixam de seguir os ensinamentos da Palavra de Deus. E isto torna sua fé enferma.

O bispo Sergio Corrêa (foto abaixo), responsável pelo grupo de obreiros da Universal no Brasil, explicou em uma recente palestra no Templo de Salomão que a fé fica doente quando o cristão se expõe às palavras negativas vindas de pessoas que estão ao seu redor. “É aquela pessoa que, um dia, foi saudável na fé, mas foi infectada pelo vírus da dúvida que entrou por meio de uma palavra. Ela entra pela cabeça, se aloja no coração e, se não for curada, leva à morte espiritual.”

Ele deu o exemplo de Adão e Eva, que pecaram no Jardim do Éden após a mulher ter dado atenção ao diabo. “Antes, ela estava firme em obedecer a Deus. Mas quando Satanás lançou a semente da dúvida fez com que entendessem que se comessem do fruto seriam iguais a Deus.”

Os ouvidos são um dos principais meios de entrada da dúvida. Por meio deles, a pessoa deixa entrar a insegurança que a faz se desviar dos ensinamentos de Deus.

Os olhos também podem ser contaminados quando ela passa a reparar em atitudes erradas. Já a boca passa a expressar as mesmas palavras negativas que antes dera ouvidos.

O bispo Sergio destacou que o próprio Senhor Jesus estava sempre vigilante com relação ao que ouvia. “Quando estava para ser crucificado, Pedro encostou nEle amigavelmente e disse: ‘de maneira nenhuma isso vai acontecer com o Senhor’. Ele estava mostrando supostamente que queria o bem do amigo. Mas Jesus, como estava atento, percebeu que era o diabo usando a boca de Pedro lançando uma palavra no Seu ouvido. Então, na hora, Ele disse: ‘arreda-te Satanás’”.

A psicoterapeuta e life coach Eliana Barbosa explica que a consequência das palavras na vida das pessoas depende de quem as recebe. Se a pessoa já é propensa à negatividade, ao pessimismo e às reclamações, as palavras negativas exercem o seu poder de forma mais forte, tornando-a ainda mais insegura. “Se você vive cercado de pessoas tóxicas, cujas palavras são negativas o tempo todo, e for uma pessoa insegura, receberá essas negatividades como verdades.”

Então, para permanecer com a fé saudável é preciso se manter “surdo” às palavras tóxicas. “Previna-se, imaginando-se protegido por uma bolha invisível, em que você só permite entrar pensamentos, palavras e sentimentos bons. Nós não podemos mudar a natureza dos outros, mas temos a obrigação de cuidar de nossa própria vida”, recomenda Eliana.

Diagnóstico

Alguns cristãos procuram obter a solução para seus problemas baseados na opinião de outras pessoas, em vez de focarem apenas no poder de Deus.

Em uma recente reunião no Templo de Salomão, o bispo Clodomir Santos (foto ao lado) apontou que essa busca constante de informações traz prejuízos à fé a ponto de adoecê-la. “É como ocorre quando você tem um problema de saúde e pesquisa muito sobre o assunto. Aí você vai ao médico e o que ele fala a respeito da doença não faz você acreditar tanto, porque você já se informou por fora.”

A procura incansável de opiniões alheias mostra que a pessoa já não estava com sua fé definida. Dessa forma, é provável que ela passe a agir conforme suas emoções, fazendo murmurações e se comportando como vítima dos problemas. “A pessoa fica magoada, ressentida e se entrega à tristeza, às preocupações, à ansiedade e ao medo porque está enferma”, argumentou o bispo Clodomir.

Ele ainda afirmou que uma fé debilitada faz a pessoa tomar atitudes erradas e, assim, ter seus projetos fracassados. “O enfermo na fé vira uma presa fácil do diabo e, então, ele fracassa nas suas escolhas. Por isso que dentro da igreja tem muita gente fracassada.”

O empreendedor Felipe Santos de Lima (foto ao lado), de 24 anos, sempre obedecia aos ensinamentos de Deus e, por isso, já havia visto a manifestação de Seu poder em sua vida. Porém, há alguns meses passou a ficar ansioso em conquistar bênçãos na área financeira. “Queria ver minha vida financeira lá na frente. Então, por ter pressa em ver as promessas de Deus se cumprindo na minha, fui ficando fraco na fé”, conta.

Os problemas nessa área começaram a surgir. Em vez de o jovem dar ouvidos às palavras de fé para superá-los, deixou-se contaminar pela dúvida. Aos poucos, os sinais do adoecimento espiritual apareceram. “O maior sintoma foi quando percebi que não tinha forças para permanecer em uma corrente na igreja e não tinha mais vontade de participar do grupo de evangelização.”

Dali não demorou muito para Felipe ter sua fé enferma. Ao ver que sua comunhão com Deus estava completamente abalada, resolveu tomar uma atitude para curar sua fé. “Precisei voltar ao primeiro amor e buscar o perdão de Deus.”
Agora, ele entende que a saúde de sua fé é muito preciosa para ser colocada em risco. “A todo tempo lembro de como Deus tem me guardado e me direcionado aos planos dEle. Ele não só tem me reerguido como também me dá forças para não desistir.”

Infecção contagiosa

O vírus que contém palavras e pensamentos que contaminam a fé é transmitido de uma pessoa para a outra. Isso quer dizer que alguém já enfermo na fé tanto pode prejudicar ainda mais uma pessoa que também apresenta os mesmos sintomas de adoecimento quanto infectar outra que está saudável.

Por isso, é preciso ficar distante de quem está com a fé adoecida. “Se você está com a fé doente e ouve a voz de um enfermo na fé, você não ficará curado. E se você estiver saudável na fé também fique longe dele. Imagine uma pessoa que tem saúde e outra que está gripada, quem contamina quem? É claro que a gripada contamina a saudável. Na vida espiritual não é diferente”, exemplificou o bispo Clodomir.

A assistente jurídico Ana Paula Barbosa (foto ao lado), de 26 anos, tinha a fé saudável até ser contaminada pelo vírus da dúvida proveniente de comentários que faziam a seu respeito.

Há cerca de três anos, ela, que antes era sempre disposta a colaborar com a Obra de Deus como obreira da Universal, foi vendo sua fé adoecer. “Eu dei ouvidos às pessoas que diziam que eu fazia as atividades na igreja apenas para ‘aparecer’. Isso me fez ter maus olhos e me trouxe dúvidas a respeito da minha fé. Então, decidi parar de fazê-las.”

O fato de deixar que a insegurança entrasse em sua mente trouxe consequências negativas para o seu relacionamento com Deus. “De imediato eu não senti nada, só um alívio porque pareceu que eu estava fazendo a coisa certa. Mas, depois de um tempo, eu já não tinha mais vontade de orar, ler a Bíblia e ir à igreja. Às vezes até ia, mas nem prestava atenção ao que estava sendo ensinado. Meu corpo estava ali presente, mas minha vontade era de que a reunião acabasse logo.”

Já sem atuar como obreira, Ana Paula percebeu que poderia perder a sua Salvação. Então, ela entendeu que precisava se arrepender e voltar a ter as mesmas atitudes de quando havia começado a sua caminhada na fé.

Após oito meses, ela pediu ajuda a Deus. “Em uma quarta-feira, indo à igreja apenas para não ter que dar satisfações às pessoas, olhei para o Altar e falei: ‘Deus, antes o meu prazer era estar aqui dia e noite e hoje nem na porta eu quero pisar.’ Então, pedi socorro a Ele com toda sinceridade e fiz tudo como me orientaram para recomeçar.”

Com o passar do tempo, Ana Paula foi limpando seus olhos, ouvidos e seu coração e curando sua fé para poder novamente se dedicar à Obra de Deus. “Hoje, passo por lutas, mas sei que a arma para vencê-las é a minha fé, que, agora, não é mais enferma.”

Fruto podre

Outra forma de se contaminar espiritualmente é se expor a pessoas que um dia estiveram com a fé enferma, mas, por não terem sido recuperadas, fizeram com que ela morresse. São aquelas que pecaram e se afastaram da presença de Deus.

Durante um dos programas Palavra Amiga, na Rádio Aleluia, o Bispo Edir Macedo explicou que não se deve atender às argumentações negativas dessas pessoas. “Quantos foram ajudar os caídos que não queriam se levantar e acabaram caídos também? Se o Espírito Santo não os convenceu, sou eu que vou convencer? Eles que têm que se consertar com Deus. Eu cuido de mim e procuro não enxergar aquela situação.”

Além disso, a infecção da fé também pode acontecer ao manter um relacionamento afetivo com alguém que não possui a mesma fé. “Se você gosta de uma pessoa que não tem a mesma fé que você, não tente se iludir achando que vai trazê-la para Deus. Pode até acontecer, mas é mais provável que você se deixe contaminar pela incredulidade dela do que você convertê-la”, alertou o Bispo Macedo.

Foi o que aconteceu com Jessica Cristina da Silva (foto ao lado), de 32 anos. Após frequentar a Universal durante oito anos e ver as bênçãos de Deus em sua vida, como a libertação dos problemas familiares, por exemplo, Jessica deixou sua comunhão com Deus de lado ao manter um relacionamento que a fazia se distanciar dEle. “Não orava mais, não jejuava mais. Esquecia de fazer meus votos e era uma pessoa inconstante dentro da igreja.”

Por causa disso, passou a ter maus olhos com tudo o que era feito na igreja. Aos poucos, foi percebendo que sua fé não era mais saudável como antes. “Não colocava em prática o que aprendia na igreja. Percebi, então, que minha fé estava ficando doente”, justifica.

Apesar disso, seu orgulho não a deixava enxergar que precisava de ajuda para curar sua fé. Até que um dia, Jessica percebeu que se distanciou completamente de Deus. “Acabei me afastando da igreja por 15 anos. Tive outro relacionamento amoroso e mesmo com duas filhas ele acabou me abandonando. Depois, com outro parceiro, tive mais uma filha. Tentei até me matar porque não encontrava a solução para os problemas.”

Após três tentativas de suicídio, ela resolveu buscar a Deus novamente e passou a agir conforme a vontade dEle. Aos poucos, sua fé foi sendo restabelecida. “Hoje, quando há algum problema eu não murmuro, porque a Palavra de Deus aviva minha fé.”

A cura da fé

Durante seu programa, o Bispo Macedo ressaltou que o tratamento para curar a fé que está enferma consiste na entrega sincera da pessoa ao Senhor Jesus. “Você ficou doente na fé? Veja onde falhou e volte-se para Ele de todo o seu coração, todo o seu entendimento e com toda a sua humildade.”

Como uma pessoa enferma na fé geralmente está indisciplinada com relação à Palavra de Deus, ela precisa novamente buscar a Sua disciplina. “Tem que andar dentro da obediência para, assim, remover a dúvida, dar fôlego novamente à sua fé e curá-la”, avisou o Bispo .

Quanto àqueles que estão saudáveis na fé, é preciso que filtrem as palavras provenientes dos que estão enfermos ou mortos na fé para que não sejam contaminados. Quando os problemas surgirem, persevere para resolvê-los. “Deus permite que passemos tribulações para nossa fé não parar de funcionar e não para que ela fique acomodada e adoeça. O que é nascido de Deus vence o mundo e essa é a vitória que vence o mundo, a nossa fé”, alertou.

Tratamento da fé

Se você perceber que está com algum dos sintomas da enfermidade na fé, dirija-se, no próximo domingo, a um templo da Universal e participe de um encontro para restabelecê-la. Na ocasião, leve uma garrafa com água para receber, gratuitamente, a “gota do milagre”. Você vai usá-la para a restauração da sua saúde espiritual. Confira os endereços no site universal.org/enderecos

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente