Bombeiros conhecem o Templo de Salomão

Por Maiara Máximo / Fotos: Demetrio Koch

O Templo de Salomão recebe milhares de pessoas todos os dias. Entre elas, há profissionais das mais diferentes áreas que, muitas vezes, movidos pela curiosidade, visitam o Santuário. Quem conhece o Templo e já teve a oportunidade de fazer um passeio pelo Jardim Bíblico sabe como a experiência é única.

O convite

No dia 21 de setembro, os bombeiros da Corporação da Sé, no centro de São Paulo, responsáveis pela divisão de análise centralizada de prevenção de incêndio na capital paulista, foram ao Templo pela primeira vez e participaram do passeio.

De acordo o bispo Douglas da Silva, do Templo de Salomão, a iniciativa de convidar os homens da força de segurança pública de São Paulo teve o objetivo de proporcionar para os membros desse grupamento um momento de reflexão e o exercício de fé. “Esse é um dos auxílios que podemos dar no controle de estresse em uma profissão tão exposta a situações de emergência e pressão, como a deles, em que um pequeno deslize pode custar vidas. Por meio da fé, é possível encontrar forças para enfrentar os problemas que a profissão apresenta”, afirmou.

O passeio

Luan Vilvert, sacerdote e guia responsável pelo passeio, deu início ao evento. Ele explicou o que cada bombeiro iria presenciar ao chegar próximo ao Tabernáculo. “Estamos no espaço onde recriamos o Egito e nessa uma hora em que vamos ficar juntos é como se nós passássemos para vocês todo o contexto do livro mais lido e mais conhecido no mundo inteiro: a Bíblia. Vamos ‘caminhar’ sobre as Escrituras Sagradas”, comentou.

O sacerdote enfatizou ainda a importância do Tabernáculo e disse que aquele não era um lugar para curiosos ou aventureiros, mas um local de decisão. “Deus precisava de um local para habitar entre seu povo, então Moisés construiu o Tabernáculo, também chamado de Morada do Altíssimo. Era um lugar onde as pessoas chegavam com seus problemas e pecados e saíam livres e perdoadas, mediante o sacrifício sincero de um animal perfeito”, relatou.

Os bombeiros acompanharam com atenção cada explicação quanto a todos os itens usados na época e também tiraram suas dúvidas ao longo do trajeto. Ao conhecer a Arca da Aliança, localizada no Santo dos Santos, eles puderam descobrir seu significado e sua representação.

A oração

Logo depois do passeio, o sacerdote pediu para realizar uma oração em favor de todos os bombeiros que estavam presentes no local. “Se me permitirem, gostaria de orar para que Deus abençoe a família de vocês, o casamento, os filhos e possa nos envolver como a Arca da Aliança”, disse o sacerdote.

Durante a oração, ele pediu a Deus que abençoasse cada um daqueles homens que, por inúmeras vezes, salvam o próximo e que também precisam ser salvos espiritualmente, já que vivem situações de conflito e estão sujeitos a adversidades no seu dia a dia.

A experiência

O capitão Alexandre Pinezzi de Melo (foto ao lado), de 35 anos, foi um dos bombeiros que participaram do passeio pelo Jardim Bíblico. Ele está na corporação há 16 anos e contou como foi a experiência. “Eu sempre passava aqui em frente, acompanhava a construção do Templo, mas nunca tive a oportunidade de conhecê-lo. Quando eu passava, imaginava que era algo grande, muito bem elaborado, só que não tinha noção da riqueza histórica que tinha aqui dentro. Além disso, o que me chamou atenção foram as grandes histórias do Antigo Testamento”, esclareceu o militar.

Ele ainda enfatizou que para ser um profissional em sua área é preciso estar disposto a ajudar. “As carreiras que dão mais gratidão à sociedade são as que envolvem a ajuda ao próximo. E esse é o nosso papel. Nossa missão como bombeiro é um sacerdócio”, detalhou.

Para conhecer o Templo de Salomão e participar de uma reunião ou palestra, informe-se sobre os dias e horários em www.otemplodesalomao.com. Não deixe de realizar o passeio pelo Jardim Bíblico. Agende sua visita pelo site www.jardimbiblico.com e para obter mais dados ligue na Central de Informações (11) 3573-3535 ou mande mensagens pelo WhatsApp (11) 95244-7461.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente