"Abri um negócio contra a vontade do meu marido e deu errado"

Por Lorrainne Silva / Foto: Fotolia

Você fez planos, cálculos e pesquisas, analisou e acreditou que seria a melhor escolha, mas seu companheiro (a) não concordou. Mesmo diante dessa situação, sua reação não é a melhor e você decide ir adiante, mesmo sem apoio do seu par. Na edição desta semana do A Escola do Amor Responde, os professores Renato e Cristiane Cardoso ajudam a aluna Vanessa a resolver a situação descrita acima. Confira.

Vanessa – Sou casada e tenho dois filhos. Abri um negócio contra a vontade do meu marido e deu tudo errado. Agora, estou com dívidas e desempregada. A falta de dinheiro tem nos deixado sem paciência Quero resolver esse meu erro. O que faço?

Cristiane – Pelo menos você reconhece que errou, Vanessa. Agora, não sei se já fez isso, mas é muito importante pedir perdão para o seu marido. Quando a pessoa erra e todo mundo sofre por causa desse erro, é importante que ela chegue diante das demais, reconheça sua falha e conforte-as dizendo que nunca mais tomará uma atitude como a que tomou. Dessa forma, você arrancará de si mesma o peso da culpa e acabará com aquela sensação ruim que fica entre os membros da família.

Renato – Você precisa fazer isso para deixar claro que reconheceu o dano e a dor que causou.

Cristiane – Às vezes, a pessoa erra e a impressão que fica é de que não foi bem um erro. É muito importante assumir que errou por não ter levado em consideração o que seu esposo havia falado.

Renato – Quero esclarecer que o seu problema não foi apenas ter aberto o negócio e ele não ter dado certo. Você perdeu dinheiro e está com problemas financeiros, sim, mas o erro maior foi ter tomado tamanha decisão sem o acordo do seu marido. E essa é uma dica muito importante que sempre damos aos nossos alunos do A Escola do Amor Responde: que não tomem grandes decisões em suas vidas ou no relacionamento sem consultar o parceiro, seja você a mulher, seja você o homem. Não se deve tomar uma decisão tão importante, como a de sair do emprego para abrir a própria empresa, ignorando a posição do companheiro. Não se troca de carro, não se compra uma casa, não se pode trazer a mãe para morar junto com o casal ou engravidar sem o acordo do cônjuge, pois são grandes decisões.

Cristiane – Se tomar essas decisões sozinha, passará para a pessoa que ama, ou diz amar, a mensagem de que não se importa com o que seu parceiro acha a respeito do assunto, ou seja, você cria com isso uma separação entre vocês ao fazer o que você quer, independentemente do que seu marido acha. Às vezes, o casal está junto, mora na mesma casa, mas vive uma vida separada, cada um toma suas decisões isoladamente. E isso não é correto. Não é certo não querer trabalhar juntos só porque não poderá realizar ou tomar determinada atitude se o companheiro não concordar. Vocês devem ter uma parceria. Casamento é uma parceria.

Renato – Vanessa, se há uma coisa certa quanto a qualquer casamento é que cedo ou tarde o casal vai discordar sobre alguma coisa importante. Não há nada de errado com isso. Presumimos que porque a outra pessoa nos ama ela sempre concordará conosco. Porém, entenda: amar não significa concordar sempre. E quando o parceiro discorda, não significa que ele lhe odeia. Eu coloquei uma mensagem no meu blog falando exatamente sobre isso: “O que fazer quando o parceiro discorda de você”. Se você quiser saber mais, é só acessar www.renatocardoso.com.

ler mais
Reportar erro

comentários

Carregar mais

Comunicar Erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente