Cenas fortes: BBC expõe as tramas do Vaticano para encobrir pedofilia. Assista

Da Redação / Foto: Thinkstock

Um homem vestido com uma longa batina preta e colarinho branco entra sorrateiramente num quarto onde várias crianças, todos meninos, dormem. Eles, além de inocentes pela a tenra idade, têm deficiência auditiva.

O homem caminha por entre os corredores de camas observando atentamente a expressão facial de cada um até escolher a sua vítima em potencial. Depois de olhar profundamente os rostos, ele senta-se calmamente à beira de uma das camas. Está tão seguro de si, tão confiante de que nada nem ninguém poderá detê-lo, que não se importa se alguma criança acordará. Nessas condições, como conseguir se proteger?

Devagar ele levanta o cobertor. O garotinho veste um pijaminha de bichinho. Ele passa a mão por debaixo da coberta acariciando sua perna e sutilmente escorrega-a por aquele frágil corpinho. A criança acorda e se assusta com aquele homem sorrindo sinistramente para ela – como se aquele sorriso quisesse dizer que aquilo que estava fazendo não era nada demais, mas apenas um “bom ato” cometido por um “bom homem de Deus”. “Você deve se sentir privilegiado por ter sido escolhido, menino” – ele expressa com aquele malicioso sorriso.

A penumbra do quarto assusta muito mais porque faz o menino reconhecer a pessoa por trás daquele sorriso maligno. Ele se desespera silenciosamente porque sabe que não poderá recorrer a ninguém. Porque sabe que seus pais jamais acreditarão em qualquer palavra sobre essa natureza, e porque a autoridade máxima daquele lugar é a mesma pessoa que silenciosamente o ataca. Por quanto tempo mais? Até quando terá que suportar aquilo? O tempo passa e aquela criança se pergunta o que pode fazer para impedir que essa realidade não alcance outras crianças.

A cena acima aconteceu de fato, em uma escola comandada por padres católicos nos Estados Unidos. Mas o pior e mais preocupante é que não aconteceu uma, duas ou dez vezes, mas centenas de vezes, com crianças completamente indefesas e inocentes, em vários países. O Vaticano sabia, sempre soube, e por incrível que pareça, desde o século 4 depois de Cristo. Mas por que nunca fez nada para deter os padres católicos efetivamente, é que é a grande discussão.

Omissão? Descaso com as vítimas? Preocupação com a reputação da Igreja? Conivência? Tire as suas próprias conclusões neste vídeo que dispensa explicações sobre esse grave problema que ocorre atrás das fortalezas do Vaticano. Saiba o que as vítimas de padres pedófilos sofreram, o que elas dizem e como eram induzidas a fazer tudo o que eles queriam.

Assista e entenda o que muitas crianças sofrem caladas em lugares considerados santos e inquestionáveis por milhões de pessoas em todo o mundo. E então, diante disso, a grande pergunta a ser feita é: Será que isso não acontece aqui no Brasil também? O que garante que muitas meninas e meninos não estejam, neste momento, sendo abusadas por pessoas que nem mesmo os pais ousam questionar? Confira abaixo o documentário de "Mea Maxima Culpa".

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente