“Aqui não tem lugar para analfabeto!”

Por Jeane Vidal / Foto: Thinkstock

A injustiça sempre esteve presente na vida de Adaizio. Ele cresceu em meio à miséria, por isso decidiu sair do povoado pobre que vivia no Nordeste e ir para São Paulo buscar melhores condições de vida, mas se deparou com uma escassez ainda maior.

Foram muitas as humilhações que ele enfrentou. Uma, entretanto, ficou marcada em sua memória. Numa entrevista de emprego, Adaizio teve o currículo rasgado na sua presença e ainda ouviu do entrevistador que lá não havia lugar para analfabeto.

Acompanhe o depoimento dele e veja o que aconteceu depois:


São muitas as injustiças que uma pessoa pode sofrer. Há quem neste instante esteja vivendo uma injustiça no casamento, na família, tais como: traições, vícios, brigas. Outros, são injustiçados com diagnósticos de doenças que não tem cura ou que os médicos desconhecem as causas. Há também aqueles que vivem a injustiça da miséria, da falência, do desemprego, da humilhação. E há ainda aqueles que, tragicamente e lamentavelmente, vivem todas essas injustiças de uma única vez.

Foi o caso de Jó.

Para o bispo Macedo, Jó não via razão para tantas injustiças que recaíram sobre a vida dele, por isso ele disse:

“Ainda hoje a minha queixa está em amargura; a minha mão pesa sobre meu gemido. Ah, se eu soubesse onde O poderia achar! Então me chegaria ao Seu Tribunal. Exporia ante Ele a minha causa, e a minha boca encheria de argumentos. Saberia as palavras com que Ele me responderia, e entenderia o que me dissesse. Porventura segundo a grandeza de Seu poder contenderia comigo? Não: Ele antes me atenderia. Jó 23.2-6

“Mas, hoje, temos o Senhor Jesus como nosso Advogado”, destaca o bispo. “Graças a Deus, temos o Altar de Deus onde colocamos os nossos queixumes, derramamos nossas revoltas, onde encontramos lugar para reclamar e Alguém que nos ouve, porque dura coisa é ser injustiçado e não ter a quem recorrer”.

De acordo com o bispo Clodomir Santos a injustiça é a pior dor que o ser humano pode sentir. Ele esclarece que a injustiça é um espírito maligno que mata tanto quem cometeu a injustiça como o injustiçado, e a única maneira de bani-lo é com a manifestação da fé. “Sem a prática da fé, não há justiça”, enfatiza.

A campanha da Justiça está sendo realizada em todas as igrejas Universal do mundo inteiro. Se você tem vivido uma vida de sofrimento e injustiças faça como o Adaizio, exponha as suas queixas diante do Trono da Graça, da misericórdia e da Justiça. “Deus, o Todo Poderoso, é Justiça pura. O seu Trono é feito de justiça. E nada alegra mais a Justiça do que vir de encontro aos injustiçados e atender aos seus clamores”, enfatiza o bispo Macedo.

Adaizio alcançou a justiça do Altíssimo quando recorreu ao Tribunal de Deus – o Altar. Faça como ele, apresente sua causa ao Justo Juiz e obtenha a Justiça que você tem buscado.

Junte-se a nós, compareça no próximo domingo, dia 17 de setembro, numa Universal mais próxima de sua casa, para apresentar as suas queixas diante do Trono do Justo Juiz e, certamente, Ele julgará a sua causa com justiça. Consulte aqui os endereços.


ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente